Ilusão - Temporada 1 - Capítulo 13 (Penúltimo).


ILUSÃO

TEMPORADA 01

CAPÍTULO 13


ANTERIORMENTE: Iza é presa;

A perícia encontra as digitais dela na arma do crime;

Thiago e Jean estão namorando;

Bruno se choca com a notícia da prisão de Iza.


CENA 01. APARTAMENTO DA FAMÍLIA FERRAZ. INT. SALA DE REFEIÇÕES. DIA.


Todos estão à mesa tomando o café da manhã.


BRUNO - Eu vou para Angra.


MARTHA - Pelo amor de Deus, filho, vai fazer o que lá? Ver aquela mulher? Ou pior, ser enganado de novo por ela?


BRUNO - Eu preciso ouvir, preciso que ela me diga que  tudo o que vivemos foi uma mentira. Eu me entreguei de verdade a essa paixão, não é possível que isso só foi verdadeiro só da minha parte. Eu preciso ouvir com todas as letras que foi tudo um plano deles.


MARTHA - Bruno, eu sei que é difícil acreditar, mas tá na cara que ela te usou meu filho. Ela nunca te amou, o que ela queria mesmo era o nosso dinheiro, por mais que me dói te dizer isso, mas é a verdade.


BRUNO - Eu não sei mãe, eu não sei mas o que pensar... Só vou conseguir mesmo depois de falar com ela pessoalmente.


MARTHA - Por favor, não faz isso.


BRUNO - Eu tenho que ir.


Ele sai.


MARTHA - Anda Gilberto.


GILBERTO - O que você quer que eu faça?


MARTHA - Que seja pai, que vá atrás de seu filho e o impeça de fazer essa loucura. Pelo amor de Deus, acorda homem.


Ele se levanta para ir atrás de Bruno.


MARTHA - Rápido.


ESTELLA - Mamãe, não precisa falar desse jeito com o papai.


MARTHA - Eu tô nervosa filha, e também o seu pai é só sonso, sinto muito, mas é sonso... fazer o quê?


THIAGO - Para Estella - Mãe, eu queria falar com você.


ESTELLA - O que é?


THIAGO - Depois eu digo, a sós.


ESTELLA - Tá bom, deixa só eu terminar o café e vamos para o meu quarto.




CENA 02. APARTAMENTO DA FAMÍLIA FERRAZ. INT. QUARTO DE ESTELLA. DIA.


ESTELLA - O que foi meu amor?


THIAGO - É que eu...


ESTELLA - Que você?...


THIAGO - Eu tô ficando com uma pessoa.


ESTELLA - Essa mania de vocês dizendo ficar... tá, mas me diz como é que ela é. Ela é bonita?


Ao que sua mãe diz ela o coração dele para. Thiago nunca pensou em se assumir para sua a mãe daquela maneira, e quando ela pergunta se é uma menina ele não sabe o que dizer.


ESTELLA - Não vai me responder? Peraí deixa eu adivinhar... é a Manu, não é?


THIAGO - Não mãe, não é ela. É outra pessoa. 


Ele sai.


CENA 03. PRÉDIO. INT. GARAGEM. DIA.


Na garagem Gilberto para Bruno.


GILBERTO - Meu filho, vamos conversar.


BRUNO - Te mandaram me impedir, não é?


GILBERTO - Meu filho, entenda que não vai resolver nada você ir lá falar com ela, você tá muito abalado, não é bom ter essa conversa com os nervos à flor da pele, e também não vou te deixar sair de carro desse jeito.


BRUNO - O que eu faço pai?


GILBERTO - Nada. Não faça nada deixa que o tempo passe. O que você pode fazer agora para mudar essa situação? Nada.


BRUNO - Eu amava ela.


GILBERTO - Realmente, foi jogo sujo o que eles te fizeram filho. Você é um bom moço, tem o coração bom, não deixa que isso te abalar. Eu sei que esse amor parecia ser real e que você se entregou, mas você vai encontrar alguém que te ame de verdade.


BRUNO - O pior é que eu me apaixonei por ela de verdade e agora vejo que era tudo uma ilusão.


Ele abraça o filho.


GILBERTO - Eu tô aqui para te ajudar, conta comigo pra tudo.


BRUNO - Obrigado pai.


CENA 04. APARTAMENTO DA FAMÍLIA FERRAZ. INT. QUARTO DE MARTHA. DIA.


MAURO - Dona Marta, me dói o coração ver o Bruno desse jeito.


MARTHA - A mim também.


MAURO - Não precisava disso, não precisava ter metido essa moça. Era só matar ele e pronto.


MARTHA - Quem é você para dizer o que eu devo ou não fazer? O que eu fiz foi o certo, vai doer no início, mas vai ser bom para ele. Eu não podia permitir que meu filho ficasse junto daquela moça, ela não é mulher pra ele.


MAURO - Como a senhora vai saber o que é bom para o seu filho?


MARTHA - Eu sou mãe, eu sei. Às mães sempre sabem e se você tem amor a mim e ao seu emprego é melhor parar com esse assunto.


MAURO - Tá bem, eu só queria mesmo saber se eu posso aproveitar esse resto de domingo de folga.


MARTHA - Tudo bem.


CENA 05. APARTAMENTO DE MAURO E GUTO. INT. SALA. DIA.


GUTO - Em casa essa hora?


MAURO - Ela me deu a tão sonhada liberdade.


GUTO - Fiquei sabendo da confusão com a família dela, como é que tá o clima lá?


MAURO - Tá péssimo.


GUTO - Ainda bem que você veio para cá, é bom sair um pouco daquilo.


CENA 06. DELEGACIA. INT. CELA. DIA.


Iza lembra do seu jantar de noivado.


Flashback:


Mauro pega em uma copo sobre o balcão e com o copo empurra a faca que vai ao chão.


MAURO - Nossa, que desastrado. Se importa de pegar a faca? Eu to com a mão toda suja - mostra.


IZA - Imagina.


Ela pega a faca do chão.


MAURO - Coloca ali naquele outro balcão - aponta.


Ela põe.


MAURO - Desculpa te incomodar.


IZA - Que isso.


Fim do flashback.


IZA - Pensando - Se ela quis matar aquele Jorge e me incriminar, ou ele sabia de alguma coisa dela, ou tinha algo com ela, e eu com certeza era para me separar do Bruno.


CARCEREIRO - Seu pai está aí.


Sala de visita.


AGENOR - Filha, como é que você tá?


IZA - Péssima pai, agora presta atenção no que eu vou te dizer. Foi a dona Marta que armou isso pra mim.


AGENOR - Como assim filha? Tua sogra?


IZA - Esse Jorge que morreu, o que estão dizendo que eu que matei... ele e ela se conheciam. Pai, a arma do crime que usaram era uma faca que eu peguei no chão da casa dela, no dia do meu jantar de noivado.


AGENOR - Como assim?


IZA - Quando eu cheguei lá, ela me chamou na cozinha, lembra? Disse que o mordomo queria falar comigo. Assim que eu cheguei ele deixou a faca caiu no chão e eu a peguei.


AGENOR - Mas ele a usou?


IZA - Me pediu para que eu deixasse em um balcão limpo, ele não pegou de volta. Pai, não é possível, a faca é idêntica a que o perito me mostrou e ela tem minhas digitais.


AGENOR - Então é a mesma, foi uma armação.


IZA - Tenho certeza.


AGENOR - Ela é a mandante.


IZA - Você precisa me ajudar.


AGENOR - Eu vou filha, prometo que vou te tirar daqui. Essa mulher vai ser culpada e vai pagar por esse crime.


CENA 07. APARTAMENTO DE MAURO E GUTO. INT. SALA. DIA.


Mauro mexe no computador, Guto escondido observa.


Ele sai para tomar água.


GUTO - E agora ou nunca.


Ele encontra os áudios salvos.


CENA 08. CASA DE PRAIA DE LARISSA. INT. SALA. DIA.


Agenor conta o que Iza lhe disse para Larissa.


LARISSA - Então foi tudo uma armação dessa mulher.


AGENOR - Só pode ser.


LARISSA - Minha própria amiga... Ah, mas essa vagabunda vai se ver comigo.


CENA 09. CASA DE MERCEDES. INT. SALA. DIA.


MERCEDES - Irmã de Jorge - Nosso irmão está morto Geraldo, morto.


GERALDO - E na casa dela...


MERCEDES - Só pode ter sido ela, mas isso não vai ficar por isso mesmo. O menino tem o direito de saber, de enterrar o pai.


SEXTA-FEIRA - FINAL DA TEMPORADA.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel