Relações Destrutivas- Capítulo 15.




Capítulo 15:
CENA 1: MANSÃO DOS DANTAS/ SALA/ INTERIOR/ MANHÃ/
Continuação imediata da última cena do cap. anterior. Dorotéia fica assustada com as palavras de sua mãe.
Alessandra- VOCÊ VAI SE ARREPENDER DO DIA QUE NASCEU, SUA DESGRAÇADA.
Fade-in: Pelourinho (Instrumental)- Victor Pozas.
Alessandra joga a sua bolsa no chão, dá uma bofetada em Dorotéia. Isolda vai impedir, e Fabrício a detém.
Alessandra- ISSO É PRA VOCÊ NÃO SE ESQUECER DE QUE SOU SUA MÃE! –Tapa- E ISSO É POR VOCÊ TER INFERNIZADO A VIDA DO SEU FILHO! –Tapa.
Dorotéia- SUA LOUCA!
Dorotéia tenta fugir, mas Alessandra a empurra, com muita fúria, ela vai esbarrando nos móveis, até que cai no chão. Alessandra fica em cima da filha, e dá muitas bofetadas em Dorotéia, que grita, desesperada.
Dorotéia- Me solta, sua velha!
Alessandra (furiosa)- VOCÊ AINDA NÃO APRENDEU A LIÇÃO? QUER QUE EU QUEBRE ESSES SEUS DENTES?
Alessandra dá um tapa no rosto de Dorotéia, e no canto da boca começa a escorrer sangue.
Alessandra (odiosa)- Você não vai se esquecer disso nunca mais! –Tapa- Sua malcriada, -tapa- desgraçada, -tapa- tenho certeza que com isso você vai pensar duas vezes antes de encostar em mim!
Alessandra sai de cima de Dorotéia, que se levanta rapidamente, e olha para a mãe, perplexa.
Alessandra (ameaça)- Você nunca mais encosta essas suas mãos sujas em mim, porque eu juro que da próxima vez eu te mato...
Dorotéia balança a cabeça negativamente e sobe as escadas, correndo. Alessandra olha para Fabrício e Isolda, que estão tensos.
Fade-out: Pelourinho (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 02: MANSÃO DOS DANTAS/QUARTO DE DOROTÉIA/INTERIOR/MANHÃ/
Dorotéia entra no quarto furiosa.
Fade-in: Lampejo (Instrumental)- Victor Pozas.
Dorotéia- Velha maldita! Desgraçada. – grita – QUE INFERNOOOOOOOOOO.
Com muito ódio, ela pega o abajur e atira no chão.
Dorotéia- (gritando) Isso não vai ficar assim. Ela vai me pagar! Essa desgraçada vai me pagar caro. Ela vai se arrepender do dia que ela nasceu pelo o que fez hoje.
Dorotéia pega o celular e disca.
Dorotéia- Alô. (T) Bom dia é o caralho! Eu exijo falar com o doutor Lucas. (T) Não me importa se ele tá com a agenda cheia. Nem que o Papa seja paciente dele e esteja diagnosticado com Transtorno Obsessivo Compulsivo ele vai deixar de me atender. Pode dizer que é Dorotéia Dantas na linha!
Close em sua face maligna.
Fade-out: Lampejo (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 3: HOSPITAL ALBERT EINSTEIN/ QUARTO DE ÍCARO/ INTERIOR/ MANHÃ/
Ícaro está sentado na cama, seu pai e Manu estão mais afastados, há um médico e um enfermeiro no local.
Eduardo (ansioso)- Vai demorar, doutor? Não aguento mais!
Médico- Tenha calma, pai. Já vamos ver o resultado.
Ele tira o lençol que tampava as pernas de Ícaro, e mexe na perna do menino, apertando de leve. Ícaro sente dor.
Ícaro- Que isso, cara! Tá doendo.
Médico- Você vai precisar ser forte quando eu e o enfermeiro te colocarmos em pé.
O médico ajuda Ícaro a virar suas pernas, fazendo com que ele fique ao lado da cama.
Enfermeiro- Nós vamos te ajudar a descer, e você vai ficar apoiando as mãos na cama.
O médico e o enfermeiro seguram os braços de Ícaro, enquanto Eduardo e Manu observam, aflitos. Eles colocam Ícaro em pé, e ele está com as mãos apoiadas na cama, mas o menino cai no chão.
Fade-in: Decolagem (Instrumental)- Victor Pozas.
Eduardo- Não pode ser.
O médico e o enfermeiro levantam Ícaro e colocam o menino na cama. Ele chora.
Ícaro (p/ Eduardo)- Pai, eu não quero ficar sem andar. –P/ o médico- Faz alguma coisa, doutor, por favor...
Eduardo- Doutor, tem que ter uma explicação.
Médico- Nós fizemos o que precisava ser feito. (T) Como te falei, vou recomendar que ele faça fisioterapia, e se não resolver, ele não vai poder andar mais.
Manu abraça seu pai.
Manu (chorando)- Isso não, pai.
Close na menina e Ícaro, chorando.
Eduardo- Tudo bem, doutor.
Médico- Com licença.
Ele e o enfermeiro saem. Eduardo e Manu abraçam Ícaro, que está arrasado.
Eduardo (esperançoso)- Vai dar tudo certo, filho.
Fade-out: Decolagem (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 04: MANSÃO DOS DANTAS/ JARDIM/ EXTERIOR/ MANHÃ.
Alessandra e Fabrício estão conversando.
Fabrício- Meu Deus, a minha mãe tá ficando completamente louca. Como é que ela teve coragem de te bater vó? Sinceramente? Essa situação tá me deixando muito preocupado.
Alessandra- Não se preocupa não que já dei o medicamento dela, uma boa dose de pau no meio da cara. Se bem que eu nem me incomodaria se recebesse uma surra de pau na cara agora.
Fabrício- Ai vovó, nem numa situação dessas você deixa de pensar nessas coisas?
Alessandra- Vai me dizer que você não? Estou velha, mas não estou morta! E outra, eu não tenho medo da Dorotéia. Sei bem como cuidar de uma cadela com raiva, já trabalhei num consultório veterinário.
Fabrício- A questão é que a minha mãe tá se tornando uma pessoa tão perigosa quanto ou mais do que uma cadela com raiva. Se ela foi capaz de te dar um tapa na cara que surpresas a mais ela não está reservando pra gente hein? Olha, eu acho melhor a senhora sair dessa casa ainda hoje e ir morar comigo.
Alessandra- (implora) Me dá só mais um dia! Só um! Eu juro, meu neto, eu vou conseguir provas contra aquela desgraçada hoje!
Isolda aparece por trás deles dois.
Fade-in: Ambiguidade (Instrumental)- Victor Pozas.
Isolda- Acho que não vai precisar, dona Alessandra.
Os dois a encaram.
Alessandra- (não compreende) Como assim, Isolda?
Isolda- Eu ouvi uma conversa da D. Dorotéia com a Megan hoje mais cedo.
Fabrício- (chocado) A Megan esteve aqui? Será que estão unidas de novo?
Isolda- Pelo contrário. A Megan ameaçou a D. Dorotéia, tudo porque ela tem provas que podem colocá-la atrás das grades.
Alessandra- Como é que é?
Isolda- É isso mesmo! Se tem alguém que vocês precisam recorrer agora, infelizmente, esse alguém é a Megan.
Alessandra e Fabrício olham surpresos para Isolda.
CORTA P/ JANELA DO QUARTO DE DOROTÉIA:
Ela os observa conversando.
Dorotéia- Muito bem, Isolda. Então você tá metida do lado deles, não é? Muito bom saber disso sua cachorra.
A mulher fecha as cortinas.



Fade-out: Ambiguidade (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 5: ADVOCACIA/ ESCRITÓRIO/ INTERIOR/ TARDE/
Megan e o advogado sentam-se frente a frente.
Megan- Assim que recebi a sua ligação, vim correndo?
Advogado (entregando um papel)- O juiz já liberou o dinheiro.
Fade-in: Laureta (Instrumental)- Victor Pozas.
Megan olha para o advogado, sorridente. Ela pega o papel.
Megan- E o que eu preciso fazer?
Advogado- Apenas assinar e fazer uma conta poupança no banco, caso não tenha.
Megan- Mas é claro que eu não tenho, eu não tinha o que colocar.
Megan assina o papel.
Megan (estende a mão)- Foi muito bom fazer negócios com você!
Advogado (corresponde ao cumprimento)- Digo o mesmo.
Eles sorriem um para o outro. Megan sai da sala.
CORTA P/ O CORREDOR:
Megan faz uma ligação, e a pessoa atende, é o médico que a ajudou passar a perna no seu pai.
Megan- Eu disse que eu iria te ligar. (T) Olha manda uma mensagem no WhatsApp desse número que eu vou fazer uma transferência para a sua conta. (T) Claro que eu sei o valor que combinamos, e quero te agradecer mais uma vez porque sem você nada disso teria acontecido.
A mulher desliga o telefone e sorri, maquiavélica.
Fade-out: Laureta (Instrumental)- Victor Pozas.
CENA 06: ANOITECE/ HOSPITAL ALBERT EINSTEIN/ RECEPÇÃO/ INTERIOR/
Eduardo está sentado no banco de cabeça baixa, quando Patrícia chega ao local.
Paty- Oi amor.
Eduardo se levanta e Paty o abraça.
Paty- Me perdoa a demora, eu tive que passar no prédio pra resolver um problema lá no apê, essa mudança repentina tá uma loucura.
Eduardo- Tudo bem.
Paty- E aí, como ele tá?
Eduardo- (feição triste) Mal. O Ícaro não tá conseguindo andar, mal se aguenta em pé, ele vai ter que fazer a fisioterapia.
Paty- (conforta-o) Relaxa. Ele vai voltar ao normal. É forte. Vai ficar tudo bem.
Eduardo- (esperançoso) Tomara.
Alessandra e Fabrício chegam ao local.
Fabrício- Oi gente.
Paty- E aí, como foi lá em casa?
Fabrício- Péssimo. Nossa mãe está ficando cada dia mais surtada. Ela até bateu na vovó.
Fade-in: Lago dos Cisnes (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
Paty- O quê?
Alessandra- É, mas eu não deixei barato não. Dei uma surra naquela desnaturada, que é pra ela aprender que em mãe não se bate.
Paty- (farta) Olha, já chega. Essa história já está indo longe demais.
Fabrício- Foi o que eu disse pra vovó, Paty. Ela precisa sair daquela casa antes que algo pior aconteça. Inclusive, você não vai nem acreditar.
Paty- O que foi?
Fabrício- A Isolda nos contou que a Megan tem uma prova que pode incriminar a D. Dorotéia.
Paty- (surpresa) A Megan? Você tem certeza?
Fabrício- Certeza mesmo eu não tenho, mas a Isolda ouviu uma conversa da nossa mãe com ela hoje cedo e foi o que contou pra gente.
Paty- Ah, mas eu vou agora acertar minhas contas com aquela vadia. Ela vai ter que me dar essa prova por bem ou por mal!
Eduardo- (segurando-a pelo braço) Espera aí, amor. Você não acha arriscado ir sozinha?
Paty- Eu nunca tive medo nem de sapo quando era criança, não vou ter medo de uma rata agora.
Eduardo- Me deixa ir com você.
Paty- Não, você precisa ficar com seu filho aqui. Pode deixar que me resolvo com aquela ratazana sozinha.
Ela dá um beijo em Eduardo e sai do local. O homem fica tenso.
Fade-in: Lago dos Cisnes (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
CENA 7: CASA DE ANTÔNIO/ SALA/ INTERIOR/ NOITE/
Megan está mexendo em seu notebook, ela olha algumas mansões. Madá entra no local, close no rosto da menina, vermelho. Elas se olham friamente.
Madá- Me admira que você ainda não esteja com a consciência pesada depois de tudo o que fez com o nosso pai e agora ele estar num caixão, sem a chance de você se perdoar por tudo.
Megan (irônica)- Acha mesmo que eu vou me perdoar por falar a verdade? Se tem alguém que nunca foi falso com ele nessa vida, esse alguém sou eu.
Madá- É impossível lidar com você, não é mesmo?
Megan- Você vai continuar igual ele, mas Graças a Deus eu estou rachando fora dessa ralé.
Madá (debocha)- Ah é? E vai sair daqui como? Sendo uma prostituta de luxo? Ou melhor? Fazendo o que combina com você, dar o golpe do baú!
Megan- Como você é ingênua, Madalena. –Zomba- Olha até rimou. (T) Mas te respondendo, eu sou herdeira de uma fortuna de R$ 80.000.000,00, não sabia?
Madá- Eu já tô ficando preocupada com você. Tem certeza que não usou drogas?
Megan- Acorda, garota! (T) É uma herança que o meu pai deixou pra mim!
Fade-in: Tony Crimes  (Instumental)- Rodolpho Rebuzzi.
O sorriso de Madá vai se desfazendo.
Madá (aflita)- Mentirosa! VOCÊ NÃO AGUENTA FICAR UM MINUTO SEM ME PERTURBAR, NÉ?
Megan pega a sua bolsa e tira um envelope de lá, ela tira um papel de dentro do envelope, e mostra para sua irmã, que lê, desacreditada.
Madá- COMO PODE SER POSSÍVEL? (T) O nosso pai jamais faria isso comigo.
Megan (fria)- É claro que ele não iria deixar nada pra você, Madá, ele sabe que só eu iria saber fazer um bom uso desse dinheiro. Inclusive eu tô comprando uma mansão agora mesmo. –Esnobe- Mas pra não te deixar na miséria, é claro que eu vou te dar uma pensão. Apesar de que você vai receber auxílio do governo pela morte dele, né?
Madá (furiosa)- DESGRAÇADA! O QUE VOCÊ FEZ PRO NOSSO PAI ASSINAR ESSE PAPEL? (T) TENHO CERTEZA QUE VOCÊ FEZ ALGUMA COISA PARA FICAR COM ESSE DINHEIRO? COMO O NOSSO PAI NÃO ME CONTOU NADA DISSO?
Megan- Eu não tenho que te explicar nada, menina, você é patética.
Megan se levanta e fica frente a frente com Madá.
Megan- Você só tem que aceitar.
Madá- Eu não vou aceitar nada. (T) Eu vou descobrir o que você fez porque não acredito em uma só palavra que você me diz, sua cadela fedida.
Madá tenta acertar um tapa em Megan, que segura o braço dela.
Megan- Tem certeza que quer que eu te quebre de novo?
Madá- Você vai se arrepender, Megan, eu juro que eu vou descobrir o caroço desse angu e vou te dar o que você merece, sua vadia!
Madá sai do cômodo, indo para outro, enquanto Megan olha-a indo, tensa.
Fade-out: Tony Crimes (Instrumental) Rodolpho Rebuzzi.
CENA 9: APARTAMENTO DE PATRÍCIA/ QUARTO DE FABRÍCIO/ INTERIOR/ NOITE/
Fabrício adentra o local. Ele faz uma ligação, e quando Gabriel atende, a câmera se divide entre os dois.
Fade-in: Suspense Dark (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
Gabriel (preocupado)- Fabrício? Pelo amor de Deus, eu tava preocupado! Você só me manda uma mensagem me falando que já chegou e que iria me ligar quando pudesse, e não me disse mais nada.
Fabrício- Você não faz noção do que tá acontecendo, belo! Tá uma bagunça aqui.
Gabriel (intrigado)- Me conta, o que é?
Fabrício- Minha mãe deu um tapa na cara da minha avó hoje, foi uma bagunça, mas tenho uma novidade que vai te alegrar bastante.
Gabriel- O quê?
Fabrício- A víbora da Megan tem provas de que a minha mãe tentou te matar. (T) Se ela quiser e aceitar, ela pode acabar com a minha mãe, e aí estaremos livres pra viver em paz, porque ela vai pra cadeia.
Gabriel (alegre)- Graças a Deus. ISSO!
Fabrício- Agora é torcer para que a Megan tenha compaixão e aceite uma grana por essas provas.
Gabriel- Aquela vigarista com certeza vai aceitar.
Fabrício- Eu não teria tanta certeza assim, porque gente como ela, sempre procura a melhor oferta, e quem pode dar essa, é a minha mãe!
Close nos dois, tensos.
Fade-out: Suspense Dark (Instrumental)- Rodolpho Rebuzzi.
CENA 10: CASA DE ANTÔNIO/ SALA/ INTERIOR/ NOITE/
Megan fecha a tampa de seu notebook, ela se levanta para ir para seu quarto, mas alguém bate na porta, e ao atender, ela se depara com Patrícia.
Fade-in: Perigo Eminente (Instrumental)- Victor Pozas.
Megan (chocada)- Patrícia? Quanto tempo!
Paty- Posso entrar?
Megan- Não deveria deixar, mas como já me recebeu na sua casa tantos anos, eu deixo sim.
Patrícia entra.
Megan- E aí? O que veio fazer aqui? (T) Me chamar pra tricotar que não foi.
Paty- É, ainda bem que você já quebrou o clima.
Megan- Pois fale.
Paty- Eu vou ser bem direta. (T) Quanto você quer pra me dar as provas que tem contra a minha mãe?
O sorriso de Megan vai se fazendo.
A imagem congela em Paty, tensa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel