Relações Destrutivas- Capítulo 2.



CENA 1: MANSÃO DOS DANTAS/ QUARTO DE PATRÍCIA/ INTERIOR/ MANHÃ/
Continuação imediata da última cena do capítulo anterior. Eduardo e Megan se encaram, enquanto o sorriso de Patrícia se desfaz.
Patrícia (intrigada)- Por que ficaram estranhos depois da minha pergunta? Eu fui inconveniente?
Megan (disfarça)- Nada, é que eu fiquei surpresa de ver ele aqui. Nos esbarramos na rua ontem, não é? Como é mesmo seu nome?
Eduardo (tímido)- É Eduardo... E sim... Nos esbarramos... (T) Eu preciso ir.
Patrícia- Espera, você não vai pegar a blusa?
Eduardo pega a blusa e sorri. O homem vai, deixando Megan e Patrícia no quarto.
Patrícia (curiosa)- Que clima, amiga. (T) Vocês se conhecem?
Megan (fingida)- Não, é impressão sua.
Megan e Patrícia sorriem uma para a outra.
Patrícia- E então, veio de biquíni?
Megan- É claro, você acha que eu perderia a oportunidade de nadar nessa sua piscina maravilhosa? –Maliciosa- Ainda mais com esse novo gato na sua casa.
Fade-in: Terremoto- Kevinho e Anitta.
Patrícia (disfarça o incômodo)- Ah então quer dizer que você se encantou pelo diarista?
Megan sorri, safada.
Megan- O que importa é o que ele sabe fazer. Não foi você quem disse que no século XXI não devemos mais nos importar com classes sociais?
Megan joga um beijo para a amiga e ela tira o seu vestido, ficando apenas de roupa de nadar.
Patrícia (sorri)- Gata como sempre, amiga.
Elas batem as mãos, gargalhando.
Fade-out: Terremoto- Kevinho e Anitta.
CENA 2: CASA DE GABRIEL/QUARTO/INTERIOR/MANHÃ/
Gabriel e Fabrício despidos na cama e coberto apenas pelo lençol, abraçados, acabam de acordar.
Gabriel- (sorrindo) Bom dia.
Fabrício- (retribuindo) Bom dia.
Eles se beijam. Fabrício se ajeita na cama e o abraça mais forte.
Gabriel- Tá acontecendo alguma coisa, belo?
Fabrício- (desconversa) Nada.
Gabriel- Não mente pra mim. Eu tô percebendo você estranho desde ontem. O que tá pegando?
Fabrício- (sentando-se na cama) É só uns problemas lá em casa. Só isso. Nada que tenha que se preocupar.
Gabriel- Tem certeza?
Fabrício- Tenho, meu amor. Eu só queria ficar mais um pouquinho com você. Se não for te atrapalhar lá no trabalho.
Gabriel- Não vai atrapalhar nada. - puxando-o de volta - Vem cá.
Eles voltam a ficar abraçados. Close em Fabrício que se mantém com a feição preocupada.
CENA 3: MANSÃO DOS DANTAS/ JARDIM/ PISCINA/ INTERIOR/ MANHÃ/
Megan e Patrícia chegam de biquínis à beira da piscina. Elas se olham, animadas.
Paty- Ai, amiga, eu tô sem coragem de pular na piscina.
Megan- Não vai amarelar, né Paty?
Paty- Claro que não, querida. Eu não sou dessas.
Megan e Paty ouvem o barulho de uma vassoura. Elas vêem Isolda e Eduardo lavando a entrada da mansão.
Megan (p/ Paty/ pretensiosa)- Olha só quem está ali, amiga!
Paty- Ai, Megan, você não vai aprontar não, né? (T) Deixa ele trabalhar.
Megan (p/ Eduardo)- Eduardo? –Ele olha- Vem cá por favor.
Eduardo larga o que está fazendo e vai em direção à elas. Isolda fica furiosa.
Eduardo- Pois não.
Megan (manhosa)- Ai, Edu, eu e a minha amiga Paty -olha p/ a amiga- estávamos precisando de alguém que passe protetor solar em nós.
Fade-in: Tragicômica (Instrumental)- Victor Pozas.
Eduardo- Ah sim, eu vou chamar a Isolda.
Megan- NÃO... –Sem graça- Digo... Já que está aqui, por que não passa pra gente?
Paty- Eu prefiro que ele vá trabalhar. (T) Eu posso passar em você.
Eduardo- Ela pode passar.
Megan- Mas minhas costas estão com umas leves dores, preciso de uma mão mais pesada.
Eduardo- Ok, mas tem que ser bem rápido, senão eu atraso meu serviço.
Megan entrega o protetor solar para o homem e vira-se de costas. Ela olha para Paty, piscando, e a jovem faz uma expressão de reprovação. Close em Isolda, furiosa.
Isolda- Que menina descarada.
Ela balança a cabeça, negativamente. Close agora em Eduardo passando protetor nas costas de Megan. Patrícia olha, enciumada.
Fade-out: Tragicômica (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 4: BARRACO/ SALA/ INTERIOR/ MANHÃ/
Dorotéia adentra ao local e olha para tudo em volta, com nojo. O dono da casa fecha a porta e senta-se no sofá, enquanto Dorotéia observa o local.
Homem- Vai falar o que quer ou vai reparar a minha casa toda?
Dorotéia- Não imaginei que me indicariam um lugar tão sujo desses!
Homem- Por que tá assim desse jeito? (T) Veio aqui em busca de um programa?
Dorotéia- Deus me livre!
Ela vai até o sofá para sentar, mas desiste ao ver o móvel sujo.
Dorotéia- Bom eu vou direto ao ponto.
Homem (maléfico)- Diga, madame.
Dorotéia- Soube que você faz o que te pedirem.
Homem- Pagando bem, que mal tem?
Dorotéia- Ótimo, é assim que eu gosto. –Diabólica- E quanto você cobra para ganhar um tiro?
Fade-in: Dissimulado (Instrumental)- Victor Pozas.
Homem- Bala de borracha?
Dorotéia- Sim, pode ser.
Homem- A conta do hospital e R$ 100.000,00.
Dorotéia- Perfeito. (T) E quando pode ser?
Homem- Quando você quiser.
Dorotéia e o bandido sorriem, diabolicamente.
Fade-out: Dissimulado (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 5: MANSÃO DOS DANTAS/BANHEIRO/INTERIOR/MANHÃ/
Eduardo está passando a vassoura no chão, quando Patrícia aparece na porta.
Eduardo- (percebendo-a ali) Você? -ele sorri.
Paty- Eu vim ver se você não tá precisando de alguma coisa.
Eduardo- (sorri) Não tô precisando de nada, pode ficar tranquila. Você já me ajudou demais hoje. - olha a camisa- Tem certeza que seu irmão não vai se zangar por você ter me emprestado a camisa dele?
Paty- Imagina. O Fabrício é gente boa. E ele nem usa mais essa camisa mesmo.
Eduardo joga um balde d’água no chão e começa a passar o rodo para tirar o excesso.
Paty- Tem certeza de que não quer nada? Um copo d’água?
Eduardo- Agradeço, mas não bebo em serviço. Mesmo que seja água. – ri - Só em último caso mesmo.
Paty- Acho tão diferente ver um diarista homem.
Eduardo- (ri) Só você já é a segunda pessoa a me dizer isso hoje. Mas trabalho com isso por falta de oportunidade no mercado mesmo. E eu tenho meus filhos pra criar…
Paty- (rindo) Nunca imaginaria isso de você.
Eduardo- É. Tenho dois filhos de 16 anos. Gêmeos ainda. (T) É, você não imagina como é ter filhos gêmeos aos 16 anos. - pensativo - E ainda ficar viúvo depois.
Paty- (se aproximando) Nossa, eu sinto muito.
Paty escorrega, dando um grito, mas Eduardo a segura antes que ela bata a cabeça no chão. Ela nos braços dele, o olha, assustada. Close nos dois, com os rostos próximos um do outro.
Eduardo- Essa foi por pouco.
Paty- (ofegante) Ai.
Os dois começam a rir e Eduardo a levanta. Patrícia se afasta.
Paty- (sem jeito) Eu vou… Eu vou indo. Se precisar… Se precisar de mim é só chamar.
Patrícia sai do banheiro, sorrindo, aérea. Close em Eduardo, que ri.
Eduardo- (sorrindo) Pode deixar que eu chamo sim.
Ele fica pensativo. 



CENA 6: MANSÃO DOS DANTAS/ SALA/ INTERIOR/ MANHÃ/
Alessandra está sentada no sofá folheando a revista da GMagazine quando a porta da frente se abre e Fabrício entra.
Alessandra- Hum, a noite foi boa hein?
Fabrício- Foi, vovó.
Alessandra- Bom, poderia ter sido melhor se não fosse a sua mãe, não?
Fabrício- (sentando-se ao lado dela) Nem me fala. Fiquei pensando nisso o tempo inteiro e quer saber? Tô muito preocupado. De verdade.
Alessandra- (deixa a revista de lado) Preocupado com o quê exatamente?
Fabrício- Eu tô sentindo uma coisa ruim. -olha pra ela- A mamãe tá aprontando alguma coisa. A forma como ela falou ontem. Eu senti um negócio tão estranho. (T) Eu tenho medo sabe? Não é medo do que ela pode fazer comigo, mas medo do que ela possa fazer com o Gabriel.
Alessandra- A sua mãe não vai fazer nada não, menino. Ela é só uma cachorra que late e não morde.
Fabrício- Não foi isso o que ela dizia através do olhar ontem. 
Fabrício põe as mãos na cabeça, denotando preocupação.
Alessandra- Você gosta muito desse rapaz não é?
Fabrício- (levanta a cabeça e olha pra ela) Eu amo ele, vó. Adoro aquele cara. Ele é diferente de vários com quem já fiquei. Ele é especial. Eu sou capaz de qualquer coisa pra ver ele bem. Sou capaz até de abrir mão dessa casa, desses luxos todos pra viver ao lado dele.
Alessandra- (pondo a mão na dele) Você sabe que de mim você vai ter sempre apoio, não sabe?
Fabrício olha pra ela, lacrimejando. Os dois se abraçam e trocam beijos. Close.
CENA 7: ANOITECE/ RUA/
Close em Gabriel pilotando sua moto. Ele vai chegando à porta de sua casa e encontra um homem caído no chão e ensanguentado. O homem geme de dor. Gabriel estaciona a moto rapidamente e vê que a perna do homem foi atingida por uma bala.
Fade-in: Dissimulado (Instrumental)- Victor Pozas.
Gabriel (apavorado)- O que aconteceu, brother?
Estirado no chão, o homem saca uma arma para Gabriel, que fica com medo.
Homem- Foi você quem queria me matar, né seu vagabundo? (T) Mas eu vou te matar!
Close em Gabriel assustado.
Gabriel- Cara eu não fiz nada com você! (T) Tá me confundindo.
Homem (diabólico/rangendo os dentes)- Você me paga. (T) Eu vou acabar com você em 3, 2 e...
Rapidamente Gabriel toma a arma da mão do homem, que rasteja no chão, tentando se afastar. Gabriel, com a arma na mão, se aproxima dele.
CORTA P/ ATRÁS DE UMA ÁRVORE:
Há um fotografo tirando fotos de Gabriel com a arma na mão, indo atrás do homem atingido.
CORTA P/ GABRIEL E O HOMEM:
Gabriel- Eu não vou te matar.
O homem para de se rastejar.
Homem- Se você não tentou me matar. Me leva para o hospital, por favor!
Gabriel- Claro eu vou chamar a ambulância.
Close em Gabriel ligando. A imagem desfoca nele e foca no fotógrafo com lente da câmera na direção de Gabriel.
Fade-out: Dissimulado (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 8: MANSÃO DOS DANTAS/SALA/INTERIOR/NOITE/
Dorotéia adentra a mansão e Isolda vai recebê-la.
Isolda- (apanhando a bolsa dela) Dona Dorotéia, já chegou?
Dorotéia- (debochada) Não, ainda estou na rua. (T) E então? Tudo certo por aqui?
Isolda- Tudo certo, senhora. Apesar dos contratempos.
Dorotéia- (curiosa) Que contratempos, Isolda?
Isolda- Nada demais.
Dorotéia- E o Eduardo? Chame-o aqui, quero falar com ele.
Eduardo vem da cozinha.
Eduardo- Ouvi meu nome.
Dorotéia- (olha pra ele) Porque você está vestindo a camisa do Fabrício? Aconteceu alguma coisa? - olha para Isolda - O que significa isso, Isolda?
Eduardo- É que…
Isolda- (por cima) Era esse o tal contratempo, dona Dorotéia.
Patrícia desce as escadas acompanhada de Megan.
Paty- A culpa foi minha mamãe. Eu derramei vitamina nele e emprestei uma camisa do Fabrício. Sei que ele não se importaria. - olha para Eduardo - Me perdoe mais uma vez, Eduardo.
Eduardo- Imagina.
Dorotéia- Bom. Agora entendi tudo. Mas não importa! - olha em volta - Vejo que fez um excelente trabalho, Eduardo. - sorri - E sinceramente, eu adorei. Seria pedir demais se você voltasse amanhã?
Paty- Coitado, mãe. Ele já limpou essa casa hoje, o dia inteiro, deve estar morrendo de cansaço. Fora que ele virá depois de amanhã, dá um sossego, né?
Dorotéia- (chamando a atenção dela) Patrícia Beatriz Cristina Dantas! Não se mete!
Paty (repreende)- Você sabe que meu nome não é esse!
Eduardo- (sorri) Claro que volto, dona Dorotéia. Isso só me deixa mais feliz. Sinal que ficou satisfeita.
Dorotéia- Tão satisfeita que vou pagar mais que o combinado.
CORTA P/O ESCRITÓRIO:
Dorotéia entrega a ele um envelope.
Dorotéia- Nesse envelope tem uma quantia maior. E pode ficar com a camisa, não precisa devolver.
Eduardo-(sorri) Eu agradeço. De verdade. Mas agora eu preciso ir.
Dorotéia- Claro. Até amanhã então.
Eduardo- Até. Tchau!
Ele sai do escritório.
CORTA P/ O JARDIM:
Patrícia e Eduardo frente à frente no jardim, enquanto Megan observa os dois ao longe, escondida atrás de uma pilastra. 
Eduardo- Eu tava pensando bem e acho que vai ser ótimo voltar amanhã. (T) Desde que você esteja aqui.
Paty- Claro que vou estar. - ri - Pelo menos a partir das dez e meia. Antes disso tenho aula na facul.
Ele também ri. Megan observando tudo, atenta.
Eduardo- (sorrindo) Acho que valeu a pena eu ter aceitado esse trampo.
Paty- Pode apostar que sim!
Eles continuam se olhando.
Eduardo- Então até amanhã?
Paty-(sorri) Até!
Eduardo dá um beijo na bochecha dela vai embora e Paty fica a observá-lo com um sorriso no rosto, sem graça. Close em Megan, que observava tudo, atenta.
CENA 9: MANSÃO DOS DANTAS/ QUARTO DE ALESSANDRA/ INTERIOR/ NOITE/
Alessandra e Fabrício estão no quarto, sentados e mexendo no celular.
Alessandra- Como é que fala o nome desses aplicativos?
Fabrício- Badoo e Tinder.
Alessandra- Badoo e Tinder...
Fabrício- Isso mesmo.
Alessandra- Liga a caixinha de som em cima da minha penteadeira!
Fabrício liga a caixinha e Alessandra conecta seu celular ao som.
Fade-in: Bola Rebola- Tropkillaz, J. Balvin, Anitta ft. MC Zaac.
Fabrício (sorri/pasmo)- O que é isso, vó?
Alessandra- Aumenta mais!
O menino aumenta a música e faz um barulhão na casa. Alessandra vai até ele e dança.
Alessandra- Vamos, dança comigo também!
Eles dançam, se divertindo. Após alguns segundos Dorotéia entra, furiosa.
Dorotéia (sangue nos olhos)- MAS O QUE TÁ ACONTECENDO AQUI?
A mulher vai até a caixinha e desliga.
Fade-out: Bola Rebola- Tropkillaz, J. Balvin, Anitta ft. MC Zaac.
Alessandra e Fabrício param de dançar.
Alessandra- Você parece ser mais velha do que eu!
Dorotéia (p/ Fabrício)- E você está mais gagá do que a minha mãe.
Alessandra- Chata! –Mostra língua- Você quem deveria ser minha mãe.
Dorotéia- Era só o que me faltava. (T) O que falta agora? Me dizer que quem tomou seu remédio foi o Fabrício?
Alessandra- Não, mas fizemos dois perfis meus em aplicativos de namoro.
Inconformada, Dorotéia balança a cabeça, repreendendo a mãe e Fabrício.
Dorotéia (farta)- Desisto!
A mulher sai do quarto, deixando Fabrício e Alessandra, rindo.
CENA 10: RUA/NOITE/
Eduardo vai caminhando pela rua onde Dorotéia mora, em direção ao ponto de ônibus com sua mochila nas costas. Megan vem correndo atrás dele.
Megan- (gritando-o) Eduardo!
Eduardo para de andar e olha pra ela.
Eduardo- (estranhando) Megan?
Megan- Queria pedir desculpas por hoje mais cedo. Interrompi seu trabalho né?
Eduardo- Não interrompeu coisa alguma. Pode ficar tranquila. -ri- E eu adorei o showzinho de ontem.
Megan- (atirada) Gostou é?
Eduardo- (olha pra ela, sorrindo) Você é uma figura mesmo. (T) Eu já vou indo. Até amanhã.
Eduardo se vira e esbarra num lixeiro que estava varrendo a rua. Os dois acabam caindo no chão. Megan ajuda Eduardo a se levantar, que ajuda o lixeiro. Megan percebe que é Antônio, seu pai, que a encara.
Eduardo- (para o lixeiro) Me desculpa, cara. Eu não te vi.
Megan- (para Antônio) Você deveria tomar mais cuidado, seu imbecil.
Eduardo- (indignado) Não precisa falar assim, ô Megan. - para Antônio - Você tá bem?
Megan- Claro que esse idiota tá bem, Eduardo. Esquece isso aí. - tocando nele - Melhor você ir logo pra casa. Com a violência que tá essa cidade, é bom tomar cuidado.
Eduardo- (se afasta, sério, indignado) Pode deixar que eu sei me defender. - para Antônio- Me desculpe de novo.
Eduardo sai dali, com raiva da atitude dela. Megan se aproxima de Antônio com raiva.
Megan- Viu só o que você fez? Seu velho imbecil!
Antônio- (marejando) Você ainda vai pagar por tudo o que faz comigo, minha filha. O castigo divino chega para todos!
Megan- (ríspida) Bom, pelo visto esse castigo já chegou pra mim, não é? Porque ser sua filha já é um castigo! Não acha?
Megan se afasta.
Antônio- (fala sozinho) Tem razão. Ter você como filha só pode ser um castigo mesmo.
Close nele, pensativo.
CENA 11: CASA DE MEGAN/ SALA/ INTERIOR/ NOITE/
Madá está fazendo janta. Ela tampa uma panela e pega seu celular. A câmera divide em duas, focando nela e Ícaro, que está em seu quarto deitado. Eles estão com seus celulares nas mãos e sorrindo.
Fade-in: Deixa- Lagum e Ana Gabriela.
Madá (sorri)- Que fofo. –Lendo a mensagem de Ícaro- Será que podemos nos encontrar?
Ela digita uma mensagem para o menino e envia.
Ícaro (lendo/sorrindo)- Se você continuar assim eu vou me apaixonar, e sim, podemos nos encontrar.
O sorriso do menino fica mais aberto. Ele manda um emoji de coração para ela.
Ícaro (áudio)- Pode se apaixonar, ao contrário daquela frase que diz que “eu não presto”, eu sim presto, gatinha!
Close em Madá ouvindo o áudio de Ícaro, sorrindo. Ela abre a foto perfil dele e olha, apaixonada.
Madá (áudio)- Então está bom. Nos encontramos daqui 1 hora naquele lugar que combinamos.
Ela envia o áudio e ele escuta. Ícaro manda um emoji de beijos para ela. Close nos dois bloqueando a tela do telefone e felizes.
Fade-out: Deixa- Lagum e Ana Gabriela.
CENA 12: CASA DE EDUARDO/ SALA/ INTERIOR/ NOITE/
Eduardo adentra sua casa e estranha ao ver que seus filhos não estão ali.
Eduardo- Ícaro? (T) Manu? - caminhando em direção aos quartos - Cadê o povo dessa casa?
CORTA P/ O QUARTO DE MANU:
Manuela chorando, deitada na cama. Eduardo entra no quarto e vê a filha daquele jeito, ficando preocupado.
Eduardo- (sentando-se na cama, ao lado dela) Filha, o que aconteceu? Porque tá chorando desse jeito, o que houve?
Manuela- (chorando) Eu terminei meu namoro com o Brian, pai. (T) Eu peguei ele com outra no banheiro do colégio. Me traindo.
Eduardo- (penalizado) Oh, meu amor. - abraçando-a -Vem cá.
Os dois se abraçam e Manu chora ainda mais.
Eduardo- Pode chorar. Seu pai tá aqui com você.
Manuela- (chorando) Eu já tava planejando tudo, pai. Pensando em ficar de vez com ele, mesmo depois que acabasse a escola. A gente já conversou várias vezes sobre isso e o Brian nem teve consideração comigo. Na primeira oportunidade que teve, me traiu. Acabou com tudo desse jeito. Com tudo o que eu tinha planejado. Acabou com nós dois.
Eduardo- Ele não te merecia, filha. (T) Você é uma menina ótima, estudiosa, inteligente, esforçada. Você sim, merece algo bem melhor. (T) Essa dor que você tá sentindo vai passar e você vai se tornar uma mulher maravilhosa. Tudo o que tá acontecendo agora só vai servir como aprendizado. Lá na frente, tudo isto vai ser apenas uma lembrança qualquer do seu passado.
Ele acaricia os cabelos dela, que deita a cabeça no peito dele.
Manuela- (marejando) Espero que passe logo. Não quero viver minha vida com isso aqui dentro.
Eduardo dá um beijo nela, e os dois continuam abraçados. Close.
CENA 13: MANSÃO DOS DANTAS/ QUARTO DE DOROTÉIA/ INTERIOR/ NOITE/
Dorotéia sai do banheiro, vestida com um roupão de banho. Ele vê o seu celular vibrando na cama, e aflita vai até ele para atendê-lo.
Dorotéia- Alô?
A imagem alterna entre ela e o fotógrafo contratado.
Fotógrafo- Eu falo com a Dorotéia?
Dorotéia- Não, é a Madonna. (T) É claro que sou eu!
Fotógrafo- Poderia ser outra pessoa. Achei melhor perguntar do que já falar de cara.
Dorotéia (animada)- Então quer dizer que o plano deu certo?
Dorotéia- Ele agiu conforme as nossas suposições.
Fade-in: Rock com Dendê (Instrumental)- Victor Pozas.
Dorotéia (alegre)- SÉRIO?
Fotógrafo- Sim. Amanhã eu mando as fotos para a sua residência.
Dorotéia desliga a ligação e dá um pulo de alegria.
Dorotéia (comemorando)- DEU CERTO! (T) ISSO!
A mulher gargalha e se joga na cama. Patrícia entra no quarto da mãe, assustada. A senhora está muito eufórica.
Patrícia- Mãe a senhora tá ficando doida?
Dorotéia (extasiada)- TÔ, MINHA FILHA, LOUCA DE FELICIDADE.
Dorotéia levanta-se da cama e abraça a filha, que fica abismada com a atitude da mulher.
Fade-out: Rock com Dendê (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 14: RUA/NOITE/
Madá vem andando pela rua deserta onde tem uma fileira de carros estacionados no meio fio. De repente, Ícaro sai de trás de um desses carros agarrando-a por trás. Madá dá um grito, fazendo eco pela rua.
Ícaro- (colocando a mão na boca dela e rindo) O que é isso, sua louca?!
Em seguida, ele a enche de beijos. Madá se solta de Ícaro, dando vários tapas no menino.
Madá- Seu ridículo, idiota! Tá querendo me matar de susto é? 
Ícaro- (se aproximando dela e abraçando-a) Quê isso gatinha, eu quero é te matar de beijo. Isso sim.
E volta a beijá-la. Ela fica se fente pra ele e os dois se beijam com vontade, encostados em um dos carros.
Madá- Cuidado pra não amassar o carro dos outros.
Em seguida, voltam a se beijar.
Ícaro- Tava doido pra te ver, sabia? Desde a hora que você me mandou aquela mensagem.
Madá- Também tava, bebê. Aliás, a gente tem que combinar de você me ensinar aquele assunto dificílimo de matemática que não consigo absorver de jeito algum.
Ícaro- Ah, gatinha, não fala de colégio uma hora dessas não. Vamos curtir a gente um pouquinho.
Eles se beijam com vontade, se agarrando com muito fogo. Ícaro passa a mão na bunda dela enquanto beija se pescoço.
Madá- (afastando-o) Wow. Tô sentindo um negócio aqui hein? (T) Não é melhor a gente ir pra um lugar mais -passando a mão pelo corpo dele- agradável?
Ícaro- (encarando-a) Tá dando pra ler minha mente agora é?
Madá sorri e os dois voltam a se beijar intensamente.
CENA 15: AMANHECE/ MANSÃO DOS DANTAS/ JARDIM/ INTERIOR/
Megan e Patrícia descem do carro. Megan tira o óculos ao ver Eduardo de camiseta, mostrando os braços fortes e podando as flores.
Megan (se aproximando)- Amei.
Patrícia revira os olhos e entra para a mansão.
Eduardo (sorri forçado)- Estão lindas mesmo.
Megan- Estou falando de você.
Eduardo- Eu preciso trabalhar.
Antes que Eduardo saia, Megan segura seu braço. Ele fica de frente para ela.
Fade-in: Terremoto- Kevinho e Anitta.
Megan- Tá assim por que eu maltratei aquele lixeiro ontem?
Eduardo- O que você acha?
Megan- Ah, qual é, eu me arrependi. (T) Eu até voltei lá e pedi perdão para ele.
Megan sorri, e Eduardo também.
Megam- Não acredita em mim? Podemos ir lá perguntar ele.
Eduardo- Eu acredito.
Megan- Sabe eu te conheci anteontem, mas eu jamais faria algo que te deixasse triste.
Megan vai se aproximando de Eduardo.
Eduardo (encurralado)- Megan eu tô no meu período de trabalho.
Megan (sensual)- Um minuto não faz mal.
Megan beija Eduardo, que tenta se esquivar, mas continua beijando. Close em Patrícia da janela de seu quarto observando a cena.
A imagem congela em Patrícia, decepcionada.

Rajax
Linguagem imprópria
Conteúdo de total responsabilidade do autor                      
×
Rajax
Linguagem imprópria
Conteúdo de total responsabilidade do autor                              
×

Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel