3. Capítulo 3 | No Te Pido Flores



LEIA EM PDF AQUI


FADE IN:

01  INT. SHOPPING, ELEVADOR — NOITE.

Continuação exata do capítulo anterior...

Martin se apavora completamente ao perceber que o Elevador. Ele respira ofegante.

MARTIN

O elevador parou!

O elevador…

LUPE

Fica calmo.

É só um elevador. Nós estamos seguros.

MARTIN

Eu tenho… claustrofobia… eu tô sem ar…

LUPE

Ah, eu não acredito.

Não vai me bater as botas aqui!

Martin puxa o ar, desesperado. Lupe se abaixa.

 

        LUPE 

Ai, tá bom!

É… calma. Eu vou abrir a sua camisa pra te dar mais ar.

Lupe começa a desabotoar a camiseta de Martin e depois a abre, deixando seu peitoral à mostra.

LUPE (CONT’D)

Nada mal.

Lupe começa a fazer uma massagem em seu peito com uma mão e com a outra, ele abana o rosto de Martin.

(MORE)

LUPE (CONT’D)

Já, já a energia chega.

Eles devem ligar.

Martin vai se acalmando aos poucos.

LUPE (CONT’D)

Você podia dizer obrigado pelo menos, heim?

Martin agarra Lupe e o puxa para mais perto de si, fazendo com que Lupe fique por cima do corpo de Martin. Seus rostos se encontram muito próximos um do outro. Lupe olha diretamente para a boca de Martin.

SONOPLASTIA: Cosas Bonitas — Fanny Lu (Jorge Caledón)

MARTIN

Obrigado.

Martin sorri.

As luzes se acendem e segundos depois as portas do elevador se abrem. Martin e Lupe se deparam com um amontoado de pessoas os observando estranhamente. Só depois eles se tocam que estão com os corpos colados. Arregalam os olhos e tratam de se levantar.

Martin trata de abotoar a camisa, enquanto Lupe sorri, envergonhado para as pessoas do outro lado da porta.

CORTA PARA:

02  EXT. STOCK SHOTS — DIA.

A música continua a tocar. Visão de um sol se nascendo na cidade e, posteriormente, takes de alguns pontos da mesma, bem como de pessoas diversas.

03  INT. EMPRESA BRACAMONTES, SALA DE REUNIÃO — DIA.

Todos os acionistas estão reunidos na sala. Martin olha firme para todos eles e depois sorri.

MARTIN

Como é certo que o

mexicano vai vender o restaurante…

ACIONISTA #01

Como tem tanta certeza?

MARTIN

Bom, é só pensar.

Estamos falando de um proprietário de restaurante que foi preso por tráfico de drogas. Mesmo que ele saia da casa, quem vai frequentar aquele lugar? Ainda temos a vantagem de que o local está interditado até a investigação atual. De onde ele vai tirar dinheiro pra se manter. É um cerco fechado, meus caros. Ganhamos. Por isso, quero vocês na minha casa hoje. Eu pretendo anunciar para toda a imprensa o nosso novo empreendimento.

Martin larga a caneta na mesa. Ele ajeita o terno.

MARTIN (CONT’D)

Reunião encerrada.

Martin se levanta e sai da sala, deixando todos agitados. Começa-se ali um burburinho.

04  INT. CASA DE ESMERALDA, QUARTO — DIA.

Esmeralda se encontra penteando os cabelos frente ao espelho, ainda de camisola.

Ela se lembra de quando esteve na casa de Lupita e em como seus corpos ficaram próximos. Ela caminha, empolgada, e se joga na cama, agarrando o celular e abrindo a foto que tirou do retrato de Lupita.

A porta do seu quarto é aberta. Adentra Roxana.

ROXANA

Filha!

ESMERALDA

(Assustada)

Ai, mãe, que susto! Não bate mais, não?

ROXANA

Para de bobagem, Esmeralda.
 

 

ESMERALDA

O que quer? Hoje é meu dia de folga. Eu não vou trabalhar nem se a rainha da inglaterra venha me ver.

ROXANA

Se a rainha da inglaterra viesse te ver, você iria colocar seu lindo vestido de pedras e iria tomar um chá com ela. Mas não é sobre a rainha que vim falar. Ainda chegaremos lá, mas vamos focar no agora. À noite nós fomos convidadas para comparecer na casa do Martin. Parece que ele tem um comunicado importante e quer midia.

ESMERALDA

Tá, e o que eu tenho com isso?

ROXANA

Como assim? Esqueceu quem você é?

Uma das atrizes mais conhecidas e adoradas do país? Quiçá a mais! Quem melhor que você pra trazer mídia.

ESMERALDA

Falando assim parece até que eu sou uma boneca que todos querem. Um produto.

ROXANA

Lá vem você com essa história de novo!

ESMERALDA

Todos querem saber o que eu tô vestindo, o que eu gosto, os meus relacionamentos, mas ninguém liga pra quem eu realmente sou.

ROXANA

Ai, tá bom, Esmeralda.

Não vamos voltar à isso, ok?

ROXANA (CONT’D)

Deixe suas queixas para o seu terapeuta.

Roxana a olha e suspira. Chega perto de Esmeralda e toca seu rosto.

ROXANA (CONT’D)

Isso é uma fase, meu amor.

Vai passar. Lembre-se que esse sempre foi seu sonho.

Roxana sai do quarto, deixando Esmeralda sozinha. Ela senta-se na cama, pensativa e agarra uma mecha de cabelo, puxando-a com uma força considerável.

05  INT. CASA DE MARTIN, QUARTO — DIA.

Foco apenas em Martin. Ele coloca um objeto, que não é pego pela câmera, numa estante. O observa um pouco e caminha depois para fora do quarto.

Fechando-a a porta logo em seguida.

FUNCIONÁRIA

Seu Martin!

Martin salta de susto e se agarra à porta do quarto.

MARTIN

Há quanto tempo está aí?

FUNCIONÁRIA

Pouco tempo, senhor.

MARTIN

O que você viu?

FUNCIONÁRIA

Nada, senhor.

MARTIN

Tem certeza?

FUNCIONÁRIA

Sim

MARTIN

Ah, que bom.

Martin, aliviado, guarda a chave no bolso. Ele pigarreia.

FUNCIONÁRIA

Só vim perguntar o que será servido hoje à noite.

MARTIN

Ah, é… não sei, é… Uns canapés, umas caipirinhas, champanhe… Você pode resolver isso, tá bom?

FUNCIONÁRIA

Sim, senhor. Licença.

A Funcionária se retira da sala. Martin respira e, recompondo-se, segue seu caminho.

06  INT. CASA DE LUPE, COZINHA — DIA.

Lupe se encontra mexendo uma panela. Logo ele a deixa e passar a cortar cebolas e outros legumes numa tábua com muita destreza.

Lupita adentra, angustiada.

LUPITA

Lupe! Lupe!

LUPE

Ué, Lupita.

O que foi?

LUPITA

Então o Hernande vendeu mesmo

o restaurante?

LUPE

Como assim?

Não que eu saiba.

LUPITA

Então por que o ricaço lá dono da empresa vai dar uma festança na casa dele anunciando o empreendimento novo?

LUPE

Como é que é?

LUPITA

Vi na televisão agorinha!

LUPE

Cretino!

LUPITA

E agora?

LUPE

Agora, oficialmente, me declaro um convidado dessa festa.

LUPITA

Vai entrar de penetra?

LUPE

Sim, e você vem comigo!

LUPITA

Ah, não Lupe. Eu já vi que você vai armar um barraco. Vai aparecer em rede nacional!

LUPE

Melhor ainda.

Eu quero ver playboy engomadinho com a cara enfiada no

LUPITA

Ai, Lupe!

LUPE

Buraco.

Lupe bufa de raiva e crava a faca na tábua de madeira.

CORTA PARA:

07  EXT. CASA DE MARTIN, FACHADA — NOITE.

SONOPLASTIA: Don Juan — Fanny Lu, Chico & Nacho.

Visão ampla da fachada da casa de Martin, uma verdadeira mansão, com um chafariz no meio do jardim. A casa está toda iluminada e várias pessoas adentrando nela.

CORTE IMEDIATO PARA:

08  INT. CASA DE MARTIN — NOITE.

Diversos garçons transitando entre, praticamente, uma centena de pessoas, celebridades, socialites, jornalistas, fotógrafos.

TAKE rápido de Esmeralda posando para uma foto.

Do alto da escada, surge Martin, altivo. Todas as atenções se voltam para ele. Um silêncio se faz no local, junto com uma grande expectativa.

MARTIN

Grande dia, meus caros. Eu diria histórico. Se estamos reunidos aqui hoje é por um único e exclusivo propósito. Durante muito tempo esse foi o grande sonho do meu avô, que se tornou o grande sonho do meu pai e só agora eu poderei realizá-lo. Agora todos vão saber que…

LUPE

(Voz distante)

Tem razão, tem razão!

Dá licença, dá licença!

O grande discurso de Martin é interrompido. Ele e as pessoas buscam a voz que o atrapalhou. Então, abrindo caminho entre as pessoas, Lupe chega à frente da escada, sendo alvo das atenções e dos fotógrafos.

LUPE (CONT’D)

Tem razão.

Agora todos vão saber a espécie de fanfarrão e mau caráter que esse homem é!

Lupe aponta para Martin.

Todos o olham. Tensão. Lupe e Martin trocam olhares carregados de intensidade.

[ABERTURA]

09  INT. CASA DE MARTIN — NOITE.

SONOPLASTIA: Maria La Del Barrio — Thalía.

Lupe continua a encarar Martin. Várias conversas paralelas pela enorme sala da mansão.

LUPE

E aí? Vai contar ou eu conto, heim, bonitão? Eu avisei pra você que se fizesse gracinha, eu não ia perdoar!

Lupita, que havia chegado com Lupe, tenta chamar sua atenção desesperadamente.

LUPITA

Lupe, sai daí, sai daí!

Esmeralda acaba a vendo no meio das pessoas e sorri, colocando uma mecha de cabelo atrás da orelha.

Martin, quase sem reação nenhuma, desce as escadas rapidamente e caminha até Martin, agarrando seu braço.

MARTIN

(Sorri/Disfarça)

A gente pode ter uma conversinha particular?

Martin sai puxando Lupe, que se mostra hesitante em ir. Os dois somem ao subir as escadas.

10  INT. CASA DE MARTIN, QUARTO — NOITE.

A porta do quarto é aberta. Adentram Lupe, emburrado, e Martin, nervoso.

MARTIN (CONT’D)

Vem cá? Você enlouqueceu, é isso?

Enlouqueceu?

LUPE

Eu quem pergunto. Que palhaçada de empreendimento novo?

MARTIN

Isso é negócio!

LUPE

Isso é pilantragem! Mas o que esperar do expert Bracamontes, né?

MARTIN

Olha aqui, vai embora agora.

Pelos fundos que é pra ninguém ver. Não, melhor, se atira dessa janela de uma vez. Quem sabe eu não dou sorte e você morre de uma vez, heim?

LUPE

É isso que você quer, né?

Seu opressorsinho de merda! Eu não vou deixar você ganhar. O restaurante não vai ser vendido.

MARTIN

Isso não é uma escolha sua.

Não se atreva.

LUPE

Eu não pagaria pra ver se eu fosse você.

MARTIN

Escuta aqui. Você se acha o dono da justiça, não é? Eu vou te adiantar o futuro então. De um jeito ou de outro, eu vou conseguir aquela merda de restaurante. Ele vai ser vendido. O meu empreendimento vai ser construído em cima do pó do seu suor sem valor e o de toda aquela gentalha que você defende. E sabe quem vai ligar pra isso? Ninguém. Você vai procurar outro emprego que pague um salário mínimo e vai viver uma vidinha de merda, tendo plena certeza de que o que você ganha num mês, não chega a ser nem uma parcela dos produtos que serão vendidos ali.

Lupe dá um soco no rosto de Martin.

LUPE

Eu vou descer e falar pra todo mundo o que eu sei. Vamos ver se sua reputação vai ser a mesma e você vai ter todo esse poder que cuspiu na minha cara hoje.

Martin sorri e se vira para Lupe, lhe devolvendo o soco.

11  INT. CASA DE MARTIN, SACADA — NOITE.

Esmeralda se encontra olhando distraída para o nada, entediada.

LUPITA

Acho que te devo uma camiseta.

Esmeralda se assusta e olha para trás, encontrando Lupita. Ela sorri. Lupita vai até ela.

LUPITA (CONT’D)

Não consegui tirar a mancha do café. Acho que acabei manchando ainda mais.

ESMERALDA

Ah, não tem problema.

Ela não vai fazer falta. Seu amigo?

LUPITA

O Lupe? Ah, meu Deus, é. Ai, agora você me acha uma louca.

ESMERALDA

Eu achei divertido. Alguém com peito pra enfrentar gente poderosa e impor sua opinião. Eu queria ser mais como ele.

LUPITA

Você é do jeito que é.

ESMERALDA

Você não entende. Eu me sinto sufocada, sabe? Eu sinto que, eu vivo numa bolha. Eu procuro um alfinete para estourar ela, mas eu não encontro.

Esmeralda suspira. Lupita sorri e tira um grampo da sua camisa e estende para Esmeralda.

SONOPLASTIA: Without You — Yoon Bomi.

LUPITA

Bom, não é um alfinete. Mas é pontiagudo o suficiente. Acho que serve.

Lupita pega a mão de Esmeralda e põe o grampo sobre ela, fechando-a logo em seguida.

LUPITA (CONT’D)

Você é mais forte do parece ser.

Se o seu desejo é ser ouvida, faça-os a ouvirem. Só você pode fazer o seu destino. Embora todo mundo só veja beleza em você. Eu vejo mais. Você não é só linda, você é inteligente, interessante e…

Esmeralda acaba de beijar Lupita. Lupita se deixa levar e segura o rosto de Esmeralda.

12  INT. CASA DE MARTIN, QUARTO — NOITE.

Surpreso, Lupe toca sua boca e olha furioso para Martin, que acaba de se dar conta do que fez.

E apavorado, ele mexe as mãos compulsivamente.

SONOPLASTIA: La Chapa Que Vibran — La Materialista.

MARTIN

Ah, meu Deus.

Não, não. Eu tava brincando. Foi brincadeirinha.

LUPE

Eu vou matar você!

MARTIN

A gente podia conversar! Ai!

Lupe vai para cima de Martin, que desvia e corre, abrindo a porta e saindo do quarto. Lupe corre atrás dele e o segue no

CORREDOR:

Ele defere um chute nas costas de Martin, que cai no chão. Martin se arrasta até suporte de vaso de porcelana e o joga contra Lupe.

LUPE

Desgraçado!

Martin se levanta e sai correndo.

CORTE IMEDIATO PARA A

SALA:

Todos os convidados se assustam, quando surgem Martin e Lupe, atracados, aos gritos.

MARTIN

Me solta, me solta!

Martin morde o braço de Lupe, que grita.

LUPE

Maldito!

MARTIN

Selvagem!

Lupe agarra os cabelos de Martin, que abre a boca de dor, mas consegue empurrar Lupe contra a parede. Lupe, por sua vez, agarra o pescoço de Martin.

Num descuido, os dois caem da escada, bolando até a embaixo.

As pessoas se chocam. Os fotógrafos aproveitam.

13  INT. CASA DE MARTIN, SACADA — NOITE.

Esmeralda e Lupita, ainda se beijando, apenas se separam quando escutam a confusão embaixo.

Elas se olham, surpresas.

ESMERALDA

Desculpa. Desculpa…

Esmeralda sai às pressas, deixando Lupita, atônita. Ela sorri logo depois do susto.

14 INT. CASA DE MARTIN, SALA — NOITE.

A confusão continua. Lupe agora se encontra por cima de Martin, enquanto o mesmo grita por ajuda.

 

MARTIN

Socorro! Alguém tira esse maluco de cima de mim!

LUPE

Eu vou acabar com você!

Lupita aparece na sala, apavorada.

LUPITA

Lupe, pelo amor de Deus, sai daí!

Esmeralda e Lupita separam a briga.

LUPITA

Para com isso.

Olha a confusão que você causou!

Martin, destruído, grita para Lupe.

MARTIN

Selvagem!

E é respondido por um belo tabefe na cara. Martin põe a mão na boca, apavorado e nota o sangue nela.

MARTIN

Meus lábios! De novo, não.

Olha o que você fez comigo!

LUPE

Foi pouco!

MARTIN

(Quase chorando)

Você vai se arrepender!

Isso não ficar assim.

Lupe ameaça bater em Martin novamente que, apavorado, se esconde atrás de Esmeralda, que encontra dificuldades em conter o riso.

JORNALISTA

(À Lupe)

Todos queremos saber. Quem é você e qual sua motivação para tal atitude!

 

LUPE

Ah, vá se lascar! Esse cretino sabe por que eu vim. Mas o recado já foi dado. Oh, não me filma, não, heim? Vambora.

Lupe sai empurrando todo mundo para abrir caminho e se vai com Lupita. Martin, arrasado, senta-se na escada. A câmera foca nele, mas Esmeralda entra na frente.

ESMERALDA

(Sorri, forçada)

Fim da festa!

Todos olhando chocados e sem saber como agir. Esmeralda olha para Martin, que levanta a cabeça.

FADE OUT:

FIM DO CAPÍTULO.

 

 

REALIZAÇÃO:




No Te Pido Flores 

Temporada 1 | Capítulo 3

 

Criado e Escrito por:

Everton Brito

 

Produtora:

Everton Brito Produções

 

Elenco Principal:

Lupe – Ícaro Silva

Lupita – Aline Dias

Martin – Rômulo Estrela

Esmeralda – Pamela Tomé

 

Rajax © 2021


Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel