4. De Repente 30! | Melqui 30 Anos


 


E chegamos ao final destas 4 semanas que passamos juntos aqui na telinha da Rajax, antes de começar, quero agradecer muito por essa oportunidade que o amigo Kax Silva nos deu de poder dividir com todos vocês, um pouco da minha história e da minha carreira, quero dizer que estou inteiramente grato por tudo isso.

 


Antes de ir no assunto principal, quero contar algo que aconteceu também em 2019, eu estava de vento e poupa ali pelo facebook e recebo uma mensagem no Messenger, não conhecia a pessoa e só me falaram o seguinte: “Oi, somos da agência de modelos X e nós gostamos do teu perfil, você não tem interesse em marcar uma entrevista?”

 

Quando eu vi aquilo a primeira coisa que me deu foi uma crise de riso, sério, eu ri tanto porque eu pensei: Gente, esse “serumaninho” precisa de óculos, olha só com quem ele tá falando. Após isso ele explicou mais algumas coisas e tudo que vinha na minha mente era: “VOCÊS QUEREM É ME LEVAR PRA TURQUIA! QUEREM ME LEVAR PROS PROSTÍBULOS, TÁ ACHANDO QUE EU NÃO ASSISTI A NOVELA NÃO? TÔ DE OLHO EM VOCÊS.”

 

Mas a curiosidade era tanta que eu decidi marcar uma entrevista nessa agência de modelos mesmo sabendo que eu não teria a menor chance. Então eu fui, o produtor me entrevistou, fez algumas perguntas e tals e tals, e fiquei de cara quando ele falou que o modelo não é apenas aquele estereótipo “Homem alto, musculoso e bonito”, mas existe o modelo comercial que atende a todos os públicos, pra não ficar confuso, deixa eu explicar aqui pra vocês como funciona:

 

Modelo Fashion: É o estereótipo que todos nós conhecemos, tanto homens quanto mulheres precisam ter uma certa altura e medidas específicas pra atender às exigências dos desfiles de moda.

 

Modelo Comercial: Atende a todos os tipos de perfis desde crianças a idosos dependendo da exigência do cliente e trabalham principalmente fazendo comerciais de lojas ou produtos específicos.

 

Quando o produtor explicou tudo isso, fiquei em choque porque eu sempre pensei que o modelo fosse só aquele estereotipado (os fashion), me senti até mais a vontade quando ele me explicou isso. Terminamos a entrevista, ele disse que iria mandar o meu perfil para uma mesa jurada e no mesmo dia à noite ele me liga dizendo que eu passei no teste. Eu pra ser sincero não sabia se eu comemorava ou se chorava pensando que eles poderiam me levar pra Turquia.

 

Mas de fato assinei um contrato de 2 anos e meio com a TM Model, uma das maiores agências de modelos/atores do Brasil, pois é, eu também fiquei chocado com isso. Fiz um book (caríssimo), mas também ganhei um worshop de teatro (apesar de que eu já fazia teatro) e também um Workshop especial de modelos, inclusive aulas básicas de passarela. Sim! Mesmo eu sendo modelo comercial, eles passaram macetes pra desfile porque nunca se sabe pra qual teste de algum cliente você vai fazer. Gostei muito da experiência, foi uma das coisas mais inusitadas que me aconteceram.

 

Agora continuando... Em Abril de 2019 eu havia “reaberto” meu canal no youtube, na verdade é que eu criei a conta desde 2012, mas só postava coisas aleatórias por lá. Então em 2016 e 2017 até postava algumas resenhas, mas tipo, eu não me comprometia. Tanto que postava um dia sim e 6 meses não e nessa época eu era todo bagunçado, não sabia me portar na frente da câmera, minha dicção era péssima e eu tinha mania de repetir as mesmas palavras no vídeo o que o deixava ainda mais longo. Para os padrões de hoje é aceitável que meus vídeos sejam longos, porque hoje faço vídeos de teorias com muitas informações, mas naquela época uma crítica simples de 15 minutos era deplorável.

 

Então no dia 4 de Abril de 2019 (fez 2 anos) eu decidi voltar com tudo no meu canal no youtube e falar do assunto que eu tanto amo: Filmes e séries. E fui começando aos pouquinhos, quando de repente me vi fazendo vários vídeos um após o outro, no começo era muito difícil conseguir um público de maneira orgânica. Então cometi o erro de trocar inscritos, entrei em grupos de engajamento e tals, não vou mentir que isso de uma certa forma me ajudou a bater algumas metas, mas isso era pura ilusão, o engajamento precisa ser muito mais importante do que números de inscritos e/ou seguidores, isso vale para o instagram também.

 

Mas diferente das outras redes sociais, o youtube paga pra você, mas pra alcançar isso é preciso bater uma meta. Ter no mínimo mil inscritos e 4 mil horas de programação de conteúdo, foi um trabalho árduo e até mesmo doloroso, mesmo que seja um prazer fazer. Pra chegar nos mil inscritos eu demorei 9 meses do momento que eu reativei o canal, foi até rápido, levando em consideração que quando alguém cria um canal no youtube, a coisa mais difícil é conseguir alcançar os primeiros mil inscritos.

 

Mas eu consegui e não parei, em 2020 que eu realmente me empenhei, durante a quarentena eu estava gravando vários vídeos e minha taxa de produção aumentou muito, isso fez com que o youtube entregasse ainda mais o meu conteúdo. Antes minhas visualizações chegavam chorando aos 100 views, neste mesmo ano eu vi vídeos alcançando a marca de mil/duas mil visualizações.

 

Claro que não é com todos que isso acontece, né? Uns recentes mesmo deram muito ruim e outros deram muito bom e vida que segue! A gente não pode se apegar a esse momento quando o vídeo não dá um bom resultado. É frustrante? Sim, não vou mentir! Principalmente quando se trata de um vídeo que você passou horas ou até mesmo dias pra produzí-lo e fazê-lo com todo o amor e carinho pra no final ele não ter o resultado esperado, mas aprendi a lidar bem com isso. Não é a mesma coisa com o instagram que eu caguei pra essa plataforma literalmente! Tinha uma outra conta com 4 mil seguidores e deletei ela porque não estava mais aguentando tanta gente que não estava acrescentando em nada na minha vida e muito menos no meu conteúdo.

 

No final de setembro pra início de Outubro, eu criei uma nova conta no instagram do zero, e dessa vez totalmente focada no meu conteúdo até mesmo pra gerar tráfego pro meu canal no youtube. E nesse instagram eu não tenho pretensão de ganhar muitos seguidores, tanto que não saio seguindo até o papa pra aumentar os “números”, quero apenas focar em produzir meu conteúdo. Não vou mentir que passo muita raiva às vezes, porque tem dias que você passa horas fazendo um post foda pra ter míseros 10 likes, é lamentável! O algoritmo do instagram já não ajuda a gente em nada e ainda os próprios seguidores (não todos) não interagem com o nosso conteúdo, não curtem, não comentam, não salvam os posts (o salvamento é o que dá mais peso no engajamento do instagram), até o mês passado eu salvava as publicações de todo mundo, não importava quem fosse, eu fazia pra ajudar mesmo.

 

Depois que eu via que nenhuma das minhas publicações eram salvas, eu parei de fazer isso, tudo bem que a gente tem que oferecer o que a gente tem, mas acho que até nessa área, a recíproca tem que ser verdadeira, então posso sim curtir e até comentar os posts das pessoas, mas parei de salvar, um ou outro ali que são muito próximos a mim eu ainda salvo, mas não faço mais questão. Tá, mas por que raios eu tô falando de instagram? Eu nem gosto! Vamos lá!

 

O Youtube começou a me gerar ótimos resultados, tanto em visualizações, quanto em pessoas novas chegando e isso também meio que foi aumentando a minha credibilidade no mercado, pois eu não sou cadastrado como imprensa em nenhuma grande empresa de distribuição, foi tudo com o suor do meu rosto. Então às vezes eu conseguia marcar entrevistas com artistas e isso me ajudou muito a crescer na minha área, esse ano a série “O Internato: Las Cumbres” me deu um retorno gigantesco por ter sido o único brasileiro a entrevistar o elenco da série (viram como foi bom o tempo que eu passei no MV latino?), eu sinceramente não estava esperando por nada disso.

 

Em Janeiro deste ano meu canal foi oficialmente monetizado, fiquei muito feliz porque depois de 2 anos suados, finalmente eu vou poder ganhar dinheiro com aquilo que eu gosto de fazer, e é isso que eu quero no momento. Ah e não pense que foi apenas gravar vídeo e pah! Eu fiz cursos de roteiro, cursos de crítica de cinema, produção de cinema, vai achando que foi tudo assim fácil fácil.

 

Hoje quando eu assisto um filme ou uma série, eu não encaro mais como um mero entretenimento, pra mim é um trabalho, principalmente quando eu preciso resenhar a trama e fazer uma desconstrução da obra. Nós críticos somos taxados como “chatos” pela grande maioria, e não julgo eles por pensar assim, temos um olho clínico muito apurado, percebemos coisas que um telespectador comum não perceberia. Mas é claro que nem todos os críticos possuem a mesma opinião, né? Sempre haverá divergências em todo o lugar, mas enfim...

 

Mês passado eu bati a marca dos 2 mil inscritos, eu nem tive tempo de comemorar direito, foi tudo muito rápido e saiu bem antes do previsto, mas fiquei muito feliz com o resultado, agora eu só preciso perseverar, né? Quem sabe a gente não chega aos 100 mil?

 

Sobre meus planos pra 2021... Tenho apenas um conto de terror em fase de produção que devo lançar ainda este semestre e só! Não vou escrever mais nenhum outro trabalho literário este ano, porque consome muito meu tempo. Prefiro economizar minhas energias pra escrever a última temporada de Vale Dicere em 2022.

 

Bom, gente! Agora que estou completando 30 anos, vocês devem estar se perguntando quais são meus projetos para o futuro? Sinceramente eu não sei, tenho projetos prévios, mas não gosto de expor muito pelo receio de alguma coisa dar errada. Completar 30 anos é uma responsabilidade muito grande, eu com 18 achava que com 30 eu seria rico, bem sucedido e nada! Estou mais em dúvidas do que com respostas na cabeça.

 

Não reclamo das coisas que aconteceram porque isso me ensinou a amadurecer, mas ainda sim eu sinto que se eu tivesse acordado pra vida antes, eu seria hoje uma pessoa muito mais bem sucedida. Eu não moro numa mansão ou apartamento, vivo de salário mínimo, pago boletos e tento administrar minhas finanças como eu posso. Eu queria ser que nem uma galera aí que vive viajando, vive em pizzaria ou hamburgueria (saudades de uma aglomeração), comprar celulares caríssimos e tals, mas eu não sou, uma pena! Mas é a realidade.

 

Ainda sim, eu agradeço por tudo o que eu colhi até aqui, eu sempre enfatizo que nada nesse mundo acontece por acaso e que Deus sempre tem um plano na vida da gente, talvez se tivesse acontecido diferente, se eu tivesse seguido a vida como a de todo mundo, eu não teria amadurecido nunca! Então não me arrependo de ser quem eu sou, me arrependo por eu não ter acordado há tempo.

 

É, 30 anos! Será que algum dia eu terei uma vida normal? Será que um dia vou me casar, ter filhos e constituir uma família? Sinceramente... Não sei se isso fará parte da minha vida, mas eu quero primeiramente ter uma estabilidade de vida e principalmente emocional, esse ano de 2021 tive muitas crises de ansiedade que há muito tempo eu não tinha, foi horrível porque minha saúde ficou completamente comprometida por conta dessas crises. Dores no joelho, coluna, coração, veias, labirintite e por aí vai!

 

Quero dizer que vocês foram muito corajosos por aguentar 4 episódios de pura lamentação, acho que minha vida não é tão interessante quanto as dos participantes do BBB, né? (Ops, escapuliu! Foi a mal a indireta), mas mesmo assim agradeço a todos e principalmente à Rajax pela oportunidade.

 

Eu não vou citar nomes aqui, galera! Porque senão se alguém for ler, vai vir a cobrança: “Poxa, você falou o nome do fulano, mas não falou o meu”, e como infelizmente ainda é crime a gente esfregar a cara das pessoas numa banheira de soda cáustica, prefiro me abster de mencionar nomes aqui.  Muito obrigado a todos vocês, espero um dia poder comemorar meu aniversário ao lado de todos, um beijão e nos vemos por aí!

 

Fiquem agora com os últimos vídeos pra encerrar nosso programa!

 






FIM

 




Melqui 30 Anos

Documentário | Episódio 4

 

Produção Executiva:

Melqui Rodrigues

 

Direção de Fotografia:

Alyson Lemos

 

Direção de Arte Gráfica:

Cristina Ravela

 

Direção Geral:

Kax Silva

 

Rajax © 2021



Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel