Ilusão - Capítulo 11.



ILUSÃO 

CAPÍTULO 11:


ANTERIORMENTE: Manu diz a Jean que levará Thiago ao parque e que dará a deixa para que eles se aproximem;

Margot leva Estella ao alcoólicos anônimos;

Iza se nega a falar com Larissa;

Mauro se passa por Brunno e marca com Iza na mansão;

Jorge é esfaqueado pelo Comandante.


CENA 01. CASA DE PRAIA DA FAMÍLIA FERRAZ. INT. SUITE. DIA. 


JORGE - Foi ela?


COMANDANTE - Ri - O que você acha?


Jorge morre.


COMANDANTE - Agora que metade do serviço já tá feita, bora começar a segunda parte.


Ele deixa o corpo de Jorge jogado no chão.


Andar de baixo.


Iza chega a porta, ele a recepciona.


COMANDANTE - Izadora, não é?


IZA - Sim, eu vim me encontrar com o Bruno.


COMANDANTE - Ah sim, entre.


Lado de dentro.


COMANDANTE - Bom, dona Izadora, na verdade o Bruno teve um problema e não pode vir. Eu pedi para a senhora entrar porque eu preciso de um favor seu.


IZA - Sim, sim, o que é?


COMANDANTE - É que o sinal da minha operadora é péssimo por essas bandas… a senhora se importaria de me emprestar o celular? É rapidinho.


IZA - É claro.


COMANDANTE - Eu vou só fazer uma ligação e já te devolvo.


Ele apaga a mensagem que Mauro enviou a ela.


COMANDANTE - Aqui está, obrigado. Poxa, foi uma pena que o que vocês tinham planejado não deu certo.


IZA -  Fazer o que… Mas eu nunca conheci você. É funcionário antigo da dona Marta?


COMANDANTE - Sou sim, talvez nós nunca nos encontramos, é que sou caseiro aqui, mas tem pouco tempo.


IZA -  É claro. Bom, eu vou indo, foi um prazer.


COMANDANTE - Igualmente, vai pela sombra.


Ela sai ele então liga para Martha.


COMANDANTE - O serviço tá completo.


MARTHA - Agora sai pelos fundos, lá não câmera. Vou depositar o dinheiro agora mesmo.


COMANDANTE - E quanto a denúncia?


MARTHA - Só espere escurecer um pouco mais.


COMANDANTE - Tá certo.


Anoitece.




CENA 02. APARTAMENTO DA FAMÍLIA FERRAZ. INT. QUARTO DE MARTHA. NOITE.



Deu tudo certo!


A senhora é mesmo esperta.


Traga aquele champanhe, hoje eu e você vamos comemorar. 


CENA 03. APARTAMENTO DA FAMÍLIA FERRAZ. INT. SALA. NOITE.


Todos estão a mesa para o jantar.


MARTHA - Gilberto querido, como você está fazendo na empresa sem o Jorge?


GILBERTO - Ele sumiu, não me disse nada... então você sabe pra onde ele foi?


MARTHA - Ué? Como você não sabe? Ele me disse que você tinha emprestado a nossa casa de Angra pra ele.


GILBERTO - Surpreso - Emprestar a casa? Ele não me pediu nada.


MARTHA - Ele veio aqui, disse que você tinha autorizado e eu entreguei a chave.


GILBERTO - Tem alguma coisa de errado.


MARTHA - Eu te disse Gilberto, ele não é de confiança, enganou a mim e você.


GILBERTO - Não deve ser nada demais, deixa ele aproveitar o fim de semana.


Tiago está saindo.


ESTELLA - Vai sair, filho?


THIAGO - Eu fiquei encontrar a Manu no parque. A senhora se importa?


ESTELLA - Tudo bem, só volte cedo.



CENA 04. PARQUE. EXT. NOITE.


Thiago e Manu chegam ao parque.


THIAGO - Onde a gente vai primeiro?


MANU - Não sei, que tal na montanha russa? O que cê acha?


THIAGO - Montanha russa, Manu? Não é muito perigoso?


MANU - Para de ser fresco, Thi.


THIAGO - Tá bom, quem sabe a gente não não dá uma passadinha, mas só no final. Quero ficar com meu estômago intacto por um bom tempo.


Ela avista Jean e faz sinal para que ele se aproxime.


JEAN - Oi.


THIAGO - Você?


JEAN - Vocês também vieram conhecer o parque novo?


MANU - Sim, o Thiago tava doido para vir. Não é?


THIAGO - Manuela, eu acho que eu estou me sentindo mal. Vamos para casa?


MANU - Não. Eu que vou para casa, vocês ficam aí, conversando.


Ela sai.


THIAGO - Manuela?!


JEAN - Parece que só assim pra gente conversar, né?


THIAGO -  Vocês dois?.. Isso tudo, foi armação?


JEAN - Eu precisava falar com você. Ela disse que você gosta de mim, eu não entendo porque você fugiu aquele dia que eu quis te beijar, você também queria.


THIAGO - Impressão sua.


JEAN - Não precisa ter vergonha, eu queria e sei que você também. Eu não vou ficar forçando a situação, se você quiser dar uma volta e conversar um pouco, tudo bem. Mas se você não quiser, eu vou entender e vou embora.


THIAGO - É difícil pra mim...


JEAN - Eu sei, mas se você quer ficar comigo e eu também quero, porque não? Pra que fugir disso?


THIAGO - Sorri - Tá bom, vai, vamos dar uma volta.


Eles caminham até um banco.


JEAN - Você já ficou com menino antes?


THIAGO - Na verdade, nunca.


JEAN - Por que?


THIAGO - Ah eu acho que nunca rolou e também eu nunca fui atrás disso. Enfim... pra mim isso nunca teve importância.


JEAN - Você se importa de nós continuarmos o que tínhamos parado aquele dia?


THIAGO - Sorri - Não.


Eles se beijam


JEAN - Gostou?


THIAGO - Foi melhor do que eu pensava


JEAN - Vamos no carrossel?


Eles vão no carrossel, o cavalinho de ambos se aproximam Jean tenta o beijar novamente.


THIAGO - Aqui?


JEAN - Porque não? Confia em mim.


Thiago se entrega à paixão em meio ao carrossel girando e luzes piscando. Ele deixa os lábios de Jean tocar os seus suavemente.


CENA 05. CARRO DO COMANDANTE. INT. NOITE.


MARTHA - SMS - Já pode chamar a polícia.


Ele disfarça a voz.


COMANDANTE - Alô é da polícia?


ATENDENTE - Sim, pois não.


COMANDANTE - Eu gostaria de fazer uma denúncia. Tenho uma propriedade aqui perto da beira do mar, e na casa ao lado estava uma gritaria de repente, agora a pouco. Nós estamos com medo de ter acontecido algo, tinha um casal hospedado lá e agora tá um silêncio


ATENDENTE - O senhor tem o endereço?


COMANDANTE - Tenho sim.


ATENDENTE - Obrigado, nós vamos mandar uma equipe averiguar.


CENA 06. APARTAMENTO DA FAMÍLIA FERRAZ. INT. QUARTO DE MARTHA. NOITE.


Mauro aparece com um balde de gelo com champanhe e taças.


MARTHA - Abra, vamos fazer um brinde à Vitória.


Eles brindam.


MAURO - E agora madame? O que vai acontecer?


MARTHA - Provavelmente vão investigar até chegar na pobre.


MAURO - O Bruno vai sofrer.


MARTHA - Às vezes a dor é preciso, ela nos deixa mais fortes.


MAURO - A senhora não sente remorso?


MARTHA - Remorso por querer o bem do meu filho? Eu só estou fazendo o que é certo.


CENA 08. CASA DE PRAIA DA FAMÍLIA FERRAZ. INT. NOITE.


Os policiais entraram na casa.


PEIXOTO - Paranhos, isole o local. Ao que parece foi uma briga de casal.


PARANHOS - Como tem certeza?


PEIXOTO - Na denúncia que fizeram disseram que teve uma discussão e veja, também foi usado uma arma branca.


PARANHOS - Então ela não deve estar longe...


PEIXOTO -Avise o comando mande procurar essa moça pela cidade, ela não deve ter ido Longe.


PARANHOS - Mas como? Não temos nem sequer um retrato dela.


PEIXOTO - Mande parar qualquer moça suspeita.


PARANHOS - Não é melhor dar uma olhada nas câmeras? Quem sabe elas não estão ligadas.


Eles olham a câmera.


PEIXOTO -A única pessoa que entrou aqui hoje foi o defunto e essa moça.


PARANHOS - Peixoto, essa não é filha do Agenor aquele pescador?


PEIXOTO - É ela sim.


PARANHOS - Então essa moça é a principal suspeita. Ao que ao que tudo indica ela foi a única pessoa a estar aqui hoje, e pelo que se vê não há tanto tempo que este homem está morto e nem da visita dela.


PEIXOTO - Vou mandar expedir um mandato.


PARANHOS - Essa moça tem muito o que explicar, se ela fez isso, pega no minimo uns 25 anos de cadeia.


CENA 09. CASA DE AGENOR E IZA. INT. SALA. NOITE.


Os policiais chegam a casa.


Codina vai até a Janela.


CODINA - Que barulheira.


Os policiais batem na porta.


CODINA - O que será que eles querem?


AGENOR - Eu vou abrir.


Entram.


PEIXOTO - Seu Agenor?


AGENOR -  Sim.


PEIXOTO - Sua filha está?


AGENOR - Tá sim.


PEIXOTO - Chame ela por favor.


CODINA - Eu vou chamar


AGENOR -  O que vocês querem com ela?


PEIXOTO - Vamos esperar ela vir.


Ela vem.


PEIXOTO - Izadora, você está presa!


continua...


Cd Ilusão
CD Ilusão - Ouça AQUI


Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel