Relações Destrutivas- Capítulo 13.




Capítulo 13:
CENA 1: MANSÃO DOS DANTAS/ SALA/ INTERIOR/ MANHÃ/
Continuação imediata da última cena do cap. anterior. Paty e Dorotéia se olham, como rivais.
Fade-in: Pike Ppk (Instrumental)- Eduardo Queiroz.
Dorotéia (autoritária)- Não, você não vai embora...
Paty (enfrenta)- Eu não te pedi permissão, D. Dorotéia, eu disse que eu vou embora porque eu quero ir embora.
Dorotéia (furioso)- Aquele maldito empregado vai me pagar muito caro por isso.
Paty (farta)- TÁ VENDO COMO VOCÊ É, DOROTÉIA? VOCÊ NUNCA VÊ OS SEUS DEFEITOS, SEMPRE ACHA QUE AS PESSOAS SÃO RESPONSÁVEIS PELAS COISAS NÃO SAÍREM DO JEITO QUE VOCÊ QUER, MAS O PROBLEMA DE TUDO ISSO, SÃO AS SUAS ATITUDES, TALVEZ SE VOCÊ SE PREOCUPASSE EM SER UMA PESSOA MELHOR AO IVÉS DE PASSAR O TEMPO TODO UMA FORMA DE INFERNIZAR A VIDA DAS PESSOAS, VOCÊ NÃO VERIA EU E O FABRÍCIO SE AFASTANDO ASSIM DE VOCÊ! (T) CHEGA DE QUERER MUDAR AS PESSOAS E TIRAR ESSA VENDA DOS SEUS OLHOS.
Dorotéia (debochada)- VOCÊ É PATÉTICA, PATRÍCIA! TÁ ESPERANDO QUE EU CHORE COM ESSA SUA FRASE DE IMPACTO? (T) EU SEI O QUE É MELHOR PARA TODOS E NÃO PRECISO QUE VOCÊ ME DIGA ISSO!
Paty- Ah é? Então me diz por que você está afastando as pessoas de você? –Silêncio- Nem a senhora sabe explicar, não é verdade? (T) Deve ser porque o ser humano desprezível aqui sou eu...
Dorotéia (furiosa)- JÁ CHEGA, SE VOCÊ QUISER IR EMBORA COM AQUELE EMPREGADINHO PRA PASSAR FOME, VAI EMBORA.
Paty- Eu vou mesmo, é melhor passar fome do que ficar sozinha e amargurada, é o que vai acontecer com você!
Paty sobe as escadas e Isolda a acompanha. Algumas lágrimas percorrem pelo rosto de Dorotéia. Ela limpa rapidamente e dá um grito esbravejando todo o seu ódio.
Dorotéia- Maldita bichola e maldito diarista. (T) Isso não vai ficar assim.
Furiosa, a mulher agarra uma jarra de flores e atira contra a parede.
Fade-out: Pike Ppk (Instrumental)- Eduardo Queiroz.
CENA 2: CASA DE ANTÔNIO/ SALA/ INTERIOR/ MANHÃ/
Megan está sentada no sofá, mexendo no celular, enquanto Antônio permanece vendo televisão. Madá chega com uma sacola da farmácia.
Madá- Aqui está. –Entrega o troco para Megan- Eles deram desconto no remédio.
Megan- Ah sim.
Madá (p/ Antônio)- Vou pegar a água.
Antônio- Obrigado, filha.
Madá vai para a cozinha. E no jornal exibe uma notícia que chama a atenção de Megan.
Fade-in: Laureta (Instrumental)- Victor Pozas.
Jornalista- Hoje foi encontrado aqui no Parque Ibirapuera o corpo de um jovem, a família ainda não foi encontrada, mas o homem é identificado como Abner, -foto de Abner no canto da tela- ele foi encontrado nu e com seu corpo sangrando. O assassino ainda não foi identificado.
Falsa, Megan chora e fica desesperada.
Megan (dissimulada)- MEU DEUS, ISSO NÃO PODE SER! O ABNER?
Antônio- Esse rapaz era aquele seu namorado?
Megan- Era sim, pai, ele morreu, ELE MORREU!
Madá chega na sala, assustada.
Madá- Que isso, Megan? Quem morreu?
Megan- O Abner, Madá. (T) Ele morreu! –Pega a bolsa- Eu preciso ir à delegacia ver o que sabem sobre isso.
Megan sai, apressada. Madá e Antônio ficam tensos.
Madá- Bom, eu não me dou bem com ela, mas fiquei com dó.
Antônio- Filha para com isso... Por falar em namorado, não á ver o seu namorado?
Madá- Eu não posso te deixar sozinho. Quando puder eu vou ver ele.
Antônio- Pode ir se quiser, filha, eu sei me cuidar.
Madá- Talvez pela noite eu vá.
Fade-out: Laureta (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 3: MANSÃO DOS DANTAS/ QUARTO DE PATRÍCIA/ INTERIOR/ MANHÃ/
Patrícia e Isolda estão terminando de colocar as últimas peças de roupas na mala dela. Há também mais 2 malas prontas.
Isolda (marejando)- Ai, Paty, você tem certeza que vai ir embora mesmo?
Paty- Tenho sim, Isolda. Eu não posso mais ficar aqui com a minha mãe, essa mulher vai querer controlar a minha vida e fazer dela um inferno.
Fade-in: Amores Distantes (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
Num impulso, Isolda dá um abraço em Patrícia, e as duas choram. Se afastando, elas seguram as mãos uma da outra.
Paty- O que você acha de ir comigo?
O sorriso de Isolda vai se formando, e ela chora, emocionada.
Isolda- Mas é claro que s... –Decepcionando- Não, esquece, eu não posso deixar a sua avó sozinha...
Paty (lembrando-se)- É verdade...
Isolda- Mas se ela decidir ir embora, e quiser me levar, tenha certeza que eu vou...
O telefone de Paty toca, e ela sorri ao ver que é Fabrício. A mulher e a câmera se divide entre ela e seu irmão.
Paty (alegre)- Irmão?
Fabrício- Paty, que saudades! –Marejando- Como estão as coisas por aí?
Paty- Não tá muito bem, mas vai passar.
Fade-out: Amores Distantes (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
Fabrício (tenso)- O que tá acontecendo?
Paty- O que tá acontecendo é a nossa mãe, como sempre, Fabrício.
Fabrício- Mas o que ela fez agora?
Paty- Acredita que ela mandou dar uma surra no filho do Eduardo só por que ele não quis arrancar de mim aonde você está só para que ele precisasse de dinheiro e fosse atrás dela pedir?
Fade-in: Tony Crimes (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
Fabrício (perplexo)- O quê? –Gagueja- Isso não pode ser... Como assim, Patrícia?
Paty- Pra você ver a que ponto a situação chegou.
Fabrício- Eu não posso deixar isso acontecer. –Decidido- Eu tenho que ir para São Paulo.
Fabrício desliga a ligação. A câmera foca apenas no quarto de Patrícia, que segue chamando pelo nome do irmão, desesperada. Ela olha para Isolda, aterrorizada.
Isolda- O que foi?
Paty (amedrontada)- Fabrício disse que vai vir para São Paulo enfrentar a minha mãe!
Isolda (indignada)- Não, ele não pode fazer isso.
Paty- Mas ele vai...
Close nas duas, tensas.
Fade-out: Tony Crimes (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
CENA 4: HOSPITAL ALBERT EINSTEIN/ QUARTO DE ÍCARO/ INTERIOR/ TARDE/
Eduardo entra no quarto do filho, que está meio sonolento.
Ícaro- Pai... Aonde eu tô?
Eduardo- Filho se acalma, você tá no hospital. (T) Tá sendo muito bem cuidado aqui.
Ícaro- Eu não tô sentindo meu corpo direito.
Eduardo- Deve ser a anestesia. (T) Tô feliz que esteja bem.
Ícaro- Pai, quem fez isso comigo? Por que fizeram isso? (T) Eu nunca fiz nada com ninguém...
Fade-in: Suspense Dark (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
Eduardo- Filho, fica tranquilo, quando você tiver melhor, vamos poder nos falar com mais calma.
Ícaro- Quanto tempo eu vou ficar aqui?
Eduardo- Eu ainda não sei, Ícaro, mas se acalma, tá? –Se segura pra não chorar- Eu vou deixar a Manu entrar pra te ver um pouquinho.
O homem dá um beijo na testa do filho e sai.
CORTA P/ SALA DE ESPERA:
Eduardo chega, e lá está Manu e Alessandra.
Eduardo (p/ Manu)- Pode ir lá ver seu irmão.
Manu vai, apressada. Eduardo se desaba em lágrimas.
Eduardo (furioso)- DESGRAÇADA! –Soca a parede.
Alessandra- Se acalma, Eduardo, por favor.
O homem senta-se, e apóia os braços nos joelhos. Ele tampa seu rosto com as mãos.
Eduardo (chorando/indignado)- Como ela pôde?
Alessandra olha para o homem, decepcionada com a atitude de Dorotéia.
Alessandra- Eu preciso sair.
Alessandra sai, deixando Eduardo, que permanece da mesma forma.
Fade-out: Suspense Dark (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
CENA 5: DELEGACIA/ SALA DO DELEGADO/ INTERIOR/ TARDE/
Uma mulher sai da sala do delegado, Megan entra, com os olhos inchados.
Fade-in: Tramóia (Instrumental)- Victor Pozas.
Delegado- No que posso te ajudar, senhorita?
Megan- Senhor Delegado eu sou a namorada daquele jovem que foi achado morto no Parque Ibirapuera, -chorando- o que foi que aconteceu com ele, delegado? Quem matou o Abner?
Delegado- Se acalma, senhorita... Mas ainda bem que veio aqui, nós não achamos ninguém da família dele. –Sério- Eu preciso interrogar você!
Megan- Mas é claro que sim, eu faço o que puder para ajudar...
Delegado- Aonde você estava na noite passada?
Megan- Noite passada eu tava com ele, eu só não entendi como ele foi parar lá no Parque Ibirapuera porque ele me disse que iria pra casa depois que me deixou em casa.
Delegado- Você acha que há a possibilidade do seu namorado ter uma amante?
Megan- Claro que não, a não ser que ele tenha feito isso bem escondido. (T) Se você olhar nas câmeras do prédio dele, estávamos bem felizes quando saímos ontem a noite. (T) Por isso eu tô sem entender até agora o que aconteceu com ele. MEU DEUS, O QUE É ISSO? QUE PESADELO?
A mulher chora mais ainda.
Delegado- Você quer um copo de água? (T) Se acalma e daqui a pouco voltamos ao interrogatório!
Megan- Obrigada, delegado.
Megan limpa as lágrimas dos olhos, e o delegado, sai da sala.
Fade-out: Tramóia (Instrumental)- Victor Pozas.



CENA 6: MANSÃO DE BRÁULIO/ QUARTO DE GABRIEL/ INTERIOR/ TARDE/
Gabriel chega ao seu quarto com Bráulio, que empurra a sua cadeira de rodas. Fabrício está colocando algumas roupas dentro de uma mala.
Fade-in: Perigo Eminente (Instrumental)- Victor Pozas.
Gabriel (confuso)- Mas o que é isso, belo?
Fabrício (furioso)- Eu vou pra São Paulo.
Bráulio (perplexo)- Fazer o que lá, Fabrício? Tá ficando louco?
Gabriel (preocupado)- Belo você não pode fazer isso.
Fabrício- Amor, a minha mãe quase matou um menino por minha causa. (T) Eu tenho que ir antes que as coisas saiam do controle. Se bem que já saiu há muito tempo.
Gabriel- E você vai fazer o que lá?
Fabrício- Vou dar um basta nessa situação de uma vez por todas. (T) Ela tem que parar, isso não pode continuar assim.
Gabriel- Mas e se ela descobrir aonde a gente tá?
Fabrício- E você acha mesmo que ela vai sossegar enquanto não descobrir isso? (T) Amor, a minha mãe sempre vai nos perseguir até ela conseguir o que quer. A vida dela é isso, sempre se preocupar com a vida das pessoas, mas ela não vai mais fazer isso com a gente e nem com ninguém. –Maquiavélico- Isso eu te prometo.
Close em Gabriel e Bráulio, pasmos.
Fade-out: Perigo Eminente (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 7: DELEGACIA/ INTERIOR/ TARDE/
Alessandra está sentada em frente a sala do delegado, esperando para ser atendida. Ela é surpreendida ao ver Megan sair de lá, chorando. Elas se encaram.
Alessandra- Você?
Megan vai embora, sem responder Alessandra.
Delegado- Quem é o próximo?
Alessandra- Eu sou preferencial.
A mulher acompanha o delegado.
CORTA P/ SALA DO DELEGADO:
Eles sentam-se frente a frente.
Delegado- No que posso ajudar a senhora?
Alessandra- Eu vim fazer uma denúncia contra uma pessoa. Ela é minha filha, Dorotéia Dantas.
Fade-in: Ambiguidade (Instrumental)- Victor Pozas.
Delegado (intrigado)- Mas por que está denunciando a sua filha?
Alessandra- Ela mandou bater em um filho de um ex-empregado da nossa casa.
Delegado- As acusações são muito graves, senhora. (T) Você tem provas do que está dizendo?
Alessandra- Uma mãe denunciar a filha não basta ser uma prova muito mais do que sólida?
O delegado e Alessandra se encaram.
CENA 8: HOSPITAL ALBERT EINSTEIN/ SALA DE ESPERA/ INTERIOR/ TARDE/
O instrumental da cena anterior continua tocando. A câmera está dividida entre Eduardo e Patrícia, que estão falando ao telefone.
Eduardo- Paty você tem certeza dessa decisão que tá tomando? Acredito eu que a sua mãe não vai te deixar em paz.
Fade-out: Ambiguidade (Instrumental)- Victor Pozas.
Paty- Eu não ligo pra ela. Se tem uma coisa que está me deixando aliviada, é morar bem longe dela. (T) Mas me conta, como o Ícaro tá?
Eduardo- Ele tá se recuperando. O médico disse que vamos saber se ele realmente vai ficar bem depois que o efeito da anestesia e dos remédios que estão dando nele para amenizar as dores por causa da cirurgia. Aí vão ver como ele respondeu ao procedimento, e também podem precisar que ele faça fisioterapia.
Paty- Queira Deus que ele fique bem. (T) Eu vou terminar de arrumar algumas coisas aqui no apartamento, tomar um banho e depois vou para o hospital.
Fade-in: Give Me Love- Ed Sheeran.
Eduardo- Obrigado pelo que você tá fazendo por mim, meu amor. Eu prometo que eu vou pagar você e a sua avó até o último centavo. –Marejando- Eu só lamento o fato de eu ser um pobretão e não te dar tudo o que você merece.
Paty- Você já me ama e isso me basta, Eduardo. (T) Nem todo o dinheiro do mundo se compara ao que eu sinto por você, e o que eu sei que você sente por mim.
Eduardo (emocionado)- Eu te amo, muito, muito, muito...
Paty (sorridente/apaixonada)- Eu também te amo, meu lindo.
Eduardo- Eu prometo te fazer feliz.
Paty- Assim espero!
Eles sorriem.
Eduardo- Vou deixar você arrumar suas coisas.
Eles desligam a ligação. A câmera foca apenas no hospital agora. Manu estava sentada ao lado de seu pai, abraça-o.
Manu- Tenho certeza que a minha mãe ficaria feliz em saber que você achou uma pessoa tão especial e que te ame tanto quanto a Patrícia. –Olha p/ o pai- Eu gosto dela...
Eles sorriem um para o outro.
Eduardo- Eu te amo, filha.
Ela dá um beijo no seu pai.
Fade-out: Give Me Love- Ed Sheeran.
CENA 9: ANOITECE/ HOSPITAL ALBERT EINSTEIN/ QUARTO DE ÍCARO/ INTERIOR/
Ícaro está acordado, jantando. Ele se alegra quando vê Madá entrando no seu quarto.
Fade-in: Deixa- Lagum ft. Ana Gabriela.
Madá (alegre)- Ícaro!
Ela dá um beijo apaixonado no namorado, mas sem abraçá-lo.
Ícaro- E aí, gatinha?
Madá- Que susto você deu na gente, garoto!
Ícaro- Tava com vontade de te ver.
Madá- É, eu também, eu não vim antes porque teve altas tretas. O meu pai saiu do hospital e a Megan iria ficar com ele, mas o namorado dela morreu. Eu tive que esperar ele dormir, mas a Megan também tá em casa.
Ícaro- Que bom que tá aqui pra ficar comigo.
Madá- Eu não vou poder ficar muito, mas quero aproveitar cada minuto com você.
Eles se beijam, apaixonados. E se afastam, deixando seus narizes encostados um no outro.
Ícaro- Quer aproveitar como?
Madá- No momento só como podemos.
Ele se beijam novamente.
Fade-out: Deixa- Lagum feat. Ana Gabriela.
CENA 10: MANSÃO DOS DANTAS/ QUARTO DE DOROTÉIA/ INTERIOR/ NOITE/
Fade- in: Suspense Dark (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
A câmera foca na porta do quarto de Dorotéia, e vai descendo até chegar ao chão. Vemos um rato passeando no tapete e indo em direção a cama de Dorotéia, a cama acompanha o animal até ele conseguir subir na cama. Ele anda por cima da coberta de Dorotéia, até passear no seu rosto, e ficar de frente para ela. A mulher vai acordando aos poucos, e quando se dá conta do animal na sua frente, ela dá um grito e joga seu corpo para trás, caindo no chão. A câmera fica lenta, e a mulher vai levantando-se aos poucos, surpresa com o que vê na sua frente. A câmera dá um close no rosto de Fabrício e a velocidade volta ao normal.
Dorotéia (surpresa)- Você!
Fabrício (diabólico)- Não tava me procurando? –Ecoando- Vim ao seu encontro!
A câmera altera entre os rostos deles.
Fade-out: Suspense Dark (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
CENA 11: CASA DE ANTÔNIO/ SALA/ INTERIOR/ NOITE/
Antônio está dormindo com a TV ligada. Megan vai até seu pai e vê que ele não está acordado. Ela desliga a TV.
Megan- Pai?
O homem acorda.
Antônio- Oi?
Megan- Vamos pra cama. Você tava dormindo.
Antônio- Nós precisamos conversar!
Megan- Eu já te falei que não quero falar sobre isso.
Antônio (firme)- Mas eu quero!
Fade-in: Dissimulado (Instrumental)- Victor Pozas.
Megan- Tá, então se você quer, vamos falar sobre isso!
Antônio- Filha, você tem que me entender...
Megan (diabólica)- Já está tudo entendido e resolvido!
Antônio (surpreso)- Como assim resolvido?
Megan (maquiavélica)- Você acha que com uma informação daquelas eu iria ficar de braços cruzados, pai? ACHA MESMO QUE EU SERIA TÃO BURRA DE CONTINUAR NESSA POBREZA SABENDO QUE EU PODERIA TER R$ 80.000.000,00 NAS MÃOS? (T) JÁ TE DISSE QUE NÃO SOU MEDÍOCRE COMO VOCÊ!
Antônio coloca a mão no coração, sentindo pontadas.
Antônio (sufocado)- Megan... Você não pode ter feito isso.
Megan- Eu fiz sim, e sabe o que mais eu fiz? –Fria- Já que tá morrendo, morre de uma vez! (T) Aquele meu namoradinho lá, sabe? Foi eu quem matei ele!
Antônio respira com muita força, enquanto Megan ri da situação.
Megan- Eu disse que essa sua mediocridade iria te matar. (T) Se você procurou ficar nela sozinho, que morra com ela.
Antônio (sem ar)- Por fav....
O homem se contorce com falta de ar, enquanto Megan observa, expressando maldade no seu rosto.
Megan- VAI PRO INFERNO!
Close em Antônio, que perde totalmente o ar e fecha os seus olhos.
A imagem congela em Megan, friamente, olhando para seu pai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel