Ilusão - Capítulo 02


ILUSÃO

CAPÍTULO 02.
ANTERIORMENTE: Larissa deixou sua filha, Izadora quanto ela tinha apenas 1 ano. Agora, 20 anos depois, ela tenta resgatar o amor de Iza;
Izadora vai trabalhar na casa da família Ferraz;
Martha é ameaçada por seu amante.
Larissa reencontra Izadora por acaso.


CENA 01. CASA DE PRAIA DA FAMÍLIA FERRAZ. INT. SALA DE VISITAS. DIA.
Larissa fica em choque e deixa cair o copo, que fica em estilhaços no chão.
LARISSA - Que desastre! Me perdoe Martha.
MARTHA - Não tem problema, a... - tenta puxar pela memória - a menina limpa tudo.
IZADORA - Sim, um instante.
LARISSA - Eu tô tão distraída Martha.
MARTHA - Fica calma. Mas vem cá, essa distração por acaso é do sexo masculino?
LARISSA - Ela ri - Não Martha, quem dera...
MARTHA - O que é?
LARISSA - É minha vida, depois que perdi o Jhon, fiquei assim, boba...
MARTHA - Vai passar, não fica assim...
LARISSA - Bom... Martha, já vou indo.
MARTHA - Já? Amiga, se for pelo que aconteceu fica tranquila, devo ter uns 300 copos iguais aquele.
LARISSA - Eu só estava de passagem, tenho alguns compromissos aqui na cidade e não posso me atrasar.
MARTHA - É claro.
Elas se beijam.
MARTHA - Não se esqueça da nossa noite da virada.
LARISSA - Pode deixar.
Izadora chega com o material de limpeza.
IZADORA - É Izadora.
MARTHA - O que?
IZADORA - Meu nome.
MARTHA - Olhando de cima a baixo para a moça - Vê se aprende a servir um copo, não quero que se repita na minha festa.
CENA 02. CASA DE PRAIA DA FAMÍLIA FERRAZ. QUARTO DE MARTHA E GILBERTO. INTERIOR. DIA.
GILBERTO - Quem estava aqui?
MARTHA - A Larissa, veio a negócios.
GILBERTO - Mas já foi?
MARTHA - Já, derramou um suco e saiu sem graça. Ah, convidei ela para nossa noite.
GILBERTO - Querida, por falar nisso... chamei o Jorge para passar conosco.
MARTHA - Esbraveja - Gilberto...
GILBERTO - Ele é meu braço direito na empresa.
MARTHA - Você já chamou, né, fazer o que. Só me prometa que vai mantê-lo beeeeem longe de mim.
GILBERTO - Como você quiser, benzinho.
MARTHA - Não me chama assim, que coisa cafona.
GILBERTO - Vamos descer?
MARTHA - Vai indo, já desço.
Ele sai, Mauro que está no corredor entra.
MARTHA - Escutando atrás da porta?
MAURO - Você sabe que tenho esse terrível hábito.
MARTHA - Então, o que acha?
MAURO - Sobre o que?
MARTHA - Não se faça.
Escondido ele liga o gravador do celular e põe no bolso.
MAURO - Acho que ele não vai ser tão idiota a ponto de jogar tudo no ventilador.
MARTHA - Mas vai ficar me pressionando, ameaçando revelar nosso caso.
MAURO - Cá entre nós que você sempre se safou muito bem dessas ameaças.
MARTHA - Mas é cansativo, enche meu saco.
MAURO - Vai levando.
MARTHA - É o jeito. Mas até quando?
MAURO - Até surgir a oportunidade perfeita de acabar com tudo isso. Ou vai querer continuar sendo ameaçada?
MARTHA - Claro que não. Quando essa palhaçada acabar e voltarmos pro Rio, vou dar um jeito nesse gigolô.
MAURO - Ri - Agora vá, desça e tome seu desjejum. 
Ao que ela sai, ele desliga o gravador e manda o arquivo para a nuvem.
MAURO - Mordendo os lábios - Precauções...
CENA 03. CASA DE PRAIA DE LARISSA. INTERIOR. SALA. DIA.
Larissa chega, ela avista Jandira, que está tomando o café da manhã.
JANDIRA - Ué, já voltou?
LARISSA - Já tia.
JANDIRA - Pensei que ia tomar café da manhã lá, com sua amiga.
LARISSA - Que nada, se a senhora soubesse o que aconteceu.
JANDIRA - Então senta aqui e me conta.
LARISSA - Cortando uma fatia de bolo - A Izadora tá lá, trabalhando na casa da Martha.
JANDIRA - Lá? Meu Deus, como esse mundo é pequeno. Falou com ela?
LARISSA - É justamente esse o ponto.
JANDIRA - O que? Você não me falou com essa menina ainda? Minha filha, as oportunidades vêm e vão e você não aproveita?!
LARISSA - Pois é, quando eu cheguei lá a Martha mandou servir um suco.
JANDIRA - Adivinhando - E foi ela quem trouxe...
LARISSA - Na hora eu gelei, derrubei o copo todo no chão.
JANDIRA - Eu sei que é difícil minha filha, mas pensa bem: Você veio aqui pra recuperar o amor de sua filha, pra pedir perdão. Não pode perder mais tempo.
LARISSA - Tem razão.
JANDIRA - Não deixa o tempo levar ela pra mais longe.
CENA 04. CASA DE PRAIA DA FAMÍLIA FERRAZ. INTERIOR. QUARTO DE BRUNO. DIA.
Izadora leva o café da manhã no quarto de Bruno. Ao que ela bate na porta ele abre ainda sonolento.
IZADORA - Trouxe seu café.
BRUNO - O que? Não, não precisa.
IZADORA - Sua mãe mandou trazer, tá tarde e já tiraram a mesa do café.
Ah, tô meio confuso com o fuso, sempre quando chego é assim.
IZADORA - Olhando para a cama - Posso colocar a bandeja?
BRUNO - Abrindo caminho - Ah sim, claro. Mas pode deixar que isso não vai ser repetir, não sou de acordar tarde.
IZADORA - É férias também, né? E não tenho nada a ver com sua vida. Bom, o que eu quero dizer é que o senhor não tem que ficar me dando satisfação.
BRUNO - O senhor tá no céu. Me chama de Bruno.
IZADORA - Tá bem, Bruno.
BRUNO - Qual o seu nome?
IZADORA - Izadora, mas se quiser me chama só de Iza.
BRUNO -  Prazer, Iza. O que você faz da vida?
IZADORA - Trabalho aqui.
BRUNO - Não, eu quis dizer o que você estuda.
IZADORA - Eu não estudo nada não.
BRUNO - Pensei que fosse universitária.
IZADORA - Quem me dera.
BRUNO - Quem me dera porque?
IZADORA - Eu larguei a escola, precisa ajudar em casa.
BRUNO - Imagino, deve ser difícil.
IZADORA - E como.
BRUNO - Mas não tem, sei lá... EJA, alguma coisa?
IZADORA - Tem sim, mas é que eu fico com vergonha.
BRUNO - Vergonha de que? A educação é para todos, um dever do estado. Vergonha é uma moça linda como você sem perspectiva de futuro.
IZADORA - O senhor... - Corrige - Você tem razão.
BRUNO - Não desista. Promete?
IZADORA - Sorri - Tá.
CENA 05. CASA DE PRAIA DA FAMÍLIA FERRAZ. INTERIOR. COZINHA. DIA.
JANA - Levou o café?
IZADORA - Levei.
JANA - E como é que ele é?
IZADORA - Ué, você já não o viu?
JANA - Tô falando de perto..
IZADORA - É igual de longe.
JANA - Rindo - Deixa de ser chata.
IZADORA - Você quer o que Jana? Que eu fale que ele é lindo?
JANA - E não é?
IZADORA - Se você sabe, porque tá perguntando? Ele é muito educado, só isso.
JANA - Pelo menos um dessa família tem que ser, né?
CENA 06. CASA DE PRAIA DA FAMÍLIA FERRAZ. INTERIOR. SALA. DIA.
Bruno desce para a sala.
GILBERTO - E essa câmera filho?
BRUNO - Estou saindo pra tirar umas fotos aqui da cidade.
GILBERTO - Novo hobby?
BRUNO - É uma coisa nova que eu estou tentando.
GILBERTO - É claro.
BRUNO -  Por falar nisso, junta vocês dois aí. Vamos fazer uma foto de família.
GILBERTO - Foto agora?
BRUNO - Que isso, parece tá com vergonha na câmera agora.
MARTHA - Vai Gilberto, deixa de ser careta.
Eles se juntam e o Bruno tira algumas  fotos.
CENA 07. CASA DE PRAIA DA FAMÍLIA FERRAZ. INTERIOR. QUARTO DE ESTELLA. DIA.
Estela liga para Raul.
RAUL - Quem é?
ESTELLA - Deu para esquecer de mim agora?
RAUL - Por que que você tá me ligando essa hora Estella? Tem noção de que horas é aqui em Londres?
ESTELLA -  E você tem noção da falta que você faz na vida de seu filho?
RAUL - Eu e o Thiago nos falamos todos os dias, meu bem, essa desculpa não vai colar.
ESTELLA -  Não me chama de meu bem, seu safado. Não sou essas cachorras que você pega em cada esquina.
RAUL - Era só isso Estella?
ESTELLA -  Por enquanto, boa noite.
Thiago entra.
THIAGO - Me usando de novo como desculpa para falar com o papai?
ESTELLA - Então você e seu pai estão de conversinha? E você nem me fala nada, que filho é você, hein...
THIAGO - É super normal um filho e um pai conversarem coisas entre eles. Você quer o quê? Que nós conversemos na sua frente? Olha aqui, mamãe, supera meu pai… ele não quer você e eu acho que você deveria se dar valor ao invés de correr atrás de um homem que não te quer.
ESTELLA - Meu próprio filho?!
THIAGO - Tá, tá bom, boa noite mãe.
CENA 08. CASA DE PRAIA DA FAMÍLIA FERRAZ. EXTERIOR. DIA.
Bruno saindo com a câmera na mão, ele à vista Isadora regando as plantas.
BRUNO - Isadora.
IZADORA - Ah, oi.
BRUNO - Você aceitaria tirar uma foto?
IZADORA - Como assim?
BRUNO - Não, não se preocupe, eu só estou tirando umas fotos e
queria saber se você poderia tirar uma.
IZADORA - Melhor não, isso pode ser mal entendido.
BRUNO - Só uma, olha, não vou publicar essa foto, é só um hobby meu, só tô treinando. Vai, por favor!
IZADORA - Tá bom, mas só rapidinho.
BRUNO - Sorrindo - Vai ali perto desse canteiro de flores.
IZADORA - Tá bom?
Ele tira a foto.
BRUNO - Ficou linda.
IZADORA - Deixa eu ver?
Ele mostra.
IZADORA - Ficou muito bonita mesmo.
BRUNO - Assim que eu revelar, te dou uma.
IZADORA -  Ainda se revela fotos?
BRUNO - Eu gosto de tocar no que vejo.
IZADORA -  Tá bom então, eu aceito, aproveito e atualizo minhas redes sociais.
BRUNO - Obrigado, você é muito linda.
IZADORA - Chateada - O senhor não precisa ficar repetindo toda hora que eu sou linda.
BRUNO - Não, não é o que parece.
IZADORA -  É melhor parar por aqui, antes que seja. Eu já vi esse filme. Não sou dessas
BRUNO - Não, você me entendeu mal, não é nada disso…
Sexta feira:
Martha planeja como matará Jorge;
Larissa vai à casa de sua filha;
Bruno assume o romance com a empregada.
SEXTA FEIRA - 20:30 DA NOITE - CAPÍTULO INÉDITO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel