7. Capítulo 7 | No Te Pido Flores



BAIXE AGORA O ÁLBUM DE FIGURINHAS DA SÉRIE


01 INT. CAMARIM - NOITE.

 

FADE IN:

 

Esmeralda encontra- se frente ao espelho, se maquiando, um pouco trêmula e ofegante, enquanto Roxana anda de um lado para o outro, ditando como seria o restante da noite.

 

ROXANA
… Isso aqui deve durar cerca de uma hora,
então ainda temos tempo de jantar com o CEO
de uma marca de maquiagem. Bom, mas o negócio
está quase fechado, então um aperto de mãos e um sorriso
devem bastar, o que nos dá bastante tempo de fechar essa
noite com a sua participação no show da IZA. O tema musical
da sua personagem na novela estourou nas rádios. Ah, eu tinha
esquecido da publi no Instagram para aquela marca…

 

Esmeralda larga com força o lápis de olho na bancada do camarim e se encara no espelho, com muito esforço. Roxana vai até Esmeralda, agarrando seus ombros, preocupada.

 

ROXANA
Esmeralda, o que houve?

 

ESMERALDA
Eu estou exausta, mãe.
Eu não parei desde quando acordei hoje
de manhã. Por favor, eu faço todas essas
coisas amanhã, eu prometo, eu só preciso…

 

ROXANA
Você não pode estar falando sério.
Esmeralda? Você sabe o quanto eu dou duro
para que você seja a grande estrela que sempre
desejou ser.

 

ESMERALDA
Mas, mãe, eu simplesmente
não suporto mais…

 

ROXANA
Olha para você, Esmeralda! Olha para
você nesse espelho, olha! Você está vendo
 essa mulher aí? Eu não a criei para
ser fraca. Eu também estou trabalhando
o dia inteiro e não estou reclamando
 como você.Você acha que eu não estou
 cansada? Eu faço tudo pra você seguir
 o seu sonho, e é assim que você retribui?
Sendo fraca?

 

ESMERALDA
(chora)
Mãe…

 

ROXANA
Faz o que você quiser, Esmeralda.

 

MUSIC FADE: She Used To Be Mine - Sara Bareilles.

 

Roxana sai do camarim, batendo a porta, fazendo Esmeralda estremecer. Ela começa a chorar, tentando salvar sua maquiagem desesperadamente, tentando consertar, sem sucesso nenhum. Então, brava, ela derruba algumas coisas no chão. Olhando-se no espelho, Esmeralda arranca alguns fios do seu cabelo. Pelo espelho, vemos a porta do camarim se abrir atrás dela. Entra Lupita, com o sorriso esvaziado ao notar a cólera de Esmeralda.

 

LUPITA
Esmeralda?

 

Esmeralda, numa junção de medo e alívio, percebe a presença de Lupita, ao que ela sai correndo para abraçá-la, desabando ainda mais no choro, arrastando Lupita para o chão. Ambas caídas.

 

LUPITA
(assustada)
O que houve? O que houve?

 

ESMERALDA
Eu não quero mais, eu não quero mais,
eu não aguento mais, por favor…

 

LUPITA
Você precisa sair daqui.
Levanta, vamos.
Eu vou te tirar desse lugar.

 

ESMERALDA
Não tem como.
Eu sou  Esmeralda Dellarosa.
Ninguém vai me deixar sair daqui.

 

LUPITA
E se você não for você?

 

Lupita joga. Ambas se entreolham.

 

FADE IN:

CORTA PARA:

 

[ABERTURA]
No Te Pido Flores

 

FADE IN:

 

02 INT. CASA DE LUPE - NOITE.

 

Martin adentra na casa de Lupe, espaçoso. Lupe, por sua vez, não se dá ao trabalho de fechar a porta, já que a visita talvez não demorasse tanto.

 

MARTIN
Que cheiro bom de comida!
Até mais do que essas flores cheiram…

 

Martin cheira o buquê e o estende para Lupe.

 

LUPE
Sabe que cheiro esse lugar vai ter
daqui a pouco? De sangue! Do seu
se não der o fora da minha casa agora!

 

 

 

MARTIN
Ah, não precisa se fazer mais de
difícil, chelo. Lembra de ontem a noite?
A gente soube se acertar. Nem esquenta.

 

LUPE
(nervoso)

Ontem? Não, eu não lembro de nada,
sequer saber.

 

MARTIN
Começou no banheiro e terminou na
 minha cama. Vai me dizer que você não
se lembra o que a gente fez? Você me…

 

LUPE
Não! Pode parar. Eu não quero

saber o que houve, muito menos quero
você na minha casa. Sai!

 

MARTIN
Vai ter coragem de expulsar o
grande amor da sua vida? Aliás,
eu não tenho seu número.
Onde é que está seu celular?

 

LUPE
Nem meu endereço!
Como você conseguiu?

 

MARTIN
O amor foge de todas as explicações
possíveis. 

 

LUPE
Ah, fala sério.
Dá um fora daqui!

 

MARTIN
Você pode até me expulsar, mas
eu vou ficar na sua porta GRITANDO
PARA TODO MUNDO OUVIR COMO É
GRANDE O MEU AMOR POR VOCÊ!

 

Martin corre até a janela e se debruça sobre ela, fazendo a maior algazarra.

 

MARTIN
Vocês ouviram?

Eu estou completamente
apaixonado por Lupe González,
o vizinho de vocês!

 

LUPE
Sai daí! Sai daí logo!

 

Lupe agarra Martin e o puxa  para longe da janela. Sendo o puxão forte demais, quando seus corpos colidem, Lupe oscila em cair, mas Martin o agarra a tempo.

 

MUSIC FADE: Los Rumberos - Dime Que Sí.

 

Seus rostos pertos de mais um do outro. Ambos conseguem sentir a respiração pesada do encontro inesperado. Enquanto Lupe encara assustado os olhos de Martin, o mesmo desviava suas atenções para a boca de Lupe, encarando-a, quase irresistivelmente, aproximando-se cada vez mais. Porém, o braço de Martin sente todo o peso do corpo de Lupe e, como resposta, os dois despencam no chão.

 

LUPE
Ai, olha só o que você fez!

 

MARTIN
Um pouco pesado demais,
mi pollo picante. Olha só, pelo
menos o vinho ficou intacto.

 

Lupe, indignado, olha para Martin e depois levanta-se até a porta, a fechando e pensando se seria mesmo a escolha certa. Não sabendo a resposta, ele segue em direção às panelas no fogo e volta a mexer o molho que fazia antes de Martin chegar, deixando ele sorrindo, meio bobo, sentado no chão.

 

CORTA PARA:

 

03 INT. EMISSORA DE TELEVISÃO, CORREDOR - NOITE.

 

Saem de uma sala, Lupita e Esmeralda, disfarçada com uma peruca, um óculos escuro bizarro e uma roupa de pessoa comum da plateia do programa.

 

ESMERALDA
Você acha que isso vai dar certo?

 

LUPITA
Se você esquecer que você é você,
acho que sim.

 

ESMERALDA
Ok.

 

LUPITA
Agora é só andar, como se você

não fosse parte disso.

 

As duas começam a andar pelo corredor, sem levantar suspeitas até então.

 

ESMERALDA
Como foi que você entrou aqui?

 

LUPITA
Eu tenho um amigo que trabalha na
segurança. Ele só deu uma paradinha para
amarrar os cadarços.

 

ESMERALDA
(sorrindo/feliz)
Não acredito que fez isso por mim.

 

LUPITA
Por você não. Pela Cléo.

 

As duas continuam, até que Esmeralda avista Roxana vindo em direção à elas com dois seguranças ao seu lado. Esmeralda e Lupita se entreolham. Esmeralda, já se rendendo com a descoberta da sua farsa, estava preparada para se entregar a Roxana.

 

ESMERALDA
Antes de mais nada, eu só queria
dizer que…

 

ROXANA
Alguém de vocês viu a minha filha?

Esmeralda Dellarosa?

 

Lupita e Esmeralda ficam perplexas, sem ter o que responder.

 

ROXANA

Oi?

 

LUPITA
Ah! Esmeralda Dellarosa?
A atriz famosa?

Ela está aqui? Onde?

 

ROXANA
É, ela está aqui, mas…
Peraí, o que vocês estão
fazendo aqui?

 

LUPITA
Ah, somos da plateia.
Estávamos procurando o
banheiro e nos perdemos.

 

Em Esmeralda, apenas concordando com tudo que Lupita dizia.

 

LUPITA
Eu sou Lupita e ela é
minha amiga, Cléo.

 

ROXANA
Vocês não me são estranhas…

 

LUPITA
Ah, deve ser porque somos
muito fãs da Esmeralda.
 Vamos a todos os programas que
ela participa. Ela é o máximo!

 

ROXANA
Essa sua amiga… Cléo?
Não fala, não? E qual a do óculos
estranho? Isso me parece um pouco
suspeito.

 

LUPITA
Não, imagina! A coitadinha
está sem voz de tanto gritar pela
Esmeralda aqui na frente da empresa
 e no encontro de fãs hoje mais cedo.
E o óculos é que a bixinha está com uma
conjuntivite muito assustadora.

 

ROXANA
O quê? E você se aproximou da
 minha filha assim?
Temos que achar a Esmeralda
agora. Deve ter algum médico
nessa emissora. Minha filha não
 pode ter conjuntivite agora.
De jeito nenhum. Vamos!

 

Roxana e os seguranças saem, passando por Lupita e Esmeralda, que riem um pouco depois de liberarem suas respirações.

 

ESMERALDA
Eu não acredito que deu certo!

 

LUPITA
Claro que deu! Vambora daqui!

 

As saem, apressadas.

 

CORTA PARA:

05 EXT. CIDADE DE SÃO PAULO - NOITE.

 

SONOPLASTIA: Maisie Peters - Maybe Don't (feat. JP Saxe)

 

VISTA AÉREA da cidade de São Paulo, sobrevoando todos prédios e arranha-céus, mesclando com takes da cidade, de várias situações, como muros grafitados, pessoas sorrindo, estação de metrô (...).

 

CORTA PARA:

 

06 EXT. PRAÇA - NOITE.

 

Esmeralda e Lupita caminham confortavelmente na praça aconchegando, com algumas outras pessoas sentadas, ou conversando, e crianças correndo. Esmeralda toma o sorvete, muito animada.

 

ESMERALDA
Fazia um tempão que eu
não tomava um desses, sabe?

 

LUPITA
É, deu pra perceber.

 

ESMERALDA
Nossa, tem um mundo aqui fora,
sabe? Parece até que eu fiquei sem
 respirar por séculos e agora…
 eu agora eu posso… É bom respirar
de novo.

 

LUPITA
Ninguém aqui vai tirar o seu ar.
Ninguém aqui te reconhece.

 

ESMERALDA
Acho que eu vou adotar a Cléo.
Obrigado. Ai, eu tô tão cansada…

 

LUPITA
Se você quiser, eu posso te levar
lá pra casa. Você pode dormir…

 

ESMERALDA
Não! Nem pensar!

Eu não quero que essa noite
Nunca acabe. Quer saber? Eu tô com
muita raiva!

 

LUPITA
Raiva não é bom.

 

ESMERALDA
Raiva da minha mãe…

 

LUPITA
Talvez você só precise de um tempo…

 

ESMERALDA
Raiva de mim…

 

LUPITA
Consigo mesmo, sabe?

 

ESMERALDA
Eu preciso…

 

LUPITA
Extravasar!

 

ESMERALDA
Gritar!

 

LUPITA
Colocar tudo para fora.

 

ESMERALDA
Vomitar tudo o que eu
 estou sentindo…

 

LUPITA
Quem sabe isso funciona.

 

ESMERALDA

(pensando)
Eu preciso…

 

LUPITA
De uma boa noite de sono.

 

ESMERALDA
De um karaokê.

 

LUPITA
Quê? Não sabia que você
era cantora também.

 

ESMERALDA
Eu não sou.

 

As duas se entreolham e Esmeralda sai andando, sorridente, deixando Lupita confusa.

 

06 INT. CASA DE LUPE, COZINHA - NOITE.

 

Foco em Martin e Lupe, sentados de frente um para o outro. Lupe come o jantar, enquanto Martin rodeia o prato com o garfo, encarando Lupe, que pega a taça de vinho, bebendo-a, já desconfortável com o olhar fixo de Martin sobre ele.

 

LUPE
O que é que foi?

 

MARTIN
Você é sempre tão
esfomeado assim?

 

LUPE
E você é sempre tão
inconveniente assim?

 

MARTIN
Cordialidade realmente

não combina com você.
 Tira todo o seu charme.

 

LUPE
Vai se danar.

 

Martin sorri.

 

07 INT. BAR - NOITE.

 

Foco no microfone em um suporte. Uma mão o agarra.

SONOPLASTA: Cinderela - Olívia Heringuer.

 

Um som de guitarra invade a cena. Revela Esmeralda, arrancando o microfone do suporte e cantando.

 

ESMERALDA
(canta)
Eu não sou um conto de fada.
Eu moro na vida real.
Nem vou deixar a sua escada um
sapatinho de cristal (guitarra).
Você diz que me conhece. Até parece.
Se nem eu mesma sei quem sou.

 

CORTA IMEDIATAMENTE:

08 INT. CASA DE LUPE, COZINHA - NOITE.

 

MARTIN
E se a gente dançasse, heim?
Heim?

 

Martin estala  os dedos, se remexendo na cadeira, enquanto Lupe, em negação, apenas esconde o rosto.

 

LUPE
Ai, por favor.
Quer sentar aí?

 

Martin levanta da cadeira, se remexendo enquanto chega perto de Lupe, que não consegue evitar o riso tamanho absurdo que achava da cena.

 

= = CORTE DESCONTÍNUO =  =

 

VOLTA PARA A CENA 07

 

ESMERALDA
(canta)
Eu cansei de fazer pose de donzela,
eu rasguei a sua cinderela. Se você
quiser eu tento, deixa que eu mesma
invento, a minha história de amor.  Eu
já sei, de cor como termina o filme. Eu
serei aquela princesinha que entrou no
seu cenário, no seu mundo imaginário
e nunca mais acordou.
(Guitarra)

 

= = CORTE DESCONTÍNUO =  =

 

VOLTA PARA A CENA 8

 

Em Martin e Lupe, dançando na cozinha sem motivo aparente nenhum. Ambos fazem palhaçadas um para o outro, girando os panos de prato no ar e jogando amendoins, como uma guerra.

 

 = = CORTE DESCONTÍNUO =  =

 

VOLTA PARA A CENA 07

 

O som da guitarra ainda prossegue.
Logo um homem é jogado contra uma das mesas do bar por outro homem. Os dois homens brigam, enquanto uma mulher, desesperada, tenta apartar a briga, no maior fuzuê. Enquanto todos se envolvem na briga no bar, num verdadeiro “quebra cadeiras e estoura garrafas”, Lupita apenas foca suas atenções em Esmeralda, respirando fundo e sorrindo.

 

ESMERALDA

(canta)
Eu cansei de fazer pose de donzela,
eu rasguei a sua cinderela. Se você
quiser eu tento, deixa que eu mesma
invento, a minha história de amor.  Eu
já sei, de cor como termina o filme. Eu
serei aquela princesinha que entrou no
seu cenário, no seu mundo imaginário
e nunca mais acordou.

 

Esmeralda continua, dançando no palco e apontando para Lupita, completamente avessa com o fato de dois homens se quebrando no soco atrás de si e uma verdadeira batalha ser travada, com os garçons tentando, em vão, contornar toda a situação. Lupita bate palminhas e sai correndo em direção ao palco, desviando de um ou dos socos pelo caminho.

 

 = = CORTE DESCONTÍNUO =  =

 

 

VOLTA PARA A CENA 8

 

Martin rodopia Lupe para o lado e para o outro, numa mistura de lambada e tango meio descontrolada.

 

 = = CORTE DESCONTÍNUO =  =

 

VOLTA PARA A CENA 07

 

A guitarra, enfim, para, e Esmeralda para de cantar. Lupita fica tão feliz que a beija, demoradamente. PLANO GERAL. A cena romântica das duas contrasta perfeitamente com o ambiente destruído o qual se encontram as duas. O único som que resta no local é de uma palma, vindo de uma garçonete emocionada. Depois o som de alguém sendo jogado para detrás do balcão do bar.

 

 = = CORTE DESCONTÍNUO = =

 

Lupe e Martin também acabam de dançar. Martin segura Lupe, inclinado, enquanto ambos se encaram, ofegantes. Desta vez, o beijo acontece, com total consentimento de ambas as partes. As luzes da casa começam a piscar até tudo ficar escuro no ambiente. Escuta-se o som de corpos colidindo com o chão.

 

LUPE
 Martin!

FADE OUT:

 

FIM DO EPISÓDIO.



Figurinha de hoje:



 




No Te Pido Flores 

Temporada 1 | Capítulo 7

 

Criado e Escrito por:

Everton Brito

 

Produtora:

Everton Brito Produções

 

Elenco Principal:

Lupe – Ícaro Silva

Lupita – Aline Dias

Martin – Rômulo Estrela

Esmeralda – Pamela Tomé

 

Rajax © 2021


Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel