Relações Destrutivas- Capítulo 5.




CENA 1: RUA/ NOITE/
Fade-in: Misterioso (Instrumental)- Victor Pozas.
Close em uma ambulância chegando ao local. Um casal e alguns curiosos estão parados junto ao corpo de Gabriel, que está estirado no chão. Os paramédicos abrem a porta detrás da ambulância, pegam a maca e vão até o corpo de Gabriel.
Paramédico 1 (p/ o casal)- O que aconteceu?
Mulher- Nós vimos um carro se jogando pra cima da moto desse rapaz.
Homem- A gente tava do outro lado da rua andando, aí viemos aqui socorrê-lo.
Enquanto os outros profissionais verificam a saúde de Gabriel, o paramédico 1 conversa com o casal.
Paramédico 1- Então quer dizer que foi um atentado?
Homem- Sim, mas nós não conseguimos ver a placa do veículo, o vidro estava fechado e não vimos nada.
Paramédico 1- Precisamos chamar a polícia para fazer uma ocorrência.
Os agentes da saúde colocam Gabriel na maca e dentro da ambulância.
Paramédico 1- Eu preciso ir, mas peço que vão à delegacia e façam uma denúncia, qualquer coisa peça para eles irem ao hospital e pedirem informações sobre o paciente.
O paramédico vai, deixando eles.
Fade-out: Misterioso (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 2: HOSPITAL PÚBLICO/ RECEPÇÃO/ INTERIOR/ NOITE/
Megan adentra ao local e vai até a recepcionista.
Megan- Boa noite.
Recepcionista- Boa noite.
Megan- (cont.) Meu pai está internado neste hospital, eu gostaria de vê-lo.
Recepcionista- Nome do paciente?
Megan- Antônio Rodrigues Campos.
Madá chega ao local acompanhada de Ícaro.
Madá- Megan!
Megan prontamente vai até ela.
Megan- Vim o mais rápido que pude!
Madá- Olhando assim até parece que ama nosso pai.
Megan- Se me chamou aqui pra me insultar, eu vou embora agora mesmo.
Madá- Não! Ele não pode passar a noite aqui sozinho, precisa de uma acompanhante maior de idade e como só tem você...
Megan- Incrível que na hora de me xingar, de partir pra cima de mim você não dirige a palavra a minha pessoa com essa voz tão aveludada, né?
Madá- (respirando fundo) Megan, não é hora pra falar sobre isso!
Ícaro- (para Megan) Olha só, garota, é o seu pai que tá passando por uma cirurgia lá dentro, correndo riscos. Será que você não tem um pingo de humanidade não?
Megan- (em tom de deboche) Se eu não tivesse, nem estaria aqui, você não acha?
Ícaro e Madá impacientes.
Megan- (para Ícaro) E vem cá, quem é você mesmo?
Ícaro- (irônico) Papai Noel.
Megan- Sério? Cadê seu brinquedinho?
Madá- (perde a paciência) OLHA AQUI GAROTA/
Ícaro abraça ela, fazendo com que se acalme.
Megan- (debochada) Melhor não se estressar hein, Madalena. Daqui a pouco você dá um ataque do coração e vai precisar se internar igual seu Antônio.
Megan ri. Vê Ícaro abraçando Madá.
Megan- E parabéns, maninha. Arranjou logo um gostoso pra poder aturar essa sua chatice. Pelo menos nisso você se parece comigo.
Megan vai até a recepcionista e pega seu adesivo de acompanhante.
Megan- Agora vou tomar um café. Já que vou passar a noite nessa porcaria de hospital, preciso de alguma coisa pra me manter acordada.
Ela sai.
Madá- Eu juro que ainda quebro essa desgraçada na porrada. Juro!
Close nela.
CENA 3: MANSÃO DOS DANTAS/ QUARTO DE FABRÍCIO/ INTERIOR/ NOITE/
Fabrício chora abraçando Isolda. O homem está desolado.
Fabrício- Eu não tô acreditando nisso, Isolda. (T) Coma a minha mãe soube disso?
Isolda- Eu não sei, Fabrício, mas tenta ficar calmo e vamos pensar que ela ainda não fez nada com o seu namorado. (T) Ou que se fez, deu errado.
Eles se afastam e seguram as mãos um do outro.
Fabrício- Obrigado, Isolda, muito obrigado mesmo.
A porta do quarto se abre, abruptamente. Dorotéia entra, olhando maleficamente para os dois.
Fade-in: Lampejo (Instrumental)- Victor Pozas.
Dorotéia (malévola)- Que ceninha mais ridícula. –Gargalha- A empregada e o patrão tendo uma bela amizade! (T) –P/ Fabrício- Jurava que se não fosse bicha, eu pensaria que os dois têm um caso.
Isolda- Deus me livre, Dona Dorotéia, o Fabrício tem idade de ser meu filho.
Dorotéia (grossa)- Cala a boca! Some da minha frente antes que eu te demita!
Isolda sai, correndo. Dorotéia se aproxima do filho, que está de cabeça baixa. A mulher levanta-o, pelo queixo, fazendo ele olhá-la.
Dorotéia- Como foi o término? Doloroso? (T) Mas você sabe que é o melhor. –Diabólica- Ou será que você decidiu me desobedecer?
Fabrício- VOCÊ É UM MONSTRO! EU SÓ POSSO SER ADOTADO, NÃO É POSSÍVEL!
Dorotéia- CALA A BOCA! (T) TÁ ACHANDO QUE EU NÃO SEI DO SEU PLANO DE FUGA COM O GABRIEL? (T) VOCÊ DEU SORTE QUE NÃO MANDEI MATAR ELE.
Fabrício- E você acha que eu sou trouxa? Acha que eu não sei?
Dorotéia (irônica)- Eu acho que você quem deve pensar isso de mim, porque tenho certeza que achou que não iria descobrir isso, mas como você pode ver, eu descobri. –Debocha- Quer um conselho? (T) Acho que se ama mesmo de biba, você deveria manter distância. (T) -Maléfica- Da próxima vez, tenha certeza de que não vou poupar a vida de ninguém!
Dorotéia sai do quarto, deixando Fabrício. O jovem chora amargamente. Furioso, ele bate a porta do quarto e dá uns socos, enquanto chora.
Fabrício- AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA..... (T) LIXOOOOO, EU TE ODEIO, ODEIOOOOOOOOOOOOOOO...
O menino pega o seu abajur e joga-o na parede. Close no rosto dele, que não pára de sair lágrimas.
Fade-out: Lampejo (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 4: AMANHECE/ MANSÃO DOS DANTAS/ SALA DE JANTAR/ INTERIOR/
Alessandra está tomando seu café, sozinha. Isolda de pé.
Alessandra- A desnaturada da minha filha, onde está?
Isolda- Saiu cedo e não disse aonde ia.
Alessandra- Graças a Deus saiu. Só assim pra essa casa ter um pouco de paz. Espero que ela tenha ido caçar um macho né?
Isolda- Coitado desse macho.
Alessandra- (ri) Realmente, Isolda. Sabe o que eu fico achando? Que a minha filha vai morrer seca, por dentro e por fora.
Elas riem.
Alessandra- Cadê a Patrícia?
Isolda- Tá no quarto, deve estar dormindo ainda...
Alessandra- E o Fabrício?
Isolda se cala. Alessandra incomodada.
Alessandra- Porque tá fazendo essa cara, criatura? Aconteceu alguma coisa com o Fabrício?
Isolda- Não, dona Alessandra.
Alessandra- (pressiona) O que houve, Isolda?
Isolda- (desconversa) Nada... Nada demais. – prestes a sair – Com licença.
Alessandra- (séria) Volta aqui!
Isolda volta.
Alessandra- Fala logo! O que tá havendo nessa casa que eu não sei?
Isolda- (temerosa) Se a dona Dorotéia descobrir que eu sei disso, ela me mata.
Alessandra- Disso o quê? Fala, criatura!
Isolda- (baixo) Eu ouvi a dona Dorotéia armando com um cara... pra matar o Gabriel, namorado do Fabrício.
Fade in: (Instrumental) – Rock com Dendê – Victor Pozas, Daniel Musy e Rafael Langoni.
Alessandra arregala os olhos.
Alessandra- (chocada) O quê?
Isolda- Dona Alessandra, pelo amor de Deus, não conta para a dona Dorotéia que eu te disse isso.
Alessandra- (ainda em choque) Não, pode deixar, Isolda! Fica tranquila.
Isolda­- Eu vou pra cozinha.
Ela sai. Alessandra fica pensativa e bastante chocada.
Fade out: (Instrumental) – Rock com Dendê – Victor Pozas, Daniel Musy e Rafael Langoni.
CENA 5: MANSÃO DOS DANTAS/ QUARTO DE PATRÍCIA/ INTERIOR/ MANHÃ/
Fade-in: Kiss Me- Ed Sheeran.
Patrícia está em seu quarto, sentada na cama. Ela fica pensativa enquanto se vê no espelho, que está em frente à ela.
Paty- Ele não veio hoje. (T) Vou ficar um dia sem vê-lo. (T) Parece que é como se fosse um mês...
Patrícia se levanta e vai até o closet. Ela pega um vestido branco e coloca em frente seu corpo, enquanto se olha no espelho.
Paty- Será que ele vai gostar se eu usar esse vestido?
Ela dá um sorriso.
Paty- Tô parecendo uma boba...
Ela fecha os seus olhos, contente.
Flashback:
Eduardo- Paty, sobre o que houve ontem eu...
Paty (interrompe)- Olha eu acho melhor eu entrar. –Saindo e é segurada pelo braço por Eduardo- Por favor, Edu, me deixa ir.
Eduardo- Precisamos conversar.
Ela tenta se soltar, mas Eduardo não permite e puxa-a, fazendo ficar em frente a ele.
Paty- Conversar o que, Eduardo? (T) Já disse o que eu tinha pra dizer ontem.
Ele coloca a sua mão nos ombros dela.
Eduardo- Patrícia, a mulher que eu estou super a fim é você. (T) Eu só penso em você desde que te vi e confesso que foi um alívio para mim que a Megan não pôde sair comigo. (T) Se você me pedir agora, Patrícia, eu juro que eu desisto de conhecer a Megan e dou uma chance para nós.
Paty fica impactada com as palavras de Eduardo. Enquanto ele segura um lado do rosto dela com sua mão. Seus rostos vão se aproximando, e agora Eduardo segura com as duas mãos o rosto de Patrícia, e seus narizes se encostam. Eles suspiram forte e engolem seco.
Fim do flashback.
Patrícia guarda o vestido no seu closet. Ela tem uma ideia e vai correndo para a sua cama, e pega seu celular. Close na tela do smartphone e aparece o perfil do Facebook de Eduardo.
Paty (tímida)- Ai que vergonha, será que eu mando um convite?
Ela aperta na opção de “adicionar aos amigos”. Close na expressão de aflita da jovem.
Fade-out: Kiss Me- Ed Sheeran.



CENA 6: MANSÃO DOS DANTAS/ SALA/ INTERIOR/ MANHÃ/
Dorotéia entra na mansão e já chega falando com Isolda e subindo as escadas.
Dorotéia- Isolda, eu quero que venha ao meu quarto preparar meu banho de espumas pra ontem. Eu vou subir e estou te esperando.
Dorotéia termina de subir. Tempo. Fabrício desce as escadas, ágil.
Fabrício- Isolda...
Isolda- Fabrício, ainda bem que você desceu. Eu vou pegar alguma coisa pra você comer/
Fabrício- (interrompe) Obrigado, mas não quero não, Isolda/
Isolda- (por cima) Você não pode ficar sem se alimentar...
Fabrício- Eu tô bem, não se preocupe. Eu quero que você me faça um grande favor.
Isolda- Pode dizer.
Fabrício- Eu preciso que você vá até o hospital ver como o Gabriel está pra mim.
Isolda- (reage) Ficou louco? Se eu fizer isso, a sua mãe me mata.
Fabrício- Ela não vai saber de nada. Por favor, Isolda, me ajuda. Eu não vou aguentar ficar trancafiado nessa casa sem saber notícias do Gabriel.
Isolda- Tudo bem... Mas você não sabe em qual hospital ele está, ou sabe?
Fabrício- Com certeza deve ter ido pra algum hospital público dessa cidade. Você não tem uma amiga que trabalha como recepcionista em um desses hospitais daqui?
Isolda- Tenho sim... Olha, eu vou fazer o seguinte: vou ligar pra essa minha amiga. Ela trabalha na recepção do hospital do servidor público. Eu peço pra ela checar as informações, tudo direitinho, e se ele estiver nesse ou em algum outro hospital público, eu vou saber.
Fabrício- E você vai até lá, né?
Isolda- Vou...
Fabrício abraça Isolda.
Fabrício- Muito obrigado, Isolda! De verdade! Olha só... hoje a Megan vem aqui de noite. Você vai aproveitar que a minha mãe vai estar distraída e sair pela porta dos fundos, certo?
Isolda- Tudo bem! Espero que isso não comprometa meu emprego aqui.
Fabrício- Não vai, pode deixar.
Ele sobe, voltando pro quarto.
CENA 7: MANSÃO DOS DANTAS/ JARDIM/ EXTERIOR/ MANHÃ/
Paty vem caminhando pela área da piscina com uma tigela cheia de salada de frutas. Elas senta-se numa mesa embaixo de um sombreiro, resguardando-a.
Paty- Preciso ligar para a Megan.
Ela coloca a tigela na mesa e pega seu celular. Paty faz a ligação para Megan, que atende. A câmera alterna entre as duas.
Megan- Oi, amiga.
Paty- Oi, Megan. Eu liguei para saber sobre seu pai. Como ele tá?
Megan- Trouxe ele para o hospital particular mesmo. (T) Ele sofreu um infarto, amiga, mas já fez uma cirurgia ontem e está inconsciente. (T) Mas foi um sucesso.
Paty- Que bom, graças a Deus. Fico mais aliviada. (T) Me fala aonde você tá, eu vou fazer uma visita.
Fade-in: Decolagem (Instrumental)- Victor Pozas.
Megan (encurralada)- Não, não precisa, Paty... Quer dizer, o meu pai não gosta de visitas. Ele é muito orgulhoso e sistemático.
Paty (intrigada)- Sério? Nossa, então eu não vou... Mas se precisar da minha ajuda, pra qualquer coisa, pode me pedir.
Megan (falsa)- Obrigada, Paty... Você de verdade é a melhor amiga que alguém poderia ter.
Paty- Ah que isso... Eu não vou te incomodar mais, vou desligar, beijos.
Megan- Beijos.
Paty desliga a ligação e a câmera foca apenas nela, confusa.
Paty (desconfiada)- Estranho...
Ela coloca seu celular em cima da mesa e volta a comer sua sobremesa.
Fade-out: Decolagem (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 8: MANSÃO DOS DANTAS/ QUARTO DE DOROTÉIA/ BANHEIRO/ INTERIOR/ MANHÃ/
Dorotéia está na sua banheira relaxando quando Alessandra adentra o local.
Dorotéia- Se veio ver se algum dos machos que você pega estão aqui, se enganou, Alessandra.
Alessandra- As vezes eu não te reconheço, Dorotéia. Olho pra você, pra essas atitudes suas e vejo que você não tem nada a ver comigo. Será que eu sou mesmo a sua mãe?
Dorotéia- É verdade, Alessandra, eu me dou ao respeito e não fico por aí bancando a papa anjos. Realmente. Será que eu sou mesmo a sua filha? Acho que não!
Alessandra- Fique você sabendo de uma coisa: Seja lá o que você estiver aprontando aqui, nesta casa, mais cedo ou mais tarde a verdade virá à tona.
Dorotéia- (intrigada) O que quer dizer com isso?
Alessandra- Espere... e verá!
Em seguida, Alessandra sai do banheiro, deixando Dorotéia intrigada.  
CENA 9: ANOITECE/ CASA DE EDUARDO/ SALA/ INTERIOR/
Eduardo está vendo televisão. Ele sorri ao ver Ícaro entrando. O menino vai até o pai abraçando ele.
Eduardo- E aí, meu filho, como você está?
Ícaro- Cansado, pai.
Eduardo sorri.
Eduardo- E como está o seu sogro?
Ícaro- Pai, ele ainda não tá muito bem, mas não está tão mal. Fez uma cirurgia e está se recuperando. Eu não pude falar com ele, e conhecê-lo nessa situação acho que não é bom.
Eduardo- Verdade. –Sorrindo- E a sua namorada? Cuidou bem dela?
Ícaro- Sim, pai, mas ela tá meio abatida com o que tá acontecendo com o pai e o jeito que aquela irmã nojenta trata eles! (T) Tenho um ódio dela.
Fade-in: Tony Crimes (Instrumental)- Rodolpdo Rebuzzi.
Eduardo- Sabe que eu já estou louco pra conhecer essa menina e perguntar ela o que tem na cabeça pra ser assim? Tá ficando famosa ela.
Ícaro- Eu também não consigo entender ela. (T) E além de tudo é debochada, tá?
Eduardo- Fala pra sua namorada manter a cabeça firme no pai dela e esquecer essa irmã chata dela.
Ícaro- Falo sim, pai. (T) Posso dormir? Tô mortão!
Eduardo- Vai lá, filho.
Ícaro dá um abraço e um beijo no rosto de seu pai. Feito isso, ele se retira, deixando Eduardo pensativo.
Fade-out: Tony Crimes (Instrumental)- Rodolpdo Rebuzzi.
CENA 10: MANSÃO DOS DANTAS/ SALA/ INTERIOR/ NOITE/
Patrícia, Dorotéia, Alessandra e Fabrício estão na sala, sentados e se olhando.
Paty- Eu não entendo o porquê de não começar isso logo. (T) –P/ Fabrício- Que mistério é esse?
Dorotéia (cínica)- Eu também queria saber o que tá acontecendo aqui.
Fabrício olha para a mãe, revirando os olhos, sem que Alessandra e Paty percebam.
Fabrício- Temos que esperar uma pessoa chegar.
A campainha toca e Isolda corre para atender. Megan vai até eles, Alessandra e Patrícia ficam confusas, e Dorotéia finge.
Megan- Olá, gente, eu demorei, mas cheguei.
Patrícia (curiosa)- O que você tá fazendo aqui, Megan? –P/ o irmão- Que isso?
Alessandra (confusa)- Que palhaçada é essa? Eu não tô entendendo mais nada. (T) Não acredito que dispensei uma chamada de vídeo picante no Skype para isso.
Dorotéia olha para a mãe, repreendendo.
Dorotéia- Bom, vamos ouvir o que o Fabrício e a Megan tem a dizer!
Fabrício se posiciona ao lado de Megan, segurando a cintura dela.
Fabrício- Eu e a Megan chamamos vocês aqui porque temos algo pra dizer.
Eles se olham, sorrindo.
Megan- É com muito prazer que eu e o Fabrício damos a vocês a notícia de que... estamos namorando...
Fade-in: Subindo a Ladeira (Instrumental)- Victor Pozas.
Alessandra (chocada)- Namorando?
Paty (desacreditada)- Não... Isso só pode ser uma brincadeira... (T) Namorados? –P/ Megan- Nada contra você, -P/ Fabrício- mas você não é gay?
Alessandra (p/ Dorotéia)- Você não tem nada a ver com isso, né?
Dorotéia (falsa)- Claro que não, eu estou tão surpresa quanto vocês. (T) O Fabrício disse que amava tanto aquele namoradinho dele. –Olhando p/ Fabrício- Estou passada na farofa.
Fabrício- Gente, se acalmem. –P/ Paty e Alessandra- Dessa vez a minha mãe não tem nada a ver com isso. (T) Eu descobri que meu amor estava fraco pelo Gabriel quando comecei a olhar para a Megan.
Paty (p/ Megan)- E o Eduardo? Você não tava a fim dele?
Dorotéia- Que história é essa? (T) Namorar o meu filho a fim de outro cara não!
Megan- Foi só uma atração, Paty, eu percebi que também estava envolvida pelo Fabrício...
Paty- Eu estou perplexa com toda essa situação. Eu preciso pensar.
Paty sobe para seu quarto.
Alessandra- E eu preciso responder alguns boys.
Ela sai, apressada, deixando Dorotéia, Fabrício e Megan. Após certificar-se de que não há ninguém, Dorotéia aproxima-se do filho e segura o seu queixo.
Dorotéia (sorrindo)- Bom trabalho, meu filhinho. –Manda um beijo- Vou deixar os pombinhos a sós.
Ela sai, enquanto Fabrício encara Megan, que sorri.
Fade-out: Subindo a Ladeira (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 11: MANSÃO DOS DANTAS/ QUARTO DE PATRÍCIA/ INTERIOR/ NOITE/
Patrícia está em seu quarto, pensativa. De repente, ela pega seu celular e começa a discar.
Paty- Alô, Eduardo?... Como é que você tá?... Sei... Eu fico feliz, estou bem... Edu... Eu quero te encontrar... Muito mesmo... Será que posso ir aí na sua casa?... Okay, estou indo... Beijo!
Ela desliga, pega sua bolsa e sai do quarto como um furacão.
CENA 12: HOSPITAL PÚBLICO/ INTERIOR/ NOITE/
Fade-in: Amores Distantes (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
Antônio acorda quando sua cama está sendo empurrada para uma ala do hospital. A enfermeira coloca o homem em um local com alguns pacientes acamados. Ao seu lado está Gabriel, e do outro lado, é uma pessoa não identificada. Antônio chora, amargamente.
Flashback:
Megan se aproxima de Antônio com raiva.
Megan- Viu só o que você fez? Seu velho imbecil!
Antônio- (marejando) Você ainda vai pagar por tudo o que faz comigo, minha filha. O castigo divino chega para todos!
Megan- (ríspida) Bom, pelo visto esse castigo já chegou pra mim, não é? Porque ser sua filha já é um castigo! Não acha?
Megan se afasta.
Antônio- (fala sozinho) Tem razão. Ter você como filha só pode ser um castigo mesmo.
Close nele, pensativo.
Fim do flashback.
Antônio (voz embargada/fraco)- Por que, meu Deus?
Ele vê Madá chegando com um copo de café. Ela percebe que o pai estava chorando.
Madá- Aposto que tava chorando por causa da Megan.
Antônio- Dói, Madá. (T) Não tem como esquecer o que ela faz comigo.
Madá- Esquece essa menina, pai, pelo menos agora, por favor.
Ela limpa as lágrimas do pai.
Antônio- Não era ela que devia estar aqui comigo?
Madá- Graças a Deus me deixaram ficar aqui porque ela estuda pela manhã e não tem condições de ficar a noite com o senhor, aí como eu era a única pessoa além dela, eles me deixaram ficar.
Antônio- A sua irmã poderia ser mais como você, Madá. –Orgulhoso- Eu te amo tanto, minha filha.
Madá- E eu te amo mais ainda. (T) Eu sinto muito orgulho do senhor.
Madá dá um beijo no pai.
Madá- E esquece aquela ingrata. Nada de pensar nessa menina. Quero o senhor se recuperando pra ir pra casa logo e eu cuidar muito bem de você.
Eles sorriem um para o outro.
Fade-out: Amores Distantes (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
CENA 13: CASA DE EDUARDO/ FRENTE/ EXTERIOR/ NOITE/
Paty termina de estacionar seu carro e vai correndo de encontro a Eduardo, abraçando-o forte.
Fade-in: Kiss Me- Ed Sheeran.
Eduardo- (sorri) Nossa...
Paty (manhosa)- Eu senti tanta falta, Edu.
Eduardo- (rindo) Mas só ficamos um dia sem se ver, Paty.
Eles se soltam e olham-se intensamente.
Paty (tímida)- Pra mim, esse um dia foi como se fosse um mês inteiro.
Eduardo (desabafa)- Não vou mentir... eu também fiquei morrendo de saudades de você. Paty, qual é? Vamos acabar logo com essa barreira que existe entre nós dois. Eu quero muito ficar com você. Eu já não aguento mais ficar afastado de você, sendo evitado, sabendo que você me quer também.
Paty (amorosa)- Eu não sei como, Edu, mas eu gosto tanto de você em pouco tempo... Eu tentei evitar, mas não tem como. Estava escrito nas estrelas.
Eduardo (apaixonado)- O que nós sentimos vai além das estrelas, amor.
Paty sorri quando ouve a palavra “amor”.
Paty- Do que você me chamou?
Eduardo- Amor? –Sorrindo- Por quê? Não posso te chamar disso?
Paty- Pode...
Close no rosto dos dois se aproximando. Eles seguram o rosto um do outro e se olham nos olhos.
Eduardo (ofegante)- Agora nada vai atrapalhar esse momento que eu tanto queria.
Paty (intensa)- Nada...
Eduardo- A Megan não vai ser um empecilho?
Paty- Ela está vivendo a vida dela... E graças a Deus não é com você.
A câmera fica lenta e focam nos lábios de Eduardo se encontrando com os de Paty. Eles se beijam apaixonadamente. A câmera gira lentamente em volta deles, enquanto se beijam calorosamente.
Fade-out: Kiss Me- Ed Sheeran.
CENA 14: MANSÃO DOS DANTAS/ SALA/ INTERIOR/ NOITE/
Dorotéia vem da cozinha e vê Alessandra descendo as escadas.
Dorotéia- Você viu a Isolda?
Alessandra- Deveria?
Dorotéia- Você anda muito debochada pro meu gosto, Alessandra! Não se esqueça que eu ainda sou a dona dessa casa!
Alessandra- Ah é mesmo? Não me diga! Então me fala, filhinha, o que você vai fazer hein? Me colocar de castigo ajoelhada no milho?
Dorotéia- Deveria era te internar num hospício! Ou melhor: num lar para idosos.
Alessandra- Deus me livre, ficar no meio daquele monte de gente velha...
Dorotéia- (interrompe, impaciente) Você viu aonde está a Isolda, sim ou não?
Alessandra- Eu já disse que não sei, você é surda?
Dorotéia- Pelo menos imagina aonde ela esteja?
Alessandra- Não sei, muito menos imagino. Só falta você mandar eu ajoelhar no chão e bancar a cadela farejadora. Não sei aonde a Isolda está, não quero saber e tenho raiva de quem sabe! (T) Aliás, você quer saber o que eu acho? Se está tão curiosa assim pra saber aonde tá a empregada, vai você mesma procurar! Não foi você mesma quem acabou de dizer que é a dona dessa casa?
Alessandra passa por Dorotéia e vai saindo de casa.
Dorotéia- (autoritária) Posso saber aonde você pensa que vai?
Alessandra se vira e a encara.
Alessandra- Pra casa do Nunti.
Dorotéia- Que Nunti?
Alessandra- Nunti interessa!
Alessandra gargalha e sai da mansão. Dorotéia enfurecida.
CENA 15: MANSÃO DOS DANTAS/ QUARTO DE FABRÍCIO/ INTERIOR/ NOITE/
Fabrício e Megan entram no quarto do jovem. Ele tranca a porta e vai até ela.
Fabrício- Megan, eu preciso que você me ouça.
Megan (cruzando os braços)- Diga.
Fabrício- Eu não sei se você já se apaixonou alguma vez na sua vida, mas eu preciso que você me entenda. (T) Eu sou apaixonado pelo Gabriel, -pausadamente- apaixonado, louco, eu amo ele com todo meu ser. (T) Por favor, me ajuda. A gente finge que está namorando. Eu faço o que for preciso pra te ajudar, -lacrimejando- mas me entenda, e me ajude.
Fabrício olha para Megan por um bom tempo, até que o sorriso dela vai se abrindo, até ela gargalhar debochadamente dele.
Fade-in: Decolagem (Instrumental)- Victor Pozas.
Megan (se recompondo)- Ai, Fabrício, só você mesmo pra achar que eu vou perder uma parceria com sua mãe por causa de um amorzinho medíocre que você sente por esse indigente, que além de não ser ninguém na vida, é um pobre coitado. –Fria- Se enxerga, garoto! –Estala os dedos- Acorda pra vida. (T) É claro que eu já gostei de alguém, mas entre os meus interesses e a minha paixão, eu prefiro muito mais agarrar oportunidades. (T) Que Mané amor o quê? –Gargalha- Só você pra acreditar nessa palhaçada.
Fabrício (pasmo)- Eu... Eu não sabia que você era assim... Tão... Ordinária.
Megan (malévola)- E você achou que eu era como? Um docinho feito sua irmã? –Sorrindo- Achou errado.
Fabrício- Se ela soubesse quem você é...
Megan (séria)- Não sabe e nem vai saber, (T) se contar pra ela, -diabólica- nem queira saber o que acontece com aquele namoradinho seu...
Close no rosto de Fabrício, expressando estar barbarizado. A mulher pega sua bolsa e sai do quarto de Fabrício, que chora.
Fade-out: Decolagem (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 16: HOSPITAL PÚBLICO/ RECEPÇÃO/ INTERIOR/ NOITE/
Isolda chega ao hospital e vai correndo até a recepcionista, que é sua conhecida.
Isolda- Oi, amiga.
Recepcionista- Isolda... achei que não viria mais. Você deu sorte que eu ainda estou no meu plantão.
Isolda- (entrega os documentos) Aqui tem meu RG. Eu preciso ver como está o Gabriel.
Recepcionista- Ele é alguma coisa seu? É que você não deixou muito claro no telefone!
Isolda- Não, ele é só o namorado do meu patrão. É uma longa história.
A recepcionista entrega o adesivo para ela.
Recepcionista- Quarto 305.
Isolda- Muito obrigada, amiga!
Isolda sai.
CENA 17: HOSPITAL PÚBLICO/ INTERIOR/ NOITE/
Megan vai chegando perto de seu pai. Ela o vê dormindo e se aproxima de Madalena, que está sentada em uma cadeira, perto de Antônio.
Megan (sussurra)- E como ele está?
Madá- Pro seu desgosto, pelo menos vivo está.
Megan- Para de brincadeira, garota, eu tô falando sério.
Madá- O médico disse que vai fazer exames e ver como está o estado de saúde dele.
Megan- Entendi. (T) Então você vai ficar com ele?
Madá- Não, a virgem Maria.
Megan- Você tá muito engraçadinha. (T) E por falar em virgem Maria, você tá de parabéns com o namoradinho, hein?
Madá vira a cara e finge que não escutou. Megan é chamada atenção quando ouve a voz de Isolda e vira-se para trás, vendo ela e Gabriel conversando. Isolda não vê Megan, que vai andando até chegar perto da empregada. Isolda se assusta com a presença de Megan.
Fade-in: Pike Ppk (Instrumental)- Eduardo Queiroz.
Isolda (encurralada)- Dona Megan? O que a senhora faz por aqui?
Megan- Acho que eu quem deveria fazer essa pergunta pra você.
Gabriel (p/ Isolda)- Quem é ela?
Isolda olha para Megan e Gabriel. A megera olha para o homem e dá um sorriso.
Megan (arrogante)- A namorada do Fabrício.
Close em Gabriel, surpreso.
A imagem se divide em três, congelando os rostos deles.

Rajax
Linguagem imprópria
Conteúdo de total responsabilidade do autor                      
×
Rajax
Linguagem imprópria
Conteúdo de total responsabilidade do autor                              
×

Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel