Relações Destrutivas- Capítulo 12.




Capítulo 12:
CENA 1: APARTAMENTO DE ABNER/ QUARTO/ INTERIOR/ NOITE/
Fade-in: Laureta (Instrumental)- Victor Pozas.
Continuação da última cena do cap. anterior. Megan desliga a ligação do telefone de Abner.
Megan (furiosa/cochicha)- Desgraçado, ele me enganou. (T) Então é por isso que ele voltou comigo.
Megan pega seus trajes íntimos vai para a sala.
CORTA P/ SALA:
Megan se veste novamente.
Megan- Isso não vai ficar assim. –Mexe na sua bolsa- Cadê? –Decepcionada- Ai que droga, eu esqueci em casa.
A mulher tem uma ideia e se desloca para outro cômodo.
CORTA P/ A COZINHA:
Ela adentra o cômodo e vai até o armário, abrindo uma gaveta. Megan pega uma faca.
Megan (sangue nos olhos)- Você vai se arrepender de ter feito isso comigo, Abner. –Maquiavélica- Eu vou matar você, seu infeliz!
Megan esbanja um sorriso diabólico. Ela fecha a gaveta minuciosamente, saindo do cômodo.
CORTA P/ A SALA:
Megan coloca a faca na sua bolsa.
Megan- Agora é só eu te levar pro matadouro. –Vingativa- Hoje a ovelhinha é você, Abner.
Ela ri.
Fade-out: Laureta (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 2: MANSÃO DOS DANTAS/ SALA/ INTERIOR/ NOITE/
A campainha toca em disparado. Dorotéia que estava sentada lendo um livro, levanta. Enquanto Isolda abre a porta apressadamente. Eduardo entra, furioso, e atrás dele, vem Paty.
Fade-in: Ambiguidade (Instrumental)- Victor Pozas.
Dorotéia (sorrindo)- Eu sabia que você viria me procurar, Eduardo.
Eduardo (alterado)- DESGRAÇADA, EU SABIA QUE FOI VOCÊ QUEM MANDOU FAZER AQUILO COM MEU FILHO.
Paty (pasma)- Então é você mesmo.... –Desacreditada- Como você pôde? –Arrasada- MEU DEUS, QUEM É A MINHA MÃE?
Dorotéia (p/ Eduardo)- Você é esperto, rapaz, admiro gente assim. (T) E é por isso que o seu cheque está preparadíssimo pra você.
A mulher retira um cheque de dentro do livro e estende para Eduardo.
Eduardo- Você tá achando que eu vim aqui pra pegar seu dinheiro, mas tá bem enganada, sua maldita. (T) Escuta bem o que eu vou te dizer, -decidido- eu vou destruir a sua vida, sua demônia.
Fade-out: Ambiguidade (Instrumental)- Victor Pozas.
Dorotéia- Tem certeza que quer guerrear comigo? Não tem amor ao seus filhos? Porque ainda lhe resta mais um...
Eduardo (odioso)- VOCÊ NEM OUSE.
Fade-in: Perigando (Instrumental)- Victor Pozas.
Eduardo vai com muita fúria pra cima da mulher e enforca-a. Close em Patrícia e Isolda gritando, tentando soltar Dorotéia de Eduardo, mas elas não conseguem.
Eduardo (sangue nos olhos)- Escuta aqui, sua maldita, você não encosta mais em alguém da minha família, porque se eu vier aqui da próxima vez, vai ser pra te matar. (T) Nem que eu tenha que passar o resto da minha vida na cadeia.
Ele solta a mulher, que tosse fortemente e está com a mão posta na garganta.
Dorotéia (com dificuldade)- Desgraçado, você vai se arrepender amargamente, você me paga, seu infeliz, pobretão. –Já falando normal- Eu vou te matar, eu vou destruir a sua vida. –Feroz- SAI DA MINHA CASA AGORA, SEU EMPREGADINHO DE MERDA!
O homem dá uma olhada maligna para Dorotéia, e vai juntamente de Paty, que olha para a mãe negativamente. Isolda fecha a porta e vai até Dorotéia.
Isolda- Você quer um copo de água.
Dorotéia- EU QUERO QUE VOCÊ MORRA, ISOLDA. SOME DA MINHA FRENTE!
A mulher vai embora, rapidamente. Deixando Dorotéia.
Dorotéia (vingativa)- Isso não vai ficar assim.
Fade-out: Perigando (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 3: HOSPITAL PÚBLICO/ INTERIOR/ NOITE/
Madá está na cama ao lado de seu pai.
Antônio- Que coisa, filha. Espero que ele fique bem.
Madá- Eu também espero, pai. Não imaginava que uma coisa dessas aconteceria.
Antônio- Você disse que quem foi que bateu nele?
Madá- Eu ainda não sei, o pai dele saiu feito um louco, não disse quem era e o que iria fazer. Fiquei confusa.
Antônio- Quanta gente ruim existe nesse mundo, meu Deus.
Madá- Mas a avó da Patrícia que é ex-amiga da Megan disse que elas vão dar um jeito, pra eu ficar despreocupada com essa cirurgia.
Antônio- Essas mulheres são muito bem de vida, né?
Madá- Sim, Graças a Deus estão dispostas a ajudar. Não sei o que seria do Ícaro sem elas.
Antônio (acanhado)-Filha eu preciso te contar uma coisa...
Fade-in: Decolagem (Instrumental)- Victor Pozas.
Madá fica intrigada por causa do olhar de receio do seu pai.
Madá (preocupada)- O que aconteceu? (T) Vamos, pai, fala! –Indignada- Não acredito que a Megan aprontou outra.
Antônio- Madá, você tem que saber que eu rec....
Eles são interrompidos com a chegada de uma enfermeira.
Enfermeira- Sr. Antônio?
Antônio- Pode falar.
Enfermeira (sorrindo)- Tenho ótimas notícias!
Madá- O que é, doutora?
Enfermeira- Amanhã o seu pai vai sair do hospital!
Eles comemoram.
Antônio (aliviado)- Graças a Deus.
Enfermeira- Amanhã trago os papéis.
Madá abraça seu pai, e a médica se retira. Antônio e a filha seguram a mão um do outro, sorridentes.
Fade-out: Decolagem (Instumental)- Victor Pozas.
CENA 4: PARQUE IBIRAPUERA-SP/ EXTERIOR/ NOITE/
Megan e Abner caminham pelo local de mãos dadas. Ele olha para todos os lados.
Abner- Tá meio vazio aqui né?
Megan- Também né meu amor, olha a hora.
Abner sorri para ela, safado.
Abner- Pra ter me arrastado até aqui, você só pode tá aprontando alguma coisa.
Megan responde com uma risada safada e ele a pega pela cintura.
Abner- Vai, me diz o que é.
Megan responde com um beijo. Os dois se agarram calorosamente enquanto isso. Megan aproxima-se do ouvido dele.
Megan (sussurrando)- Sabe que eu sempre tive um fetiche de transar num lugar público? – se afasta, encarando-o – E agora eu quero realizar isso contigo. Eu quero trepar bem gostoso com você aqui.
Ela segura o queixo dele e lambe seus lábios, convidando-o a beijá-la novamente. Os dois param, ofegantes.
Abner- Louca.
Ele beija o pescoço dela, sentindo muito tesão. Megan gargalha.
Megan- Eu quero que você me coma ali.
Megan olha para um matagal. Abner sorri pra ela, que pega em sua mão e o arrasta para lá.
CORTA P/ O MATAGAL:
Fade-in: Laureta (Instrumental)- Victor Pozas.
Abner e Megan entram nos matos beijando-se loucamente.
Abner (preocupado)- Será que não tem cobra aqui?
Megan (safada)- Tem... – pegando no pênis dele – Tá aqui ó.
Eles voltam a se beijar enquanto Megan abre o zíper da calça dele, abaixando completamente junto com a cueca. Ela abre seu vestido ficando completamente nua. Abner deita na grama enquanto Megan sobe por cima dele. Eles ficam frente a frente e se beijam com muito tesão. Abner chupa os peitos de Megan e ela o empurra, fazendo-o cair deitado. Em seguida, Megan pega em seu pênis e o coloca em sua vagina. Abner geme de prazer enquanto Megan rebola por cima dele. Dando continuidade as reboladas, ela pega disfarçadamente sua bolsa, tirando uma faca de lá. Com um olhar diabólico, ela encara Abner que está gemendo de tesão.
Megan- Seu maior erro foi ter me enganado.
Ela crava uma faca no peito de Abner, que a olha com os olhos arregalados, em choque. Com muita fúria, Megan crava uma faca mais uma vez no peito dele, que grita. Crava uma terceira vez, finalmente matando-o. Ofegante, ela sai de cima dele, vestindo sua roupa. Ela enrola a faca suja de sangue com um lenço e dá uma última olhada em Abner. A mulher vai até o bolso da calça do falecido namorado e pega seu celular, e depois disto, vai embora dali o mais depressa possível. Close em Abner, pelado, se esvaindo em sangue no peito e pela boca, e com os olhos abertos.
Fade-out: Laureta (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 5: HOSPITAL/ RECEPÇÃO/ INTERIOR/ NOITE/
Manu está sentada ao lado de Alessandra bastante abalada. Alessandra a conforta.
Manu (inquieta)- E o papai que não chega.
Alessandra- Calma, meu bem. Vai ficar tudo bem.
Manu (olha pra ela/ marejando) - Será? Olha, se alguma coisa acontecer com meu irmão eu nem sei...
Alessandra pega na mão dela.
Alessandra- Não vai acontecer nada. Fica tranquila que vai dar tudo certo.
Eduardo chega ao local com Paty. Manu se levanta e vai abraçá-lo.
Manu- Onde é que você tava, pai?
Eduardo- Papai teve que ir resolver uma coisa...
Ele e Paty olham para Alessandra que consegue sacar tudo.
Alessandra- E conseguiu?
Eduardo confirma com a cabeça. Manu e Eduardo se apartam do abraço.
Eduardo (para Manu)- E aí, o médico veio falar com vocês?
Manu- Não, ele tava esperando vocês voltarem. Ah, olha ele vindo aí.
O médico chega com um prontuário nas mãos.
Fade-in: Rock com Dendê (Instrumental)- Victor Pozas.
Eduardo- E então, doutor?
Médico- Não podemos mais esperar. Temos que fazer essa cirurgia o mais rápido possível e como eu disse anteriormente, só será possível com uma transferência para um hospital particular com mais recursos. O caso do seu filho é grave.
Eduardo e Manu ficam aflitos.
Paty (p/Eduardo)- Amor, a gente não tem outra saída. Vamos fazer essa transferência agora.
Eduardo (marejando)- Mas eu não tenho como. Vou pagar essa cirurgia com que dinheiro?
Alessandra- Quanto a isso não há problema, Paty e eu vamos cuidar de tudo.
Paty- É isso mesmo meu amor, sem orgulho agora. Pensa no seu filho.
Eduardo (assente com a cabeça)- Tudo bem.
Paty o abraça, confortando-o.
Fade-out: Rock com Dendê (Instrumental)- Victor Pozas.



CENA 6: CASA DE ANTÔNIO/ QUARTO DE MEGAN/ INTERIOR/ NOITE/
Megan adentra o cômodo e coloca a sua bolsa na cama.
Megan (pálida)- Seu desgraçada, pra que você foi me trair? (T) Eu confiei em você e dei uma chance.
Megan pega o celular de Abner e desbloqueia o dispositivo. Ela vai até o contato de Dorotéia e abre a foto.
Fade-in: Dissimulado (Instrumental)- Victor Pozas.
Megan (sangue nos olhos)- Vamos ver se é tão esperta como eu, sua vadia desgraçada.
A mulher vai para o campo de mensagem e digita.
Megan (digitando)- Você não sabe o que tenho pra te contar? (T) Ouvi a Megan falando ao telefone com alguém que sabia o paradeiro do seu filho e do namorado dele.
A mulher envia. A câmera se divide em duas, em Megan e em Dorotéia, que acabara de receber a mensagem. Megan vê que Dorotéia visualizou a mensagem e sai do WhatsApp.
Megan (triunfante)- Agora é só essa velha burra cair na minha armadilha.
Close em Dorotéia impactada ao ler a mensagem.
Dorotéia (perplexa)- Eu não acredito que aquela desgraçada sabe aonde tá meu filho e aquele baitola do namorado.
A mulher faz uma ligação para o celular de Abner, que toca, mas Megan vê a chamada, sorridente e não atende. Furiosa, Dorotéia desliga e entra no WhatsApp, ela decide mandar um áudio.
Dorotéia (estressada/áudio)- Imbecil, me atende, você não pode me jogar uma bomba dessa e sumir.
Ela envia o áudio e espera uns segundos.
Dorotéia (impaciente/áudio)- Desgraçado, você me paga. Me fala logo o que você sabe. Eu te prometo que você vai ser muito bem pago por isso.
Ela envia o áudio e vê que ninguém visualizou, enquanto a tela do celular de Abner acende por causa de notificações, e Megan ri, debochando, mas Dorotéia permanece sem paciência.
Dorotéia (esbraveja/áudio)- Seu idiota, eu preciso saber onde tá o Fabrício e o Gabriel, porque dessa vez aquele patife que levou meu filho pra longe de mim, não me escapa, eu vou matar ele sem erros, e vai ser com as minhas próprias mãos.
Ela envia o áudio, mas vê que ninguém responde.
Dorotéia- INFERNO!
A câmera fecha em Dorotéia, focando apenas em Megan, que vê 3 notificações da mulher. Agora ela abre os áudios e ouve o que Dorotéia disse, ela se alegra com o conteúdo das mensagens de voz.
Megan (comemora)- E caiu feito um patinho!
Close no olhar diabólico de Megan.
Fade-out: Dissimulado (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 7: AMANHECE/ HOSPITAL ALBERT EINSTEIN/ SALA DE ESPERA/ INTERIOR/
Eduardo, Alessandra, Manu e Paty estão sentados, tensos.
Eduardo (aflito)- Cadê esses médicos que não chegam logo?
Paty- Se acalma, meu amor.
Alessandra- Dá uma aflição na gente, só Jesus!
Manu- Eu espero que o meu irmão fique bem...
Paty- Ele vai ficar, gente. (T) Vamos ter esperança e fé em Deus.
O médico chega e todos se levantam, atentos.
Fade-in: Amores Distantes (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
Eduardo- E aí, doutor?
Médico- A cirurgia do seu filho foi um sucesso, nós colocamos parafusos na coluna dele, agora temos que esperar o efeito da anestesia passe para ver qual foi o resultado.
Eduardo (aliviado)- Graças a Deus.
Paty (agradecida)- Muito obrigada, Doutor, você não sabe como estamos aliviados ao receber essa notícia.
Médico- Alguma pergunta?
Eduardo- Quando ele acordar, eu posso falar com ele?
Médico- Pode sim. (T) Com licença.
O médico se retira, deixando eles a sós. Paty e Manu abraçam Eduardo, que está sorridente. Ele chama Alessandra para o abraço, e ela vai, emocionada.
Eduardo (chora)- Primeiro eu agradeço a Deus, e depois a vocês. –P/ Paty- A você, meu amor, -p/ Alessandra- e a você. (T) Eu e o meu filho seremos eternamente gratos.
Elas sorriem.
Fade-out: Amores Distantes (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
CENA 8: HOSPITAL PÚBLICO/ INTERIOR/ MANHÃ/
Megan e Madá estão perto de Antônio, que está sentado, e arrumado para sair do hospital.
Megan (aflita)- Cadê esse pessoal que não chega logo, hein?
Fade-in: Suspense Dark (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
Madá- Já esperamos até agora, não vem reclamar não.
Megan (raivosa)- Olha aqui, garota, você tá achan...
O médico interrompe eles, e chega com alguns papéis.
Médico- Bom dia, me desculpem pela demora.
Megan (impaciente)- Demora que não foi pouca.
Médico- Senhor Antônio, eu preciso que você assine dois papéis, um o senhor vai levar na prefeitura, porque você precisa declarar o seu afastamento e o outro é para dar baixa no hospital, e preciso que a sua filha assine os documentos também, a de maior, é claro.
O médico entrega os papéis para Antônio assinar e mostra os locais. Megan também assina. E após assinar, Megan fica sorridente.
Madá- Tá rindo do que, sua cadela? (T) É que agora não vai ter mais trabalho com meu pai, né?
Megan- E você quer ter? Fica com ele então dentro de casa o dia todo, sua vaca mirim!
Médico- Megan, você pode me acompanhar? Eu preciso te passar o receituário do seu pai e te explicar como ele vai ser medicado!
Megan (alegre)- Claro que sim, doutor.
Megan e o médico saem. Madá olha com asco para a irmã.
Madá (p/ o pai)- Graças a Deus o senhor vai sair desse lugar.
Antônio (alegre)- Graças a Deus, minha filha, eu já não aguento mais ficar aqui.
Megan chega.
Megan- Vamos?
Madá- Mas já?
Megan- E você acha que eu iria ficar fazendo o que na sala do médico? Programa com ele?
Antônio (autoritário)- Vocês duas parem, pelo amor de Deus.
As duas auxiliam Antônio a andar.
Fade-out: Suspense Dark (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
CENA 9: CASA DE ANTÔNIO/ SALA/ INTERIOR/ MANHÃ/
Megan e Madá colocam o homem sentado no sofá. Madá senta ao seu lado.
Megan- Precisando de alguma coisa, vou estar no quarto.
Madá- No quarto nada, ou você vai lá na farmácia buscar os remédios ou eu vou lá buscar e você fica com o meu pai.
Megan- Espera aí rapidinho.
Megan vai para outro cômodo.
CORTA P/ QUARTO DE MEGAN:
Fade-in: Tony Crimes (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
Ela coloca sua bolsa em cima da cama, e abre a gaveta do criado-mudo, pegando o celular de Abner. A mulher desbloqueia o dispositivo e vai até a galeria. Ela vê uma gravação de tela, e dá play.
Megan (sorridente)- Agora o jogo mudou, Dorotéia, você tá nas minhas mãos.
O vídeo termina. Megan vai até o WhatsApp e decide responder Dorotéia.
Megan (digitando)- Eu não pude te responder ontem, quando ia te retornar, eu tive um contratempo.
Megan envia a mensagem, sorridente. Agora ela bloqueia o celular. Retira um papel da sua bolsa e guarda ele em uma caixa que estava dentro do guarda-roupa, e após deixar o papel lá, ela devolve o objeto para seu guarda-roupas. Megan vai até sua bolsa e pega o receituário de seu pai e tira uma nota de R$ 100,00 reais de lá.
CORTA P/ SALA:
Megan entrega a receita e o dinheiro para Madá.
Madá (p/ o pai)- Já volto.
A menina sai, deixando Megan e Antônio, que se encaram.
Antônio- Precisamos conversar...
Megan (desprezando)- Eu não quero falar sobre isso, me deixa em paz.
Megan liga a televisão, e Antônio fica tenso.
Fade-out: Tony Crimes (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
CENA 10: MANSÃO DOS DANTAS/ SALA/ INTERIOR/ MANHÃ/
Dorotéia desce as escadas, e Isolda está tirando poeira.
Dorotéia- Isolda, a minha mãe e a Patrícia não vieram em casa desde ontem?
Isolda- Nem deram sinal, não ligaram, não falaram nada.
Dorotéia- Que estranho, elas não são assim. Devem estar com o empregadinho de merda.
Dorotéia mexe no seu celular. Ela abre seu WhatsApp e vê a mensagem de Abner.
Dorotéia- Isolda vai pra cozinha porque eu vou fazer uma ligação muito importante.
Fade-in: Explosion (Instrumental)- Eduardo Queiroz.
Isolda está indo, quando ela e Dorotéia se assustam com a porta abrindo bruscamente, e Patrícia entrando.
Dorotéia (indignada)- Mas o que é isso?
Paty (p/ Dorotéia)- Me ajuda a arrumar minhas malas!
Dorotéia (confusa)- Malas? Pra quê?
Paty (sangue nos olhos)- Porque eu vou embora dessa casa. –Decidida- Com você eu não moro mais!
Close em Dorotéia, assustada.
A imagem congela em Patrícia encarando a mãe.

Rajax
Linguagem imprópria
Conteúdo de total responsabilidade do autor                      
×
Rajax
Linguagem imprópria
Conteúdo de total responsabilidade do autor                              
×

Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel