9. Evangelho de Lúcifer | A Vontade do Mal


CENA 01. CASA DE MURILO. QUARTO. NOITE. INT.

 

Após descobrir o que aconteceu com o marido, Aline fica desestabilizada. O nascimento do seu menino está próximo, e o pai da criança não vai estar ao seu lado neste momento tão especial. Após o enterro de Murilo, Aline passou os últimos dias em seu quarto. Sua mãe tem a ajudado com as atividades diárias.

 

Legenda: Uma semana depois...

 

Aline está deitada na cama, vendo um vídeo enviado por Murilo dias antes de morrer. A entidade está no quarto, ao lado da janela e a observa atentamente.

 

MURILO (por vídeo, feliz)

Oi, meu amor! Estava aqui dando uma volta, passei em frente a uma loja de bebês, não resisti e tive que visitá-la. (mostra um sapatinho) Olha só o que comprei para o nosso meninão? Estou indo pra casa agora, e vou mostrar pra você pessoalmente. Tchau, amor. Amo vocês.

 

Aline se emociona, pega o sapatinho que foi mostrado por Murilo no vídeo, chora ao colocar em sua mão.

 

DEMÔNIO (enojado)

Quanta frescura! O cara era um infiel e você fica aí nesse estado.

 

A mãe de Aline entra no quarto, encontra o estado da filha, rapidamente vai até a cama.

 

ROSÂNGELA

Meu bem, você continuar chorando desse jeito, não fará bem para o bebê.

 

DEMÔNIO

Devia ouvir sua mãe. (caminha pelo quarto)

 

ALINE (chora)

O Murilo comprou esse sapatinho para o nosso filho. (mostra o celular) Eu estava aqui vendo o vídeo que ele mandou, olha mamãe. (exibe o vídeo)

 

ROSÂNGELA

Eu sei o quanto você ainda sente o que aconteceu com ele. Só que ficar nessa lamentação toda, não fará bem nem para você e nem para o seu filho. Principalmente nessa reta final de gravidez.

 

ALINE (enxuga as lágrimas)

Eu sei, mamãe. Eu venho tentando, mas tudo me lembra ele, sabe? Esse quarto, os áudios carinhosos que ele me enviava. Olha só esse. (toca um áudio)

 

MURILO (por áudio)

Amor, estou chegando e estou levando uma surpresa. Dica: veio do seu restaurante favorito.

 

Aline volta a chorar ao término do áudio. Rosângela tira o celular da mão da filha e o coloca ao lado. Ela abraça a filha na sequência.

 

ROSÂNGELA

Isso não tá te fazendo bem. Amanhã vamos sair desse quarto. Vamos dar uma volta. E temos que superar esse momento, está bem? Mamãe está aqui e não vai te deixar.

 

Nos braços de Rosângela, Aline não consegue segurar o choro e desaba. A entidade observa aquela cena, achando aquilo patético. Decide desaparecer dali, antes de fazer alguma besteira.

 

CENA 02. CASA DE MEIRE. SALA. NOITE. INT.

 

Após dias sem informações de Samuel, Meire decidiu voltar para sua casa. Ela tem outros pacientes que também precisam de sua atenção e não podia deixar suas coisas de lado.

 

Meire está sentada no sofá, com seu notebook sobre uma almofada em suas pernas. Ela lê uma reportagem. CAM destaca o título: “Moça diz ter recebido a visita de um anjo em seu quarto e que foi escolhida para gerar o salvador da humanidade”. A notícia deixa Meire intrigada.

 

A foto da garota é exibida. Ela pega o seu bloco ao lado, anota as poucas informações disponibilizadas da garota. Na sequência, se atenta à foto mais uma vez. CAM a destaca: uma garota jovem, na faixa dos 18 anos, cabelos escuros, e com um semblante feliz no rosto.

 

CENA 03. APARTAMENTO DE CONRADO. SALA. NOITE. INT.

 

Conrado está vendo TV, especialmente uma reportagem que ele deu hoje mais cedo. A entidade aparece ao seu lado, senta-se no sofá e presta atenção na reportagem.

 

CONRADO (pela TV)

Os dois hospitais serão concluídos até o final deste ano, isso eu garanto a vocês. Na última Terça-feira, eu visitei as duas obras e elas estão a todo o vapor. Essa história de obras paradas é mentira. São pessoas que querem a muito tempo, derrubar à vontade povo. O direito do povo de terem mais qualidade na saúde. Em alguns meses, toda a população terá dois hospitais prontos, em pleno funcionamento, para atender as necessidades de todos. Chega de ficar horas na fila de espera, para ser atendido. Comigo aqui, isso vai acabar.

 

A entidade sorri ao ver o jeito sério que Conrado está na entrevista.

 

DEMÔNIO (sorri)

Sério que esse povo acredita em você?

 

CONRADO

A maioria sim. Ora ou outra, surge um do contra e fica estragando meus planos. (desliga a TV) Mas, logo consigo dá um jeito na situação e tomo o controle novamente.

 

DEMÔNIO

Não duvido. Os humanos são criaturas tão fáceis de serem enganadas. Esses hospitais não vão sair, né?

 

CONRADO

Não nesse ano. (ri) Se depender de mim, essas obras vão durar por mais dois anos ainda. Enquanto isso, vou desviando um pouco do dinheiro que serviria para a construção deles. (ri)

 

DEMÔNIO

E como fará para disfarçar os enxeridos?

 

CONRADO

Qualquer coisa coloco alguns trabalhadores por lá durante alguns dias e pronto. E se continuarem se intrometendo onde não deve, acabo resolvendo do outro jeito. E quanto a mãe da criança? Continua chorando a perda do marido?

 

DEMÔNIO

Continua. Que mulherzinha chata. Agora entendo por que o marido ficava pulando a cerca. É toda hora meu amor aqui, meu amor ali, volta, porque nos deixou, blá, blá, blá.

 

CONRADO (ri)

E o Samuel?

 

DEMÔNIO

Estou dando um tempo pra ele. Ele pensa que se livrou de mim. (ri) Quero que ele alimente bem essa expectativa, pra depois eu destruí-la.

 

CONRADO

E o casal lá que estava investigando? Eles não tentaram mais contato contigo?

 

DEMÔNIO

Depois de revelar a minha verdade face para aquela mulher, duvido muito ela querer ter contato comigo novamente.

 

CONRADO

Olha lá, hein. (se levanta) Eu andei pesquisando sobre esse casal aí e eles são bons. Não quero esse dois se intrometendo o nariz em nossos planos. (vai até a cozinha)

 

DEMÔNIO

Relaxa. (se levanta, segue Conrado) Esse casal não será problema pra nós.

 

CENA 04. APARTAMENTO DE CONRADO. COZINHA. NOITE. INT.

 

Conrado entra na cozinha, abre a geladeira e retira uma garrafa d’água. Caminha até o armário, pega um copo e o enche. A entidade entra na cozinha.

 

DEMÔNIO (cont.)

Além do mais, se eles se meterem entre a gente, eu mesmo faço questão de torturá-los com as minhas próprias mãos.

 

CONRADO

Ok. Vou deixar então essa responsabilidade em suas mãos. (coloca a garrafa na mesa) Bem, Belzebu conseguiu encontrar um hospedeiro. (toma sua água)

 

DEMÔNIO

Sério? Quem é a vítima.

 

CONRADO

Vou te apresentar depois. (guarda o copo, caminha até a geladeira) Mas, preciso da sua ajuda para uma ideia que eu tive.

 

DEMÔNIO

Que ideia?

 

CONRADO

Quero que você entre para a política também. (guarda a garrafa na geladeira) Quero você ao meu lado. (se aproxima dele) Quero te preparar como o meu vice, para a chapa de presidente em alguns anos.

 

DEMÔNIO (ri)

Tá brincando, né?

 

CONRADO (sério)

Você já me viu brincando alguma vez?

 

DEMÔNIO

Desculpa. É que eu não levo jeito pra isso. Falar em público, você sabe.

 

CONRADO

Eu sei, por isso eu vou te preparar.

 

DEMÔNIO

Por que você não escolhe outro? O Asmodeus, por exemplo?

 

CONRADO

Confesso que cheguei a pensar nele, mas não confio muito no Asmodeus. Aquela vaidade toda dele, me deixa com um pé atrás.

 

DEMÔNIO (tenso)

Tem o Carreau e o Belias? Todos podem ser ótimos ao seu lado.

 

CONRADO

Eu já decidi e eu quero você como o meu vice.

 

O encara por alguns segundos, na sequência solta um sorriso tranquilizador. Mesmo assim, a entidade continua tensa com a proposta.

 

CENA 05. CASA DE MEIRE. SALA. NOITE. INT.

 

Meire se interessou muito pela garota que diz ter recebido a visita de um anjo. Com mais algumas pesquisas, encontrou outras quatro garotas com relatos parecidos.

 

No Amazonas, na Bahia, em Goiás e no Paraná, quatros jovens relataram a aparição de um anjo em suas casas. Ambas afirmam terem sido escolhidas para gerarem a criança que irá salvar a humanidade. Todas estão grávidas, com um período de gestação de 5 a 8 meses.

 

Meire desconfia que todos aqueles casos devem ter uma ligação. Ela reúne toda a informação possível sobre essas garotas, para contar para Benjamin e Elis. Nesse momento, seu celular toca. Ao ver que é Elis, ela atende rapidamente.

 

MEIRE (ansiosa)

Oi, Elis. Que bom que ligou. Conseguiram encontrar alguma coisa?

 

ELISA (por telefone)

Acreditamos que descobrimos o nome do demônio que se hospedou em seu sobrinho.

 

O coração de Meire se enche de esperança, e se emociona.

 

CENA 06. CONSULTÓRIO DE MEIRE. SALA. TARDE. INT.

 

Letreiro: Alguns dias depois...

 

Após receber a ligação de Elis, o casal paranormal solicitou alguns dias para conseguir reunir o material necessário antes de visitar Meire. A psicóloga aproveitou esse período e conseguiu marcar um encontro com a garota que recebeu a tal visita do anjo em seu quarto. Ambas combinaram um encontro em seu próprio consultório.

 

MEIRE (simpática)

Barrigão tá grande. É menino ou menina?

 

GAROTA (feliz)

É menino! (acaricia a barriga) Será um guerreiro forte, que irá guiar os humanos rumo a vitória.

 

MEIRE

Vitória de que exatamente?

 

GAROTA (feliz)

Não sei. O anjo simplesmente disse que eu fui escolhida, para gerar um forte guerreiro para uma batalha que ocorrerá na terra.

 

Meire anota algo em seu caderno.

 

MEIRE

E como era esse anjo?

 

GAROTA  (feliz)

Eu não conseguia ver direito o resto dele, sabe?! Mas era o vulto de um homem alto, com uma luz intensa no corpo. Voz angelical, serena.

 

MEIRE

Ele tocou em você ou algo do tipo?

 

GAROTA (feliz)

Sim. A gente teve um contato carnal.

 

Meire se espanta com a forma direta que a garota falou. Fecha seu bloco e se atenta a garota.

 

MEIRE (surpresa)

Vocês tiveram uma relação íntima?

 

GAROTA (feliz)

Sim.

 

MEIRE

Sei. (abre o bloco, anota) Me dê mais detalhes sobre esse anjo? Já que vocês tiveram contato um com outro.

 

GAROTA (feliz)

É meio difícil explicar. Porque não foi uma relação como as outras, sabe? Ele pediu que eu tirasse a roupa, me deitasse na cama e que o resto ele cuidaria. Ele ficou em cima de mim, mas como a luz em seu corpo era intensa, fiquei de olhos fechados a relação inteira. E mesmo assim, por mais que tentasse me mover, o corpo estava meio que paralisado. Só conseguia sentir uma forte energia sobre meu corpo. Só voltei ao normal, quando ele saiu de cima de mim.

 

Na medida que Meire ouvia aquilo, mais absurdo achava a história da garota.

 

MEIRE

Entendi. E depois?

 

GAROTA (feliz)

Depois eu comecei a sentir algo crescendo dentro de mim. (faz carinho em sua barriga)

 

MEIRE

O anjo não apareceu depois disso?

 

GAROTA (feliz)

Não. Mas eu confio no Senhor. Se eu fui escolhida, é porque Deus tem um propósito em minha vida.

 

MEIRE

O que seus pais acharam?

 

GAROTA (feliz)

Minha família é completamente devota a Deus. Então, ter uma filha que está esperando um filho de um anjo, é uma honra enorme.

 

Meire começa a perceber uma atitude estranha na garota. Como se o que ela estivesse dizendo, não viesse realmente de si. Como se a garota tivesse sofrido alguma lavagem cerebral e não compreendesse a verdadeira situação que ela está relatando.

 

MEIRE

Entendo. Bem, eu fiz algumas pesquisas e acabei encontrando outras quatro garotas que afirmam ter passado o mesmo que você.

 

GAROTA (feliz)

Sim, eu sei. Elas também foram escolhidas. Várias garotas foram escolhidas.

 

MEIRE

Várias? Quantas?

 

GAROTA (feliz)

Centenas. Milhares. Várias garotas no mundo inteiro estão sendo escolhidas. Nossos filhos serão os guerreiros da humanidade.

 

MEIRE

Guerreiros pra quê? Haverá uma guerra, é isso?

 

GAROTA (seu tom muda)

O bem e o mal finalmente vão se enfrentar. É bom a senhora começar a escolher o seu lado, doutora.

 

Meire estranha o tom que a garota respondeu. Sente uma sensação estranha na sala.

 

CENA 07. CASA DE MURILO. SALA. TARDE. INT.

 

Aline e sua mãe chegam em casa. Ela parece ter finalmente ter superado a morte do marido. A entidade está ao lado, como guarda costa.

 

ALINE

Obrigado, mamãe. Essas caminhadas no fim da tarde, realmente tem me feito bem.

 

ROSÂNGELA

Viu, como eu estava certa. Agora se senta aqui um pouco, enquanto trago algo pra você. (a ajuda a se sentar no sofá) Não demoro.

 

Rosângela vai para cozinha. No sofá, Aline fica acariciando sua barriga. A entidade se senta ao lado dela, a criança se mexe.

 

ALINE (feliz)

Gostou da caminhada também, meu amor.

 

DEMÔNIO

É bom você sair daí logo, amigão. Sua mamãezinha está me tirando dos nervos. Só não fiz nada com ela ainda, por você viu. (sorri)

 

CENA 08. CASA DE MEIRE. SALA. NOITE. INT.

 

Benjamin e Elis finalmente chegam à casa de Meire. Após se instalarem no quarto de hóspedes, ambos estão reunidos na sala, com alguns livros velhos.

 

MEIRE

Quantos livros! Foram neles que descobriram o nome do demônio que está hospedado no meu sobrinho?

 

BENJAMIN

Alguns deles nos deram pistas. E essas pistas, nos levaram até este aqui.

 

Benjamin pega um livro um pouco fino, de capa marrom e folhas aparentemente gastas pelo o tempo. Meire percebe o cuidado dele com o livro.

 

MEIRE

Que livro é esse?

 

BENJAMIN

Este é um dos livros que foram excluídos da bíblia cristã.

 

ELIS

A Igreja considerou o conteúdo deste livro muito obscuro e decidiu removê-lo das escrituras, guardando-o a sete chaves.

 

MEIRE

E como vocês o conseguiram?

 

BENJAMIN

Recuperamos após resolvermos um caso anos atrás. Estávamos investigando um caso de possessão demoníaca em uma família, numa cidadezinha no interior do Mato Grosso. O demônio estava em posse desse livro e alguns outros que também são proibidos.

 

MEIRE

E qual é o conteúdo do livro?

 

ELIS

Este é o evangelho de Lúcifer!

 

Meire sente um calafrio percorrer seu corpo, se atenta ao livro nas mãos de Benjamin.

 

ELIS

Segundo a história, esse livro foi escrito por um adorador de Lúcifer. De acordo com alguns relatos ele era considerado como um profeta do diabo.

 

BENJAMIN

Em outras palavras, era considerado um louco.

 

ELIS

Profeta ou louco, neste livro ele conta a história de demônios que viviam por aqui.

 

BENJAMIN

Após Lúcifer ser expulso do céu, ele e todos os anjos que o apoiavam, foram jogados a um planeta inabitado. O planeta havia acabado de se formar e não tinha possibilidade alguma de abrigar vida.

 

ELIS

Era um planeta escaldante, com altas pressões climáticas, atividades vulcânicas, literalmente um inferno.

 

BENJAMIN

Lúcifer e seus apoiadores começaram então a habitar este planeta por milênios. Vendo que ali poderia ser o seu novo lar, ele começou a agir como Deus e fez suas próprias criações. Os anjos que o acompanhou, sofreram mudanças, se transformando em criaturas monstruosas e poderosas. Ele não queria ter anjos como o seu pai. Ele queria ter algo melhor, diferente da criação divina.

 

ELIS

Escolheu a dedo 9 anjos e os transformou nos primeiros demônios. Os nomeou como cavaleiros do inferno. (Benjamin abre o livro) Em questão tempo, todos os anjos foram sendo transformados em criaturas demoníacas.

 

BENJAMIN

Obviamente, eles seguiam uma hierarquia. (folheia cuidadosamente algumas páginas) Lúcifer era o soberano, se tornou o novo “Deus” pra eles.

 

Mostra para Meire a imagem de um anjo, esbelto, com asas majestosas.

 

BENJAMIN

Os cavaleiros ocupam a segunda posição da hierarquia. (volta a folhear o livro) E na sequência os demônios comuns, que são considerados de baixo escalão.

 

Exibe a imagem de um demônio, Meire acha aquela imagem assustadora.

 

ELIS

Os cavaleiros também seguem uma hierarquia de poderes. (aponta para imagem) Esse é o líder, Azazel. Ele é o segundo mais forte, ficando apenas abaixo de Lúcifer. (Benjamin vira a página, outra imagem)

 

BENJAMIN

Azazel também é conhecido como o demônio da ira. Sua missão é provocar guerra e caos por onde passa. (vira a página) Este é Manon, o segundo cavaleiro. Considerado o cavaleiro da riqueza e da luxúria. (vira a página) Esse é Olivier, o terceiro cavaleiro.

 

ELIS (um tom sério)

O cavaleiro da crueldade e da tortura. É este o demônio que está ligado ao seu sobrinho.

 

Meire fica boquiaberta, se atenta ao desenho. Comparado com os outros dois cavaleiros, a aparência desse é horrível.

 

MEIRE (apavorada)

Foi ele quem você viu?

 

ELIS

As características, por incrível que pareça, são as mesmas. O formato do corpo, o rosto horrível, o chifre.

 

Elis fecha os olhos, as imagens parecem se repetir em sua cabeça. Benjamin a percebe ficando nervosa, fecha o livro rapidamente e tenta acalmar a esposa.

 

BENJAMIN

Ei, ei... calma. Estou aqui, está bem?!

 

Elis tenta ficar calma, abre os olhos.

 

ELIS

Estou bem. (sorri) Estou bem.

 

BENJAMIN

Vou ficar segurando sua mão, está bem?

 

ELIS

Obrigada!

 

Elis e Benjamin pegam o livro. Abrem na imagem do terceiro cavaleiro. Meire observa atentamente aquela figura, uma sensação estranha percorre o seu corpo ao imaginar seu sobrinho ligado aquele ser.

 

CENA 09. PRAIA. NOITE. EXT.

 

Letreiro: Litoral baiano.

 

Samuel está deitado na areia, observa o céu noturno repleto de estrelas. Parece tranquilo, sossegado. Como se finalmente tivesse encontrado a paz.

 

CENA 10. APARTAMENTO DE CONRADO. COBERTURA. NOITE. EXT.

 

A entidade observa a cidade por um tempo. Fecha os olhos na sequência, consegue sentir a paz de Samuel, sorri em seguida.

 

DEMÔNIO

Não se preocupe, Samuel. Em breve, darei a você uma paz tão boa quanto essa que você está sentindo. (abre os olhos) Ela será boa, porque será eterna pra você.

 

Continua observando a movimentação da cidade, sem esconder o sorriso maquiavélico em seu rosto.

 

CENA 11. CASA DE MEIRE. SALA. NOITE. INT.

 

Mesmo petrificada ao continuar observando a imagem do terceiro cavaleiro, Meire sabia que havia 6 cavaleiros restando. Ela sabe que precisa se manter firme, e conhecer os demais. Caso contrário, não conseguirá salvar seu sobrinho.

 

BENJAMIN

O cavaleiro seguinte... (vira a página) ... chama-se Belzebu. É o demônio ligado à fome. O quinto... (vira a página) se chama Asmodeus. Demônio ligado à vaidade e à avareza. (vira a página)

 

ELIS

Carreau é o cavaleiro ligado ao endurecimento do coração. Segundo o livro, ele é capaz de transformar até o anjo mais bondoso, em uma ser cheio de ódio. (Benjamin vira a página) Belias é o cavaleiro ligado à inveja.

 

BENJAMIN

Belfegor é o penúltimo cavaleiro... (vira a página) ... e ele está ligado à preguiça. Por fim, temos o Leviatã (vira a página) ... um demônio em forma de criatura monstruosa, ligado a destruição. Acredita-se que ele também seja capaz de invocar e controlar bestas demoníacas vindo das profundezas do planeta.

 

Meire sente um calafrio percorrer seu corpo inteiro. Se o terceiro cavaleiro já era assustador, o último então deixa qualquer um aterrorizado.

 

ELIS

E estes são os 9 cavaleiros criados por Lúcifer. Ambos tiveram a missão de proteger o planeta durante milênios.

 

MEIRE

Todos esses demônios viveram na Terra?

 

BENJAMIN

Sim, há milhares de anos. E acreditamos que eles pretendem tomar o lugar que um dia pertenceu a eles. Neste evangelho além de descrever com detalhes a legião de demônios criados por Lúcifer, também lança uma profecia em seu final. (pula para o final do livro) Aqui diz o seguinte: “No final dos tempos, os 09 cavaleiros irão se reunir uma última vez e juntos herdarão a Terra novamente. A era de prosperidade humana chegará ao fim e o reino das trevas finalmente será erguido. Os demônios terão seu lar restabelecido, e serão guiados pelo o nosso rei e salvador, Lúcifer.”

 

Ao término da leitura, Benjamin fecha o livro e repara nos olhos arregalados e apavorados de Meire em sua direção. Ele olha para a esposa e também sente o medo percorrendo o corpo dela. 

 

Apesar de todos os casos que os dois já presenciaram, e dos anos de experiência, este certamente, está sendo o mais difícil para ambos. Benjamin começa a duvidar se eles são capazes de salvar Samuel. E se a profecia realmente for verdadeira, a humanidade também está contando com eles.

 

FIM DO EPISÓDIO.



A Vontade do Mal

Temporada 1 | Episódio 9

 

Criado e Escrito por:

Anderson Silva

 

Elenco:

Samuel (Giovanni de Lorenzi)

Benjamin (Eduardo Moscovis)

Elis (Sandra Corveloni)

Regina (Gilda Nomacce)

Meire (Isabele Garcia)

 

Rajax © 2021



Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel