Ilusão - Capítulo 01 (Estreia).


NOVELA DE: GABRIEL MARTINS FRANCO

ILUSÃO
CAPÍTULO 01
COM:
VITÓRIA STRADA - IZADORA
RODRIGO SIMAS - BRUNO
VIVIANE PASMANTER - MARTHA
LAVÍNIA VLASAK - LARISSA
GABRIEL BRAGA NUNES - MAURO
ALEXANDRE BORGES - AGENOR
HUMBERTO MARTINS - GILBERTO
MARCOS PASQUIM - JORGE
MARIA EDUARDA DE CARVALHO - ESTELLA
NEUZA BORGES - JANDIRA
NICETTE BRUNO - CODINA
DANDARA MARIANA - JANA
CENA 01. CASA DE IZADORA E AGENOR. INT. NOITE.
É noite, um carro preto está parado em frente a casa, assustando e deixando intrigados os moradores da pequena residência. Agenor da janela observa tudo.
CODINA - Iza, manda seu pai sair dessa janela.
AGENOR - Não antes de saber quem tá parado aqui. Já faz mais de meia hora…
IZADORA - A vó tem razão, pai. Não deve ser nada, com certeza é só mais um turista perdido.
DENTRO DO CARRO:
LARISSA - Meu Deus, logo agora que tô tão perto me falta a merda da coragem.
DENTRO DA CASA:
AGENOR - Quer saber… eu vou lá. Se tá parado aqui em frente alguma coisa tá querendo.
IZADORA - Toma cuidado.
AGENOR - Cadê minha espingarda?
CODINA - Aponta - Pega lá filha.
IZADORA - Trazendo o objeto - Pelo amor de Deus, não faz nenhuma besteira.
CODINA - Minha mãezinha D'água, protege meu filho daí de cima.
DO LADO DE FORA:
Agenor caminha até o carro, ao que ele se aproxima Larissa dá partida e sai depressa dali.
AGENOR - Desgraçado!
DO LADO DE DENTRO:
AGENOR - Vocês viram? Foi só eu sair para quem lá que seja picar o pé. Agora, para ter saído daquele jeito alguma tava aprontando.
IZADORA - Será que é alguém daqui?
AGENOR - Eu vou dar uma sondada pela cidade amanhã, mas vocês duas tomem cuidado de hoje em diante.
IZADORA - Saindo - Claro. Agora eu vou deitar. Boa noite.
CODINA - Eu vou também.
AGENOR - Espera.
CODINA - Que foi?
AGENOR - A senhora acha que pode ser ela?
CODINA - Falando baixo - Não, nem faz sentido. Filho, aquela lá deve tá bem longe daqui.
AGENOR - Mas quem quer que seja eu vou descobrir…


CENA 02. CASA DE PRAIA DE LARISSA. SALA. NOITE.
Larissa chega, Jandira vai ao seu encontro.
JANDIRA - E como foi?
LARISSA - Péssimo. Na hora eu travei, fiquei lá no carro esperando criar coragem ou sei lá o que mais, só sei que eu travei por completa.
JANDIRA - Fica calma, é assim mesmo. Você esperou tanto por isso, não é? Não pode desistir agora.
LARISSA - Não, isso não. Mas eu juro, se arrependimento matasse eu estava morta, tia. Eu não devia ter deixado o Brasil, não devia ter deixado minha menina pra trás.
JANDIRA - Me desculpe me intrometer, mas a você teve a chance de concertar tudo isso... o John iria entender.
LARISSA - Sim, tem razão, o John era um bom homem. A verdade é que eu adiei tanto isso, com medo de não ser aceita por ela, que, agora ficou tarde demais.
JANDIRA - Não diga isso, converse com ela. Peça perdão, vá com o coração aberto. Não adie isso mas uma vez, você sabe que quanto mas demora mais distante e difícil ficará uma reaproximação.
LARISSA - Obrigada, sei que posso contar com você.
AMANHECE
CENA 03. CASA DE AGENOR E IZADORA. EXT. DIA.
Batidas são dadas na porta. Agenor assustado com o que aconteceu na noite anterior vai abrir a porta com sua espingarda nas mãos.
JANA - Assustada - Seu Agenor?
AGENOR - Ah, é você? Entra.
JANA - O que aconteceu? Vocês foram assaltados?
AGENOR - Quase isso, é que você me assustou batendo na porta desse jeito.
IZADORA - Pai, guarda essa espingarda, tá assustando a Jana.
JANA - Amiga, o que aconteceu pra vocês ficarem assim?
IZADORA - É que ontem a noite ficou um carro parado aqui por quase 1 hora e, quando meu pai saiu pra ver o que tava acontecendo a pessoa simplesmente deu partida e saiu desenfreado e por isso que meu pai tá aí desconfiado com essa arma na mão.
JANA - Amiga, toma cuidado, você não vê o que tem de história de maníaco aí nesses jornais da capital?
IZADORA - Mas vamos mudar de assunto… Você veio aqui tão cedo, aconteceu alguma coisa?
JANA - Aconteceu. Lembra que você disse que tava procurando emprego?
IZADORA - Hurum.
JANA - Então... Eu tô indo em uma entrevista, aqui perto, em uma mansão, eles estão procurando gente pra limpar, servir, fazer jardinagem e tudo... O salário é bom, é melhor do que ganha uma doméstica o mês todo.
IZADORA - Por quanto tempo?
JANA - Duas semanas, só que tem que trabalhar todo o reveillon.
IZADORA - Todo bem, pagam quanto?
JANA - 3.000.
IZADORA - É hoje ?
JANA - Tem que ser agora.
IZADORA - Pera aí, vou só trocar de roupa e já volto!
CENA 04. CASA DE PRAIA DOS FERRAZ. EXT. DIA.
Iza e Jana entram, elas olham para todo o local.
IZADORA - Parece casa de novela...
O mordomo Mauro as vê e vai até o jardim.
MAURO - Deslumbradas?
JANA - É que a casa é muito bonita.
MAURO - Ah, é sim. Então meu amor, limpe-a como se fosse sua. Vamos, vou entrevistar vocês lá dentro.
DENTRO DA CASA:
Elas entregam seus currículos.
MAURO - Parece estar tudo certo, já entrevistei moças demais, e o currículo de vocês duas são bons. Então, considerem se empregadas. Antes, vou esclarecer alguns pontos.
IZADORA - Sim.
MAURO - Vocês deverão começar a partir de amanhã, o casal e toda a família chegam depois. Então vocês só tem amanhã pra deixar aqui no jeito, entendido?
JANA - Pode deixar.
MAURO - Cheguem cedo, amanhã explico tudo melhor. Por hoje é só.
Rio de Janeiro
CENA 05. APARTAMENTO DA FAMÍLIA FERRAZ. INTERIOR. DIA. 
Martha liga para Larissa
MARTHA - Lari querida, saudades.
LARISSA - Também querida, como vai?
MARTHA - Eu estou ótima, escuta,  a Bárbara me disse que você tá em Angra…
LARISSA - Eu tô sim, vim resolver alguns problemas.
MARTHA - E vai passar o reveillon aí?
LARISSA - Vou, vai ter uma festa aqui da Marília Santana.
MARTHA - Esquece. Faço questão de que você passe a virada na minha casa, nós todos também vamos passar ai cherry.
LARISSA - Já que você faz questão, eu vou. Aproveitamos e colocamos o papo em dia.
MARTHA - Sim, sim. Vai ser ótimo, então te encontro lá hein… deixa eu desligar que tô aqui na correria menina, organizando tudo, sabe como é fim de ano, né...
Ela vê uma mensagem de Jorge aparecer em suas notificações.
JORGE - Preciso falar com você!
MARTHA - Inferno.
Ao que ela se estressa com a mensagem de seu amante, seu marido chega.
GILBERTO - O que foi? Algum problema?
MARTHA - Essa coisa de organizar festa me deixa louca.
GILBERTO - Amor, você podia ter deixado isso na mão de algum buffet.
MARTHA - Ah Gilberto, você sabe que eu faço questão de eu mesma organizar minhas festas, eu tenho que estar ali, olhando, vendo o que fazem.
GILBERTO - Essa sua mania de ser perfeccionista. Mas relaxa, vai dar tudo certo.
MARTHA - Vai dar sim - sorri - Agora eu tenho que dar uma saidinha, fiquei de ver uns tecidos para as mesas. Dentro de 1 ou 2 horas eu tô de volta.
CENA 06. MOTEL. INTERIOR. SUITE. DIA.
MARTHA - O que você quer?
JORGE - Além de transar com você? Ah.. o que eu quero você sabe...
MARTHA - De novo essa história?
JORGE - Eu quero acabar com essa mentira, você não diz que me ama?
MARTHA - claro.
JORGE - Então? Qual é o problema de assumir isso pro mundo todo, meu Deus?...
MARTHA - Você sabe muito bem qual é o problema. Meu casamento, meus filhos.
JORGE - Eu já disse que se você não fazer isso, eu mesmo faço. Eu só acho que ficaria melhor e mas bonito se você contasse tudo do seu jeito, com suas palavras. Amor, eu não sou muito bom em revelar segredos.
MARTHA - Isso é chantagem!
JORGE - Chantagem, obsessão... Chame como quiser, todas essas palavras são verdadeiras.
MARTHA - Eu não quero que o Bruno saiba.
JORGE - fica tranquila, se você contar tudo eu não conto nada para ele. Assim, o Gilberto irá continuar achando que tem um filho homem.
MARTHA - Tá, eu vou contar sobre nós, só espere o ano virar. E... sobre o Bruno, não abre essa boca, ou então ele perde a parte na herança.
JORGE - Você só precisa me obedecer.
Ela revira os olhos.
JORGE - Vem! - ele puxa ela para cama.
2 DIAS DEPOIS
Angra
CENA 07. CASA DE PRAIA DOS FERRAZ. INTERIOR. DIA.
A família chega.
MAURO - Madame, está tudo como a senhora pediu.
MARTHA - Ótimo, agora suba as malas.
ESTELLA - Vou subir pro quarto, tô morrendo.
MARTHA - Eu também, filha.
CENA 08. QUARTO DE MARTHA. INTERIOR. DIA.
MAURO - E o Bruno, madame?
MARTHA - Tá vindo de Londres, deve chegar entre hoje ou amanhã. O quarto dele, tá pronto?
MAURO - Sim.
MARTHA - Eu vou descansar um pouco, desço depois quando servirem o  jantar.
ANOITECE
CENA 09. CASA DE PRAIA DOS FERRAZ. INTERIOR. SALA DE JANTAR. NOITE.
Todos à mesa jantam, à porta Bruno chega.
IZADORA - O senhor...?
BRUNO - Sou eu, o filho da dona Martha.
Mauro aparece
MAURO - Pode sair menina. Venha, sua mãe tá esperando.
Eles saem, ele sorri ao ver que Iza o olha do corredor.
MAURO - Senhora, olha quem chegou!
MARTHA - Se levantando - Meu amor!
Eles se abraçam.
AMANHECE
CENA 10. CASA DOS FERRAZ. INTERIOR. SALA. DIA.
Alguém toca a companhia.
MAURO - Dona Larissa?
LARISSA - Bom dia Mauro. A Martha está?
MAURO - Claro, vem comigo. Dona Martha, sua amiga está aqui.
Ela entra.
MARTHA - Larissinha. Vem, vamos conversar. Mauro, mande servir um suco.
MAURO - É claro senhora.
Izadora chega com o suco.
MARTHA - Ah, finalmente os refrescos!
Larissa fica perplexa ao ver sua filha em sua frente. Ao que Iza lhe serve o suco ela derruba o copo no chão o deixando em pedaços.
Quarta feira:

Os planos de Marta para acabar com a chantagem de Jorge começam.
Larissa quer o amor da filha.
E Brunno demonstra interesse em Iza.

Quarta feira, 20:30: Segundo capítulo de Ilusão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel