Estações da Vida é o grande acerto da WebTV no seguimento juvenil | Crítica


Avatar

Tudo sobre WebTV


Programa originalmente exibido no Boletim Virtual da WebTV (2018).
Olá a todos! Sou Lucas Silva e a partir de hoje estou no comando do Visão Crítica, quadro de muito sucesso do Boletim Virtual e que retorna a WebTV nesta temporada depois de um tempo em hiato.

Pois bem. No programa de estreia iremos falar sobre uma trama que já estreou a algum tempo, me refiro a Estações da Vida, escrita por Gabo Olsen e Diogo de Castro, e sua estreia foi no dia 26 de novembro de 2017.

Antes de começar a ler a web novela já sabia que não iria me decepcionar com o roteiro, levando em consideração a experiência dos autores no ramo. Põe experiência nisso. Em segundo, quando li a sinopse achei que seria mais uma historinha de adolescentes imaturos como zilhões por aí. Sim, tem adolescentes imaturos, mas não é qualquer história e acabei me surpreendendo por isso.

Vamos lá. Iniciei a leitura do capítulo um e já me deparei com a câmera mostrando pessoas quase nuas espalhadas pela mansão de Pato, o que me fez lembrar (não sei porquê) do clipe “Famous” de Kanye West (acho que ando lendo muitas histórias, tenho que parar rsrs). Calma que não vou fazer uma análise super detalhada, capítulo por capítulo como costumo fazer. Até porque ficaria muito extenso, então vou fazer uma análise geral.

O primeiro capítulo se preocupou em mostrar os protagonistas da história, me refiro aos jovens, e suas paixões. Eles acordam seminus depois da farra da noite anterior e no decorrer do episódio Leonardo (pai de Pato) liga avisando que vai voltar só no dia seguinte, seu filho então aproveita para fazer mais uma festança na mansão. Jesus, onde os jovens de hoje arrumam tanto pique.

Patrício (Pato) se faz de pegador, mas ainda é virgem (pelo menos no capítulo 1) e Diego, seu amigo, faz uma aposta com ele: os dois devem escolher uma garota, conquistá-la e depois abandoná-la. O alvo do primeiro é Amanda e do segundo, Nanda. Pato é um sujeito azarado, apesar de já ter ganhado a aposta (no segundo capítulo). Ele perdeu a virgindade com Amanda (uma sujeita interesseira), e já teve várias relações sexuais com ela. Porém, nunca tem provas. E quando pensou que tinha, seu celular caiu na água e deu fim ao vídeo pornográfico que fez para provar.

Porém um ponto que eu achei meio peculiar na história foi a “entrega” dos personagens muito facilmente. Cito por exemplo dois casos:

O primeiro foi quando Pato e Diego, bêbados, avançam o sinal e batem no carro de Amanda. Ela, em um primeiro instante, fica furiosa e ameaça ligar para o departamento de trânsito (sendo os dois menores de idade). Só que os jovens a convidam para a festa de arromba que estava ocorrendo na mansão, e ela simplesmente aceita. Tá, não podemos confundir ficção com realidade, por isso que eu não costumo julgar o enredo como um todo, afinal a liberdade criativa pertence ao autor. Então não julgarei o fato dela “esquecer” aquela batida de carro e confiar em dois delinquentes bêbados, levando-os até a mansão de Pato e ainda participar da festança.

O segundo eu até entendo um pouco, é quando Lua aceita a solicitação de amizade de um desconhecido na rede social. E as primeiras mensagens que esse desconhecido a envia são “Oi gatinha”, “Qual a sua idade”, “Vc estuda em que escola”, e ela responde numa boa, sem desconfiar de nada. Entendo por ela ser uma adolescente de 14 anos. Mais à frente, esse desconhecido se revela um homem de meia-idade, aliciador de menores.

Outro ponto a ser analisado é a agilidade da trama sem superficialidade. Não percebi nenhuma “barriga” e nenhuma história solta. Tudo gira entorno dos protagonistas e até personagens paralelos têm a sua devida importância, sem aquele pensamento de “ah, se tirasse ele/ela não faria diferença”.

Nanda é a mais “cabeça” do grupo. Se preocupa com a galera e tem uma paixão por Pato. Sua amiga, Paulinha, é apaixonada pelo amigo dele, o Diego. Só que o conflito entre as duas se dá devido a escolha do Diego na aposta, cujo alvo foi Nanda. Ela, ao contar para a sua amiga sobre o ocorrido com ele na noite anterior (onde Diego lascou-lhe um beijo), Paulinha se revolta com ela e param de se falar. Até culpa sua ex-amiga pela confusão da bombinha na sala de aula, mesmo Nanda não tendo culpa. Que amiga em!

Caio é um jovem que têm dúvidas a respeito da sua orientação sexual. Ele é um garoto reservado, não é muito de bagunça. Percebemos isso quando todos estão na festa e ele sozinho no quarto de Pato meio que pensando na vida, até um casal possuído pela luxúria invadir o local e “expulsar” ele dali. Alguns de seus amigos como Paulinha e Nanda já cogitaram a hipótese de ele ser gay. Seu pai, inclusive, vive empurrando-o para as garotinhas e chega a pressioná-lo para namorar Nanda. Ô menina disputada sô.

No contexto geral, não tenho nada de ruim para falar da trama, só elogios mesmo. Os autores me surpreenderam com uma história bem construída. Todos os capítulos tiveram um bom gancho no final, tudo bem amarrado, diálogos bons, sem erros no roteiro. Nada de melodrama como “a menininha em depressão em busca do príncipe encantado”. Até porque todos conhecem muito bem cada um, sabem suas qualidades e principalmente os seus defeitos.


Até aqui Estações da Vida conseguiu me agradar. Sem querer puxar saco da emissora, mas sabemos o quanto a WebTV preza pela qualidade de suas tramas, não é à toa que os episódios das suas webs demoram semanas para serem postadas, além de passarem por uma rigorosa revisão de texto aniquilando quaisquer erros de ortografia e digitação. Por tanto, foi uma das melhores novelas da Fall Season do ano passado. De 0 a 10, minha nota é 10! Realmente, não tenho nada contra pra falar. 



Nota 10


Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel