Relações Destrutivas- Capítulo 11.




Capítulo 11:
CENA 1: RUA/ MANHÃ/
Continuação imediata da última cena do cap. anterior. Ícaro conversa com seus amigos. Os homens pegam o menino pelo braço e atiram para cima, assustando todos, que saem correndo. Enquanto Ícaro grita.
Fade-in- Explosion (Instrumental)- Eduardo Queiroz.
Ícaro (amedrontado)- POR QUE VOCÊS ESTÃO FAZENDO ISSO COMIGO? (T) PODEM LEVAR MEU CELULAR, EU SÓ TENHO ISSO.
Homem 1 (aponta a arma p/ Ícaro)- Cala a boca, seu merdinha. (T) É melhor ficar quietinho ou vai levar pipocada na cara!
Homem 2 (p/ o colega)- Vamos?
Eles jogam Ícaro no chão. Agora se olham sorridentes, expressando maldade em seus olhares. Ícaro fica assustado.
Ícaro (chorando)- Por favor, não!
Violentamente, eles começam a desferir chutes em Ícaro, que grita de dor.
Homem 1- Acha que já deu?
Eles olham para Ícaro no chão, com a boca escorrendo sangue, e gemendo de dor. O homem 2 acena positivamente com a cabeça e eles fogem. Close em Ícaro, agonizando no chão. Algumas pessoas vêm em sua direção, preocupadas.
Fade-out- Explosion (Instrumental)- Eduardo Queiroz.
CENA 2: HOSPITAL PÚBLICO/ INTERIOR/ MANHÃ/
Megan e seu pai continuam se encarando.
Fade-in: Lampejo (Instrumental)- Victor Pozas.
Megan (irônica)- Se eu mexi nas suas coisas? Por que eu deveria fazer isso? (T) Você não acha feio mexer nas coisas dos outros? Porque eu acho e muito.
Antônio (engole seco)- Que bom.
Megan- Me diz aí, papai? O que tem de tão importante naquele envelope lá que você ficou branco que nem pó de arroz quando eu falei dele?
Antônio- Não é nada demais, filha... (T) Nada que você tenha que se preocupar.
Megan- Espero que não seja, pois eu odeio que as pessoas me escondam coisas importantes.
Antônio- Você não vai estudar?
Megan- Claro que vou.... Mas que pressa é essa? (T) Não é você quem queria que eu fosse mais atenciosa? Até que enfim arrumamos um assunto, hein?
Antônio- Eu tô com um pouco de sono.
Megan (furiosa/direta)- Tá com um pouco de sono ou com medo de eu ter lido que você tem uma herança milionária?
Close em Antônio pasmo.
Antônio- Você tinha me dito que não leu.
Megan (diabólica)- E você caiu feito o idiota que é! (T) Tá achando o quê? Que eu sou uma burra feito você? Isso com certeza eu devo ter herdado da minha mãe, porque inteligência e sensatez não é o seu forte!
Antônio (bravo)- E qual é o seu forte, minha filha? Ser uma vigarista mau-caráter?
Megan- Pelo menos eu não vou morrer amargurada em uma cama de um hospital público que mais parece um inferno, com lembranças de que eu era uma varredora de rua!
Antônio (confronta)- E quais vão ser suas lembranças, Megan? Me diz! Vão ser as dos momentos em que você me maltratava?
Megan- Você tá vendo como você me odeia? Você escondeu de mim que era milionário só pra se vingar de mim, pra me ver humilhada e sofrendo...
Antônio- Se eu fosse você, eu agradeceria por eu ter te escondido isso, porque se eu não aceitei essa herança, foi por sua causa, pra você não ficar mais perdida do que já é.
Megan- Não tente mentir, seu cretino, você não vai me convencer com esse showzinho de proteção querendo me demonstrar amor, porque isso você não me deu.
Antônio- É a verdade.
Megan- A única verdade é que eu mereço essa herança, eu sou a única quem iria valorizá-la, porque você e a Madá, são dois medíocres achando que pobreza é humildade. Parem de ser tão retardados.
Antônio- E você acha que o dinheiro vai te dar o bom-caráter que nunca teve? (T) Vai usar ele pra quê? Pra sair humilhando todo mundo? (T) Já não tem e faz isso, imagina se tiver.
Megan- E você acha que eu iria fazer o que com ele? Comer churrasquinho de gato na laje? Me poupe, pai!
Antônio (decepcionado)- Você é um desgosto para mim...
Megan (maquiavélica)- Que bom, porque eu penso o mesmo de você!
Megan se retira, deixando Antônio desolado, o homem chora, amargamente.
Fade-out: Lampejo (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 3: MANSÃO DOS DANTAS/ SALA/ INTERIOR/ MANHÃ/
Dorotéia está com o telefone na orelha, ela sorri. A mulher dá pulos comemorando.
Dorotéia- Ai eu sabia que iria dar tudo certo! –Comemora- Isso!
Ela desliga a ligação, e Alessandra desce as escadas, desconfiada.
Alessandra- Mas que felicidade é essa, Dorotéia?
Ela olha para sua mãe com desprezo.
Dorotéia- Por que você não vai conversar com a sua confidente? A Patrícia...
Alessandra- Nossa que isso, hein? Já tá atacada de novo? –Rindo- Olha, filha, eu acho que quando um macho te pegar de jeito, ele não vai nem conseguir te entortar. (T) A cada dia que passa você está mais tensa e ranzinza.
Fade-in: Tragicômica (Instrumental)- Victor Pozas.
Dorotéia- Isso é o cúmulo mesmo, eu estar sendo alvo de conversas de sexo com uma velha decadente feito você.
Alessandra- Velha que tem feito um bom trabalho no meio dessa sociedade. (T) Se esqueceu de que está falando com a Vovó Gatosa?
Dorotéia gargalha.
Dorotéia- Você é patética, Alessandra. –Asquerosa- Sabe, Vovó Gatosa? Eu desisto de sentir raiva de você, eu sinto pena na verdade... É... É isso mesmo que eu sinto. –Diabólica- Pena porque você é uma esclerosada... Sabe eu nem deveria considerar as coisas que você fala? Juro!
Alessandra (provocativa)- Será que é isso mesmo ou você não tem... Digamos que, (T) um pouco de inveja por que sou mais energizada do que você?
Dorotéia- Ouvi dizer que estão procurando novos integrantes para um circo. Não quer concorrer a uma vaga?
Alessandra- Deixo pra você que deve ser como uma piada trash na boca da sociedade que tanto se preocupa em ser alguém. (T) Acho que o que combinaria comigo mesmo é trocar de posto de mãe dos seus filhos, porque nisso você é péssima.
Fade-out: Tragicômica (Instrumental)- Victor Pozas.
A expressão sarcástica de Dorotéia vai se desfazendo, até se transformar em fúria.
Fade-in: Decolagem (Instrumental)- Victor Pozas.
Dorotéia (furiosa)- Velha desgraçada, quem você pensa que é pra falar assim comigo?
Alessandra (sorrindo/plena)- Mas não era você quem tinha pena de mim e não iria relevar o que a “velha esclerosada” está falando?
Dorotéia- Eu não vou perder meu tempo com você.
Close em Dorotéia saindo. Paty desce as escadas, desesperada.
Alessandra (preocupada)- Aonde você tá indo, Paty?
Paty- Espancaram o filho do Eduardo.
Close em Alessandra, chocada.
Alessandra- Vai pro hospital?
Paty- Sim.
Alessandra- Me espera que eu vou com você.
Fade-out: Decolagem (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 4: HOSPITAL PÚBLICO/ CORREDOR/ MANHÃ/
Fade-in: Vielas (Instrumental)- Victor Pozas.
Close nos paramédicos levando Ícaro, deitado em uma maca, para dentro. Eduardo chega, desesperado, e vai até a maca, olhando para o filho, aos prantos.
Eduardo (preocupado)- Ícaro, meu filho... Você tá bem?
Com muita dificuldade de falar, o menino tenta.
Ícaro- Tô, pa... pai...
Eduardo olha para as feridas do menino.
Eduardo (p/ o paramédico)- Meu Deus, o que fizeram com meu filho?
Os enfermeiros entram em uma sala, e um deles barra Eduardo na porta.
Eduardo- É MEU FILHO... EU TENHO QUE ENTRAR!
Enfermeiro- Se acalma, nós vamos fazer o que puder para salvar seu filho.
O homem entra na sala, enquanto Eduardo fica na porta, chorando.
Fade-out: Vielas (Instrumental)- Victor Pozas.



CENA 5: ILHABELA- SP/ MANSÃO/ INTERIOR/ MANHÃ/
Fabrício entra ao local, admirado, empurrando Gabriel, que está na cadeira de rodas, e um corretor de imóveis.
Gabriel (boquiaberto)- Essa mansão é.... Espetacular.
Fabrício- E com certeza vai ser a nossa casa.
Gabriel fica receoso, e Fabrício percebe, o corretor fica acanhado com a reação de Gabriel.
Corretor (p/ Fabrício)- Se vocês quiserem, posso ir lá pra dentro para vocês conversarem.
O homem adentra os cômodos, enquanto Fabrício fica agachado, em frente Gabriel, que está decepcionado.
Fabrício (preocupado)- O que foi, belo?
Gabriel (temeroso)- Essa casa é caríssima, Fabrício, eu pensei que iríamos morar em uma mais simples.
Fabrício- Amor, para com isso.
Gabriel (impotente)- Para com isso nada, você vai gastar todo seu dinheiro nisso, e eu não quero aproveitar de você!
Fade-in: Que Lo Nuestro Se Quede Nuestro- Carlos Rivera.
Fabrício (segura o rosto de Gabriel)- Olha, meu amor, há anos eu venho aceitando esse dinheiro que a minha mãe por um motivo. Porque desde que me entendo por gente, eu tomei uma decisão de sumir de vez daquela casa, e gastar ele com a pessoa que eu amo, não é uma perda. (T) Você acha mesmo que eu iria pensar que você tá me explorando, belo? Só nós sabemos o quanto você sempre se esforçou pra me ver feliz, e por que não passar a nossa vida toda juntos? Longe de tudo e todos? (T) Entre perder esse dinheiro, pra construir uma família ao seu lado e ficar pobre, eu escolho ser feliz com você.
Close em Gabriel, chocado com a resposta de Fabrício. Eles se beijam, apaixonadamente.
Gabriel (lacrimejando)- Te amo, te amo, te amo...
Fabrício- Vamos olhar a casa?
Gabriel acena positivamente com a cabeça.
Fabrício- Ah, e só pra constar... Não dá pra ficar pobre com o tanto de dinheiro que tem na minha conta.
Eles riem. Fabrício levanta  e vai empurrando a cadeiras de rodas, eles olham a casa, deslumbrados com a elegância.
Fade-out: Que Lo Nuestro Se Quede Nuestro- Carlos Rivera.
CENA 6: HOSPITAL PÚBLICO/ CORREDOR/ INTERIOR/ MANHÃ/
Eduardo está sentado no banco, chorando e desolado.
Fade-in: Lago dos Cisnes (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
Eduardo (angustiado)- Por que, meu Deus?
Close em Paty e Alessandra ao final do corredor, olhando Eduardo.
Paty (fala alto)- Eduardo?
Ele olha para a mulher, que vai apressada ao encontro dele. A mulher o abraça.
Paty (preocupada)- Meu amor, o que aconteceu?
Eduardo- Alguém deu uma surra nele.
Alessandra- Mas como assim? Deu uma surra nele por quê?
Eduardo- Eu ainda não sei de nada, a polícia ainda vai vir aqui para pegar o depoimento dele.
Paty- Os médicos já te falaram alguma coisa sobre o estado dele?
Eduardo- Não me disseram nada, só o levaram para a sala e estão lá dentro.
Um médico vai até Eduardo, que levanta desesperado.
Médico (p/ Eduardo)- Eduardo?
Eduardo- Sim, doutor. –Aflito- O que houve com o meu filho, doutor?
Médico- Fizemos os exames, e ao que parece ele está bem saudável quando se fala de pressão, glicose, colesterol e essas coisas, mas fizemos um raio-x e vimos que a coluna vertebral foi a parte mais atingida. Se fosse algo mais simples, eu o deixaria em observação, mas eu não posso fazer isso, pois como houve muitos danos, ele precisa ser levado para um hospital particular e de uma cirurgia com urgência.
Close em Eduardo, chocado, chorando.
Alessandra- E o Sr. tem idéia de quanto é essa cirurgia?
Médico- Em torno de 200 a 300 mil reais.
Eduardo (amedrontado)- Não, isso não pode ser verdade.
Patrícia tenta conter o sofrimento de Eduardo. O médico se retira, deixando Alessandra, Patrícia e Alessandra, que tentam acalmá-lo.
Eduardo (chora)- O meu filho vai morrer, Patrícia!
Paty e Alessandra se olham, confusas.
Fade-out: Lago dos Cisnes- Rodolpho Rebuzzi.
CENA 7: ESCOLA/ PÁTIO/ MANHÃ/
Está no intervalo. Os alunos passeiam pelos corredores e o pátio. Close em um grupo de meninas em volta de Manu. Madá pede licença a uma delas e vê Manu chorando.
Madá- Tá tudo bem, Manu? –Preocupada- Por que você tá chorando?
Manu- Você não tá sabendo, Madá?
Madá (confusa)- Sabendo de quê?
Fade-in: Decolagem (Instrumental)- Victor Pozas.
Manu- O Ícaro levou uma surra na porta da escola.
Madá (baqueada)- O quê? Mas... Como isso pode ser possível? Surra de quem? –As lágrimas de Madá percorrem pelo rosto- ME RESPONDE, MANU?
Manu- Eu não sei, eles não me deixam ir embora, meu pai não tá atendendo o telefone para ver se pode liberar.
Madá- Meu Deus, isso não pode ser... O Ícaro não...
Manu e Madá se abraçam.
Madá- Eu tive uma ideia.
Manu- Que ideia?
Madá- Podemos fugir pelo muro detrás da escola.
Manu- Mas ele é alto.
Madá- Mas as meninas vai nos ajudar, -olha p/ as meninas- não é?
Elas assentem com suas cabeças.
Fade-out: Decolagem (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 8: PRAÇA/ MANHÃ/
Megan está sentada em um banco ao lado de um homem, mas eles olham para os lados como se não tivessem ligação alguma. Em todos os momentos, eles vão conversar como se estivessem ao telefone.
Fade-in: Laureta (Instrumental)- Victor Pozas.
Megan- Preciso de um favor seu.
Homem- Fiquei curioso quanto a sua proposta.
Megan- Eu preciso que você faça o meu pai assinar um documento como se fosse se ele tivesse recebendo alta.
Homem- E o que eu vou ganhar com isso?
Megan- R$ 300.000,00 está bom pra você?
Homem- Perfeito.
Megan- Mas tem um detalhe...
Homem- Lá vem as complicações com essas letrinhas miúdas. Fala logo!
Megan- Eu vou ter o dinheiro só depois que ele assinar os papéis. É uma herança, e você sabe como funciona, né?
Homem- Podemos fazer uma nota promissória.
Megan- Claro que sim, eu não sou caoteira, e o que não vai me faltar é dinheiro.
Homem- Trato feito.
O homem finge que está desligando uma ligação e vai embora, deixando Megan sorridente. A mulher também finge que está desligando uma ligação e vê Abner indo em sua direção. Ela corre para abraçá-lo e dar um beijo no namorado, alegre.
Abner- Que alegria é essa?
Megan- Estamos ricos!
Eles sorriem e se beijam.
Fade-out: Laureta (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 9: ILHABELA- SP/ MANSÃO DE BRÁULIO/ SALA DE JANTAR/ INTERIOR/ TARDE/
Bráulio está almoçando. Gabriel e Fabrício chegam, contentes.
Bráulio- Que alegria toda é essa?
Fabrício- Temos uma novidade pra te contar.
Gabriel (alegre)- O Fabrício comprou uma casa pra gente morar.
Fade-in: Happy- Pharrell Williams.
Bráulio (feliz)- Parabéns.
Ele se levanta e dá um abraço em Fabrício e em seu irmão Gabriel.
Fabrício- E você vai voltar a ter sua privacidade de volta.
Bráulio- Eu não tô acreditando que vocês já estavam doidos pra se livrarem de mim tão rapidamente.
Fabrício- Oh, cunha, não é assim não.
Bráulio (zoa)- Vou chorar.
Gabriel- Oh, meu irmãozinho, vem cá.
Gabriel aproxima sua cadeira de rodas de Bráulio e abraça as pernas dele.
Bráulio- Mas falando sério, eu fico feliz que você tenha achado alguém que te ame tanto quanto eu.
Fabrício- Pode ter certeza que eu vou cuidar do belo.
Bráulio- Bom, vamos almoçar?
Gabriel- Eu tô varado de fome.
Eles sentam-se à mesa, conversando, alegremente.
Fade-out: Happy- Pharrell Williams.
CENA 10: HOSPITAL PÚBLICO/ INTERIOR/ TARDE/
Paty e Alessandra estão em pé, em frente Eduardo, que está sentado, tomando água, e seus olhos estão avermelhados.
Paty- Tá mais calmo?
Eduardo- Um pouco.
Alessandra- Eu e a Patrícia vamos dar um jeito, pode ficar despreocupado, Eduardo.
Paty- Eu vou pagar essa cirurgia pra ele. Eu tenho um dinheiro que a minha mãe guardava quando eu era pequena, e esse dinheiro tá rendendo.
Alessandra- Eu também, Eduardo, vai ser como um presente para você. Eu vou ajudar a Patrícia.
Eduardo- Me desculpem, mas eu não posso aceitar.
Fade-in: Rock com Dendê (Instrumental)- Victor Pozas.
Paty (chocada)- Como assim não vai aceitar? Mas é claro que você vai.
Alessandra- Não seja orgulhoso, é a vida do seu filho que está em risco.
Eduardo- Eu não posso gastar o dinheiro de vocês.
Antes que eles possam falar qualquer coisa, Madá e Manu chegam. Manu abraça o pai, chorosa.
Madá- Como ele tá?
Eduardo- Ele precisa fazer uma cirurgia.
Manu- Pai, acharam quem fez isso com o Ícaro?
Eduardo- Não, meu amor.
Madá- Eu não entendo quem pode ter feito isso, o Ícaro não tem inimizades na escola.
Paty- Tem certeza que não tem ninguém que ele já brigou ou algo assim?
Eduardo- Isso nunca aconteceu.
Todos ficam pensativos. Eduardo fica mais.
Flashback:
Dorotéia- Como eu estava dizendo, eu preciso da sua ajuda. (T) Tenho certeza que você vai conseguir isso. (T) Bom, sem mais delongas, eu quero que você arranque da Patrícia o paradeiro do Fabrício, e como recompensa, R$ 2.000.000,00, o que acha?
Eduardo (desacreditado)- Você só pode ser louca.
Dorotéia- R$ 4.000.000,00 é a minha última oferta.
Eduardo (furioso)- VAI EMBORA DA MINHA CASA!
Dorotéia- Eu sei que pode ser uma pressão nessa momento, mas eu volto a te procurar.
Fim do flashback.
Eduardo (furioso)- É isso!
Paty- Isso o quê?
Eduardo- Eu não conheço alguém que odeia ele, mas sei quem sabe que eu precisaria desse dinheiro!
Eduardo se levanta, saindo. Paty vai atrás dele, gritando seu nome, deixando Madá, Alessandra e Manu confusas.
Fade-out: Rock com Dendê (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 11: ANOITECE/ APARTAMENTO DE ABNER/ QUARTO/ INTERIOR/
Close em Abner tirando a roupa e ficando nu. Ele entra no banheiro e deixa a porta entreaberta. Alguém o observa e vai se revelando aos poucos. Close em Megan entrando no cômodo com uma lingerie bem bonita e sensual. Ela vai caminhando vagarosamente até a cama de Abner e deita fazendo poses sexuais.
Megan (cochicha)- Não seria melhor se eu o surpreende?
Megan tira a sua roupa e fica nua. Ela caminha indo para o banheiro, e vê o celular de Abner em cima da cama vibrando. Na tela aparece o nome do contato que é “D”.
Fade-in: Lampejo (Instrumental)- Victor Pozas.
Megan (fala baixo/ intrigada)- D?
Megan atende o telefone e fica calada. A câmera se divide entre Megan e a pessoa que está do outro lado da linha.
Dorotéia- Abner? Por que você não tá me atendendo?
Megan fica abismada ao ouvir a voz da inimiga.
Close em Dorotéia confusa e Megan barbarizada, e a imagem congela no rosto das duas.

Rajax
Linguagem imprópria
Conteúdo de total responsabilidade do autor                      
×
Rajax
Linguagem imprópria
Conteúdo de total responsabilidade do autor                              
×

Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel