Dead Land vale a pena ler de novo? | A.C. Analisa



Obra - Dead Land
Autor - Rafael Oliveira
Analisada por OLadoHumano


Dead Land, obra de Rafael Oliveira, cumpriu os requisitos necessários para a elaboração de um bom enredo. Rafael Oliveira conseguiu dar vida a uma grande quantidade de personagens sem os desconectar um do outro, ou do objetivo geral da história. O autor demonstrou controle sobre seu planejamento cronológico ao agregar à obra alterações significativas de espaço e tempo sem enfraquecer o sentido da história ou a essência dos personagens. Características como ambientação e diálogos se revelaram pontos fortes do escritor. A formulação dos locais conseguiu ser bem descrita e as falas foram bem articuladas com as cenas e com suas respectivas ações e emoções.

As características e metas individuais dos personagens, por serem diferentes e terem sido expostas em concomitância com o desenvolvimento da história, forneceram à obra um ar de mistério, fazendo assim, juiz ao propósito da sinopse. Escrever é uma das armas mais poderosas que existem e que não está destinada a se tornar inválida. Cada letra forma uma palavra e cada grupo de palavra dá origem a frases. Por sua vez, as frases impulsionam sentidos, emoções… Mas para garantir que o que se deseja expressar seja devidamente expressado, é importante ter o cuidado de manter sempre a coerência e a coesão no momento da escrita. Dead Land, embora tenha exibido um bom desenvolvimento, chegando até a apresentar traços semelhantes a criações apocalípticas já consagradas por grandes roteiristas, em alguns momentos, fugiu da norma padrão de escrita da língua portuguesa e realizou o uso equivocado de algumas pontuações.

Exemplos:

Episódio 5, cena n°20:

"Eu o mataria se você não tivesse chego."

Acima, o verbo está disposto de maneira errada. Seria interessante alterar a forma verbal e e reescrever o verbo chegar como "chegado", pois ele não é um verbo irregular. Em outros momentos, outros verbos se apresentaram em formas verbais incorretas ou não concordando com seus substantivos o com os demais elementos das frases.

Episódio 5, cena n°5:

"Nolan, da caçamba, se diverte. Com sua arma em mãos, atira para o alto, para onde vê, e quebra os vidros dos caminhões , espalhados pela rua, que porta , em sua margem, os casarões dos militares."

No trecho acima, o uso excessivo de vírgulas dificultou o sentido da segunda oração. As vírgulas destacadas em vermelho permitem que o leitor compreenda que "os casarões dos militares" estão na "margem" dos "vidros dos caminhões", quando na verdade, os "casarões" estão concentrados na "margem da rua". Portanto, para melhorar o sentido desta oração, é preciso retirar as vírgulas destacadas. Novamente é importante ressaltar que o uso indevido de vírgulas reapareceu em outras partes do texto, ameaçando fazer outras possíveis confusões de interpretação.

O tipo da narração em uma obra pode variar por muitos fatores. Estilo do autor, gênero da obra, intencionalidade discursiva do narrador e etc… É normal que, assim como os personagens, o narrador também evolua e realize alterações em sua forma de mediar a história, no entanto, em alguns momentos, a narração de Dead Land apresentou termos informais que divergiram da forma adotada pelo narrador em todo o restante do roteiro. "Encaquifado" e "ferrado", por exemplo, são duas de algumas expressões presentes na narração que não se encaixam no tipo de vocabulário utilizado pelo narrador. A linguagem informal não é proibida, mas o autor deve estabelecer sua forma de escrita de forma que ela se apresente de maneira semelhante em toda a obra, com isso, o texto ganhará mais identidade e será melhor solidificado.

Mediante a esta obra, é possível concluir que Rafael Oliveira desempenhou o papel de um grande escritor. Dead Land foi bem pensada e desenvolvida, conseguiu gerar cenários fictícios de fácil visualização e descreveu ações e atos com riqueza de detalhes. O autor demostrou criatividade e controle sobre a evolução da história, se mostrando assim, capaz de idealizar obras de outros gêneros com a mesma qualidade de Dead Land. Contudo, para o aperfeiçoamento desta obra, e para o sucesso das próximas, é recomendado que o autor revise seus textos com mais atenção para que erros na escrita não sejam o motivo de perda de valor e de credibilidade de suas obras. Sempre é válido lembrar: a correção de pequenos erros sempre aproximará grandes acertos.



Nota 4,0


Atenciosamente,
OLadoHumano

Avatar

Tudo sobre Analisando a Concorrência

Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel