1. Os Hóspedes | A Tempestade


 

CENA 1. EXTERNA – CENAS AÉRES SOBRE O RIO DE JANEIRO – DIA.

ABRIMOS SOBRE O CRISTO REDENTOR. UMA TORRENCIAL CHUVA CAI NA CIDADE. CORTA PARA VÁRIOS PONTOS... RUAS, AVENIDAS ALAGADAS, INUNDADAS, O TRÂNSITO CAÓTICO. BUZINAS, SIRENES, UM MISTO DE VOZES E BARULHOS TOMA CONTA. FAZEMOS UM PASSEIO POR ESSES LUGARES. LIGAR COM A CENA SEGUINTE, RÁPIDO...

CENA 2. EXTERNA – FACHADA DO HOTEL RESPLENDOR – DIA.

OUVIMOS AO FUNDO O RÁDIO TOCANDO UMA MÚSICA, MAS É INTERROMPIDA.

CENA 3. INTERNA – HOTEL RESPLENDOR – SAGUÃO – DIA.

A CÂMERA SE APROXIMA DE UMA ESTANTE, ONDE PODEMOS VER UM RÁDIO LIGADO.

VOZ NO RÁDIO: (OFF)... E, SEGUNDO A POLÍCIA, O CRIME TEVE LUGAR NO NÚMERO 24 DA RUA MARQUÊS DE ABRANTES, NA ENSEADA DE BOTAFOGO. A MULHER ASSASSINADA ERA UMA DONA DE CASA, MARIA LEÃO. EM CONEXÃO COM O ASSASSINATO, A POLÍCIA ESTÁ ANSIOSA POR ENTREVISTAR UM HOMEM, VISTO NAS VIZINHANÇAS, QUE USAVA CASACO ESCURO.

MILENA REIS APARECE. É ALTA, MORENA CLARA, COM AR FRANCO, TEM QUARENTA E POUCOS ANOS. PÕE A BOLSA E AS LUVAS NUMA POLTRONA. COLOCA UM PEQUENO EMBRULHO NA ESTANTE.

VOZ NO RÁDIO: (EM OFF, CONT) OS MOTORISTAS DEVEM TOMAR CUIDADO COM ESTRADAS BLOQUEADAS PELA CHUVA.

MILENA: (CHAMANDO.) BIBIANA! BIBIANA!

NÃO APARECE NINGUÉM. PEGA A BOLSA E UMA DAS LUVAS E DEPOIS CRUZA A SAGUÃO, RETIRA SEU CASACO E VAI ATÉ A LAREIRA.

MILENA: QUE FRIO! (OLHA O RELÓGIO DE PULSO, DEPOIS O DE PAREDE.) PUXA!

FECHA AS JANELAS, CERRA AS CORTINAS.

MILENA SOBE PELA ESCADA ACIMA E GILBERTO APARECE.

GILBERTO ENTRA COM UM GUARDA-CHUVA, PÕE NUM TRIPÉ. TIRA O CASACO, BATE OS PÉS, RETIRANDO OS RESPINGOS DA CHUVA. VAI SENTAR NO SOFÁ.

GILBERTO: MILENA? MILENA ONDE É QUE VOCÊ ESTÁ QUERIDA?

MILENA APARECE. DESCENDO AS ESCADAS.

MILENA: (ALEGRE.) TENDO DE FAZER TODO O TRABALHO.

GILBERTO: (BEIJANDO-A.) OI, QUERIDA.

MILENA: EU ACABEI DE CHEGAR.

GILBERTO: ONDE É QUE VOCÊ FOI? SAIU COM ESTE TEMPORAL?

MILENA: TIVE DE IR A TIJUCA VER UMAS COISAS QUE TINHA ESQUECIDO.

GILBERTO: DESPERDICEI O DIA. MEU CARRO ESTAVA DERRAPANDO PARA TODO LADO. A CHUVA ESTÁ CAINDO SEM PARAR. QUER APOSTAR COMO ESTAREMOS BLOQUEADOS PELA CHUVA AMANHÃ?

MILENA: AI, ESPERO QUE NÃO.

GILBERTO: ESTÁ TUDO PRONTO? MAS NINGUÉM CHEGOU AINDA, CHEGOU?

MILENA: NÃO, GRAÇAS A DEUS. ACHO QUE ESTÁ TUDO EM ORDEM. A BIBIANA SAIU CEDO. NA CERTA FICOU COM MEDO DA CHUVA.

GILBERTO: E LARGA TUDO EM NOSSAS MÃOS! E DESDE QUE NÃO ME PEÇA PARA COZINHAR. VOCÊ SABE QUE SOU UM FRACASSO NA COZINHA.

MILENA: SE FICARMOS PRESOS PELA CHUVA SEREI OBRIGADA A FAZER ALGUMA COISA PARA COMER. (T) QUERIDO, VOCÊ ACHA QUE VAI DAR TUDO CERTO?

GILBERTO: O QUE É ISSO, MEU BEM? VAI COMEÇAR A LAMENTAR NÃO TER VENDIDO O CASARÃO QUE SUA TIA DEIXOU PARA VOCÊ, AO INVÉS DE TER ESTA IDÉIA LOUCA DE ABRIR UM HOTEL?

MILENA: NÃO VOU, NÃO. ADORO ISTO AQUI. ANDE LOGO. DAQUI A POUCO OS HÓSPEDES COMEÇAM A CHEGAR.

GILBERTO: VOCÊ JÁ FEZ A DISTRIBUIÇÃO DOS QUARTOS?

MILENA: JÁ. A DONA BEATRIZ CAMPOS, QUARTO 3. MARCOS DUTRA, QUARTO 5. A JOVEM CASSANDRA VIEIRA, QUARTO 7. CRISTIANO SOARES, QUARTO 9.

GILBERTO: EU FICO IMAGINANDO COMO É TODA ESSA GENTE. SERÁ QUE NÓS NÃO DEVÍAMOS TER PEDIDO O ALUGUEL ADIANTADO?

MILENA: AH, EU ACHO QUE NÃO.

GILBERTO: NÓS NÃO ENTENDEMOS NADA DO ASSUNTO.

MILENA: ELES TRAZEM BAGAGEM E, SE NÃO PAGAREM, NÓS FICAMOS COM ELA. É ISSO.

GILBERTO: POIS EU AINDA ACHO QUE DEVÍAMOS TER FEITO AO MENOS UM CURSO QUALQUER, DESSES QUE SE APRENDE A RESPEITO DE COMO É QUE SE ADMINISTRA UM HOTEL. GARANTO QUE EM ALGUMA COISA VAMOS FAZER PAPEL DE BOBOS.

MILENA: O QUE É ISSO, QUERIDO? TODOS DERAM BOAS REFERÊNCIAS. E NESSA ÉPOCA DO ANO O RIO FICA CHEIO DE TURISTAS. OS HOTÉIS E POUSADAS FICAM COM CEM PORCENTO DE LOTAÇÃO. E CONOSCO NÃO SERÁ DIFERENTE. NÃO SE PREOCUPE, VAI DAR TUDO CERTO.

GILBERTO: E SE ALGUMAS DESSAS PESSOAS ESTIVEREM FUGINDO DA POLÍCIA?

MILENA: (SOLTA UMA RISADA) VOCÊ QUANDO QUER, TEM UM SENSO DE HUMOR QUE INVEJO QUERIDO. (T) E A MIM POUCO IMPORTA O QUE ELES SEJAM DESDE QUE NOS PAGUEM A HOSPEDAGEM TODA SEMANA.

GILBERTO: VOCÊ É TÃO MARAVILHOSA COMO MULHER DE NEGÓCIOS, MILENA.

GILBERTO SAI. TOCAM A CAMPAINHA. MILENA VAI ATENDER. É UM HÓSPEDE JÁ ESPERADO, CRISTIANO SOARES.

MILENA: OLÁ? COMO VAI? ENTRE, FIQUE A VONTADE.

CRISTIANO: OBRIGADO.

CRISTIANO ENTRA COM UMA VALISE QUE POUSA SOBRE O BALCÃO DA RECEPÇÃO. SEU CABELO É COMPRIDO E DESPENTEADO. MILENA VAI PARA TRÁS DO BALCÃO.

CRISTIANO: O TEMPO ESTÁ HORRÍVEL. NUNCA PENSEI EM VER O RIO DE JANEIRO NESTAS CONDIÇÕES. PEGUEI A RIO BRANCO, QUASE  NÃO SAIO DE LÁ, DEVIDO O TRÂNSITO. A SENHORA É A PROPRIETÁRIA DO HOTEL?

MILENA: SIM. EU E MEU MARIDO ABRIMOS HÁ POUCO TEMPO. AINDA NÃO FIZEMOS OS REPAROS NECESSÁRIOS. MAS ESTÁ QUASE NOS CONFORMES. EM BREVE PODERÁ CHAMAR DE UM HOTEL DE VERDADE.

CRISTIANO: AH, É CASADA? SABE, A SENHORA NÃO É COMO EU TINHA IMAGINADO. EU ESTAVA PENSANDO QUE FOSSE VIÚVA, E COM O DINHEIRO DO FALECIDO ABRIRA ESTE HOTEL PARA CUSTEAR NAS DESPESAS. MAS, NÃO, É MARAVILHOSO. REALMENTE MARAVILHOSO.

CRISTIANO SAI PARA O SAGUÃO, E MILENA SEGUE-O.

GILBERTO APARECE. OLHA EM VOLTA E VER A VALISE SOBRE O BALCÃO. OUVE VOZES NO SAGUÃO. GILBERTO SURGE.

MILENA: ACHAMOS QUE OS HÓSPEDES IAM PREFERIR ASSIM (VER GILBERTO CHEGANDO) ESSE É O MEU MARIDO.

CRISTIANO: OH, COMO VAI? QUE TEMPO HORRÍVEL, NÃO É?

GILBERTO E MILENA TROCAM OLHARES, SEM QUE O OUTRO PERCEBA.

GILBERTO: (QUE NÃO GOSTOU  DELE.) EU VOU LEVAR SUA MALA LÁ PARA CIMA. (PEGA A VALISE. PARA MILENA.) VOCÊ DISSE O QUARTO 9, QUERIDA?

MILENA: SIM, QUERIDO.

CRISTIANO: ESPERO QUE TENHA UMA CAMA BEM ACOLHEDORA E COLCHA BEM QUETINHA, POIS ESSE FRIO ESTÁ DE LASCAR.

GILBERTO: (IGNORANDO-O) NÃO, NÃO TEM. (E SOBE A ESCADA.).

CRISTIANO: TENHO A IMPRESSÃO DE QUE O SEU MARIDO NÃO GOSTOU DE MIM.

MILENA: O QUE É ISSO? IMAGINA!

CRISTIANO: (SENTANDO NUMA POLTRONA) HÁ QUANTO TEMPO ESTÃO CASADOS? ESTÃO MUITO APAIXONADOS?

MILENA: FAZ EXATAMENTE UNS 10 ANOS QUE NÓS ESTAMOS CASADOS. (MUDANDO O ASSUNTO) O SENHOR NÃO QUER VER O SEU QUARTO?

CRISTIANO: EU GOSTO MUITO DE SABER A RESPEITO DAS PESSOAS. QUERO DIZER, GENTE É UMA COISA TÃO FASCINANTE, NÃO ACHA?

MILENA: BEM, CREIO QUE HÁ GENTE QUE SIM E (VIRANDO-SE PARA ELE) HÁ GENTE QUE NÃO.

CRISTIANO: NÃO CONCORDO. TODOS SÃO INTERESSANTES, PORQUE NINGUÉM JAMAIS SABE, REALMENTE, COMO OUTRA PESSOA É... OU NO QUE ELA REALMENTE ESTÁ PENSANDO. POR EXEMPLO, A SENHORA NÃO SABE O QUE É QUE EU ESTOU PENSANDO NESTE EXATO MOMENTO, SABE?

MILENA: NÃO TENHO A MENOR IDÉIA. (TIRA UM CIGARRO. ACENDE NA LAREIRA.) QUER UM CIGARRO?

CRISTIANO: NÃO, OBRIGADO. AS ÚNICAS PESSOAS QUE REALMENTE SABEM COMO SÃO OS OUTROS SÃO OS ARTISTAS, E ELES NÃO SABEM POR QUE É QUE SABEM! MAS QUANDO SÃO RETRATISTAS, O QUE ELES SABEM APARECE NA TELA.

MILENA: O SENHOR É ARTISTA?

CRISTIANO: INFELIZMENTE, NÃO. (GILBERTO DESCE A ESCADA. E VER GILBERTO.) VOU GOSTAR DAQUI. SUA MULHER É MUITO COMPREENSIVA.

GILBERTO: (GÉLIDO.) É MESMO.

CRISTIANO: (PARA MILENA.) E MUITO BONITA.

MILENA: (SEM GRAÇA) ORA... (OLHA PARA O MARIDO, DEPOIS PARA O HÓSPEDE) VENHA VER SEU QUARTO.

CRISTIANO: SIM, CLARO QUE VOU.

MILENA E CRISTIANO SAI PELA ESCADA. GILBERTO DEMONSTRA IRRITAÇÃO. A CAMPAINHA TOCA. PAUSA. TORNA A TOCAR VÁRIAS VEZES, IMPACIENTEMENTE. GILBERTO VAI ABRI-LA. É A SENHORA BEATRIZ CAMPOS.

BEATRIZ: É AQUI A RESPLENDOR?

GILBERTO: SIM. ENTRE. FIQUE A VONTADE.

BEATRIZ ENTRA CARREGANDO SUA VALISE. É UMA MULHER GRANDE, DE ASPECTO IMPONENTE. DEMONSTRA MAL HUMOR.

BEATRIZ: EU SOU BEATRIZ CAMPOS. (POUSA A VALISE.).

GILBERTO: EU SOU GILBERTO REIS. APROXIME-SE DA LAREIRA, DONA BEATRIZ, PARA ESQUENTAR-SE. ESTÁ UM TEMPO HORRÍVEL, NÃO É? A SENHORA NÃO TEM MAIS BAGAGEM?

BEATRIZ: TAL DE MARCOS DUTRA, NÃO É? ESTÁ PROVIDENCIANDO.

GILBERTO: VOU ABRIR A PORTA PARA ELE. (VAI ATÉ A PORTA.).

BEATRIZ: O TÁXI NÃO QUIS SE ARRISCAR PELO CAMINHO ATÉ O HOTEL. (ACUSADORA.) NÃO HOUVE ORDENS PARA QUE NINGUÉM FOSSE NOS RECEBER, AO QUE PARECE.

GILBERTO: DESCULPE. NÃO SABÍAMOS EM QUE AVIÃO VIRIA, POIS DE OUTRO MODO TERÍAMOS PROVIDENCIADO PARA QUE HOUVESSE ALGUÉM AGUARDANDO.

BEATRIZ: TODOS OS AVIÕES DEVERIAM SER ESPERADOS.

GILBERTO: PERMITA-ME TOMAR SEU CASACO. MINHA MULHER VEM JÁ. EU VOU AJUDAR O SENHOR MARCOS COM AS MALAS. (SAI.)

BEATRIZ: PELO MENOS PODERIAM TER TIRADO A LAMA DO CAMINHO. (DEPOIS QUE ELE SAI.) TUDO MUITO DESLEIXADO, DEIXADO AO ACASO, PELO VISTO. (OLHA EM VOLTA, COM ÓBVIA DESAPROVAÇÃO. MILENA VEM DESCENDO A ESCADA UM POUCO OFEGANTE.).

MILENA: DESCULPE!

BEATRIZ: VOCÊ DEVE SER MILENA REIS? ACERTEI?

MILENA: SOU. EU... (VAI ATÉ BEATRIZ E ESTENDE A MÃO, BEATRIZ A IGNORA.).

BEATRIZ: A SENHORA É MUITO JOVEM.

MILENA: JOVEM?

BEATRIZ: PARA DIRIGIR UM ESTABELECIMENTO DESTE TIPO. NÃO PODE TER TIDO MUITA EXPERIÊNCIA.

MILENA: (RECUANDO.) BEM, TODOS TÊM DE COMEÇAR EM ALGUM LUGAR, NÃO É?

BEATRIZ: PERCEBI. TOTALMENTE INEXPERIENTE. (OLHA EM VOLTA.) A CASA É VELHA. ESPERO QUE NÃO ESTEJA TUDO MOFADO.

MILENA: MAS É CLARO QUE NÃO!

BEATRIZ: HÁ MUITA GENTE QUE SÓ PERCEBE QUE O MOFO APARECEU QUANDO É TARDE DEMAIS PARA FAZER O QUE QUER QUE SEJA.

MILENA: A CASA ESTÁ EM PERFEITAS CONDIÇÕES.

BEATRIZ: UMA BOA MÃO DE TINTA VINHA A CALHAR.

GILBERTO ENTRA ACOMPANHADO DE MARCOS, UM SENHOR NA CASA DOS 70. ENTRA e POUSA AS MALAS QUE CARREGAM.

GILBERTO: ESTA É MINHA MULHER, DR. MARCOS.

MARCOS: COMO ESTÁ? É UMA TEMPESTADE SEM FIM. EM CERTO MOMENTO PENSEI QUE NÃO CONSEGUIRÍAMOS CHEGAR.

GILBERTO: VOU LEVAR ISTO PARA CIMA. (PEGA AS MALAS. PARA MILENA.) QUAIS FORAM OS QUARTOS QUE VOCÊ DISSE, QUERIDA?

MILENA: DONA BEATRIZ CAMPOS, QUARTO 3. O SENHOR MARCOS DUTRA, QUARTO 5.

BEATRIZ: TEM PROBLEMAS COM EMPREGADOS, POR AQUI?

MILENA: TEMOS UMA SENHORA ÓTIMA QUE MORA NO ANDARAÍ.

BEATRIZ: E QUANTO À CRIADAGEM RESIDENTE?

MILENA: NÃO EXISTE. SÓ NÓS DOIS.

BEATRIZ: NÃO DIGA! FUI LEVADA A CRER QUE SE TRATAVA DE UM HOTEL EM PLENO FUNCIONAMENTO.

MILENA: ESTAMOS COMEÇANDO AGORA.

BEATRIZ: EU DIRIA QUE UMA CRIADAGEM ADEQUADA É ESSENCIAL ANTES DE SE ABRIR UM ESTABELECIMENTO DESTE TIPO. CONSIDERO O SEU ANÚNCIO MUITO ENGANOSO. POSSO PERGUNTAR SE SOU A ÚNICA HÓSPEDE, ALÉM DO SENHOR MARCOS DUTRA, QUERO DIZER?

MILENA: HÁ VÁRIOS OUTROS.

BEATRIZ: E, ALÉM DO MAIS, ESTE TEMPO. UMA TEMPESTADE DE CHUVA. ERA SÓ O QUE FALTAVA. TUDO MUITO DESAGRADÁVEL.

MILENA: MAS NINGUÉM PODIA PREVER QUE O TEMPO ESTIVESSE ASSIM!

CRISTIANO VEM DESCENDO A ESCADA, E APROXIMA-SE POR TRÁS DE MILENA.

CRISTIANO: (CANTANDO.) “CHOVE, CHUVA, CHOVE SEM PARAR...” EU ADORO ESSAS MÚSICAS QUE FALAM DE CHUVA, NUMA METÁFORA DE AMOR, A SENHORA NÃO ACHA?

BEATRIZ O OLHA COM RABO DE OLHO, IGNORANDO-O.

MILENA: DEIXE-ME APRESENTÁ-LO. SENHOR CRISTIANO.  ESTA É A SENHORA BEATRIZ CAMPOS.

CRISTIANO SE INCLINA, EM CUMPRIMENTO.

BEATRIZ: (GÉLIDA.) COMO VAI?

CRISTIANO: BEM. É UMA CASA LINDA, NÃO ACHA?

BEATRIZ: JÁ ATINGI AQUELE PONTO NA VIDA NO QUAL OS CONFORTOS DE UMA CASA SÃO MAIS IMPORTANTES DO QUE SUA APARÊNCIA. (GILBERTO DESCENDO DA ESCADA.) SE NÃO PENSASSE QUE SE TRATAVA DE UMA ORGANIZAÇÃO SATISFATÓRIA JAMAIS TERIA VINDO PARA CÁ. FUI INFORMADA DE QUE ESTARIA TOTALMENTE EQUIPADA COM TODOS OS CONFORTOS DE UM LAR.

GILBERTO: A SENHORA NÃO TEM A MENOR OBRIGAÇÃO DE FICAR, SE NÃO ESTIVER SATISFEITA, DONA BEATRIZ.

BEATRIZ: NÃO, É CLARO, E NEM EU PENSARIA EM FAZÊ-LO, NO CASO.

GILBERTO: SE HOUVE QUALQUER MAL-ENTENDIDO, TALVEZ FOSSE MELHOR A SENHORA IR PARA OUTRO HOTEL MAIS ACONCHEGANTE. EU POSSO LIGAR PEDINDO UM TÁXI. AS ESTRADAS AINDA NÃO ESTÃO FECHADAS. TEMOS OUTROS HÓSPEDES QUE PODEREMOS PREENCHER SEU LUGAR COM A MAIOR FACILIDADE. E, DE QUALQUER MODO, VAMOS SUBIR OS PREÇOS, A PARTIR DO PRÓXIMO MÊS.

BEATRIZ: EU CERTAMENTE NÃO PARTIREI ANTES DE VERIFICAR QUE TAL É O HOTEL. NÃO PENSE QUE PODE ME MANDAR EMBORA (PARA MILENA). A SENHORA PODERIA ME LEVAR ATÉ MEU QUARTO?

MILENA E BEATRIZ SOBE AS ESCADAS.

CRISTIANO: EU ACHEI ESSA MULHER HORRÍVEL. NÃO GOSTEI DELA. IA SER MARAVILHOSO VÊ-LA CAÍDA NESSA LAMA QUE FAZ AÍ FORA.

GILBERTO: (IRÔNICO) SE FOSSE SÓ ELA, SERIA MAIS FÁCIL.

A CAMPAINHA TOCA. GILBERTO VAI ABRIR. É CASSANDRA VIEIRA, OUTRA HÓSPEDE.

CRISTIANO VAI SENTAR-SE NO SOFÁ.

CASSANDRA ENTRA. É UMA JOVEM COM TRAÇOS MASCULINOS, CARREGANDO UMA MALA. USA CASACO.

CASSANDRA: (VOZ GRAVE, MASCULINA.) MEU CARRO ATOLOU NUM LAMEIRO QUE TINHA NA ESTRADA. ONDE POSSO ENCONTRAR UM MECÂNICO POR AQUI?

GILBERTO: NÃO SE PREOCUPE DONA CASSANDRA. DAREI UM JEITO DE TRAZER SEU CARRO, HOJE MESMO.

PEGA A MALA DE CASSANDRA.

GILBERTO: HÁ MAIS BAGAGEM?

CASSANDRA: NÃO. NÃO TROUXE MUITA COISA. (INDO ATÉ A LAREIRA) AH, QUE ÓTIMO VER QUE VOCÊS TÊM UM BOM FOGO. (PÁRA, EM FRENTE AO FOGO, ESTENDENDO OS BRAÇOS.).

CASSANDRA CUMPRIMENTA CRISTIANO COM A CABEÇA.

GILBERTO: MINHA MULHER DESCE EM UM INSTANTE.

CASSANDRA: NÃO HÁ PRESSA. EU PRECISO DEGELAR. PARECE QUE VAMOS FICAR ILHADOS PELA CHUVA, POR AQUI. (OLHA PELA JANELA.) A PREVISÃO DO TEMPO DIZ QUE SE ESPERA MUITA CHUVA.

CRISTIANO: ALGUMA NOTÍCIA MAIS AGRADÁVEL? ALÉM DO TEMPO, QUERO DIZER.

CASSANDRA: A CRISE FINANCEIRA DE SEMPRE, A ESTIAGEM NO NORDESTE, ENFIM... E, AH! UM ASSASSINATO SENSACIONAL!

CRISTIANO: ASSASSINATO?  EU GOSTO MUITO DE ASSASSINATOS.

CASSANDRA: PARECE QUE PENSAM TRATAR-SE DE UM MANÍACO HOMICIDA. ESTRANGULOU UMA MULHER EM ALGUM LUGAR EM BOTAFOGO. DEVE SER UM TARADO SEXUAL. NÃO DIZ MUITA COISA. A POLÍCIA ESTÁ ANSIOSA POR ENTREVISTAR UM HOMEM VISTO NAS REDONDEZAS DA RUA MARQUÊS DE ABRANTES, NA HORA. ALTURA MEDIANA, USANDO UM CASACO ESCURO. AS NOTÍCIAS POLICIAIS COM ESSA DESCRIÇÃO VÊM SENDO IRRADIADAS O DIA TODO. UMA DESCRIÇÃO MUITO ÚTIL. SERVE PRATICAMENTE PARA QUALQUER PESSOA, NÃO É?

CRISTIANO: QUANDO ELES DIZEM QUE A POLÍCIA ESTÁ ANSIOSA PARA ENTREVISTAR ALGUÉM, NÃO É UMA FORMA ELEGANTE DE DIZER QUE ACHAM QUE ELE É O ASSASSINO?

CASSANDRA: É POSSÍVEL.

GILBERTO: (JÁ TENDO OUVIDO METADE DA CONVERSA) QUEM ERA A MULHER ASSASSINADA?

CRISTIANO: TAL DE MARIA LEÃO.

GILBERTO: VELHA OU MOÇA?

CRISTIANO: NÃO DIZ. PARECE QUE NÃO FOI ROUBO...

CASSANDRA: (PARA GILBERTO) EU DISSE: TARADO SEXUAL.

MILENA ENTRA, DESCENDO A ESCADA.

GILBERTO: (PARA MILENA) AQUI ESTÁ A SENHORITA CASSANDRA VIEIRA, QUERIDA. ESTA É A MINHA MULHER.

CASSANDRA: (INDO ATÉ ELA) COMO VAI? (APERTA VIGOROSAMENTE A MÃO DE MILENA.)

MILENA: ESTÁ UM DIA HORRÍVEL. QUER SUBIR PARA O SEU QUARTO? A ÁGUA ESTÁ QUENTINHA, SE QUISER UM BANHO.

CASSANDRA: QUE ÓTIMO, QUERO SIM.

AS DUAS SAEM PELA ESCADA E GILBERTO AS SEGUE, COM A MALA.

SOZINHO, CRISTIANO VAI ATÉ A PORTA. OLHA UM POUCO PRA FORA. DEPOIS SAI POR ELA. LOGO EM SEGUIDA VOLTA, VER MILENA E GILBERTO DESCENDO A ESCADA VOLTA E SE ESCONDE ATRÁS DA CORTINA.

MILENA: BEM, TENHO DE CORRER PARA A COZINHA PARA CONTINUAR O SERVIÇO. O SENHOR MARCOS DUTRA É MUITO SIMPÁTICO. NÃO VAI SER DIFÍCIL. QUEM ME ASSUSTA É A DONA BEATRIZ. PRECISAMOS TER UM JANTAR GOSTOSO. PENSEI EM PREPARAR UM POUCO DE SUFLÊ DE BATATAS. E PARA SOBREMESA, PUDIM DE LEITE. O QUE VOCÊ ACHA?

GILBERTO: ACHO BOM... EMBORA NÃO SEJA MUITO ORIGINAL.

CRISTIANO: (SAINDO DE TRÁS DA CORTINA.) EU POSSO AJUDAR? EU ADORO COZINHAR.

GILBERTO E MILENA SE ASSUSTA COM O SURGIMENTO DE CRISTIANO.

MILENA: SERÁ UMA MÃO NA RODA. O QUE SABE FAZER?

CRISTIANO: SE TIVEREM UMA GARRAFA DE VINHO BARATO, QUALQUER UM SERVE, PODEMOS JUNTÁ-LO AO SUFLÊ, NÃO FOI ISSO QUE DISSE? DÁ UM GOSTINHO DE COZINHA FRANCESA. É SÓ ME MOSTRAR ONDE FICA A COZINHA... APOSTO QUE EU TENHO UMA INSPIRAÇÃO QUALQUER.

MILENA: ENTÃO, VAMOS LÁ.

MILENA E CRISTIANO SAI PARA A COZINHA. GILBERTO FRANZE O CENHO, NÃO GOSTANDO. VAI PEGAR O JORNAL E FICA LENDO COM A MAIOR ATENÇÃO. MILENA VOLTA, SORRINDO.

MILENA: ELE NÃO É UM AMOR? JÁ BOTOU UM AVENTAL E ESTÁ SE ORGANIZANDO. DISSE PARA DEIXAR TUDO COM ELE E NÃO APARECER LÁ DURANTE MEIA HORA. SE NOSSOS HÓSPEDES RESOLVEREM SE ENCARREGAR DA COZINHA, O TRABALHO VAI DIMINUIR MUITO.

GILBERTO: E POR QUE FOI DAR O MELHOR QUARTO PARA ELE?

MILENA: EU JÁ DISSE. ELE ENLOUQUECEU COM A CAMA. BEM ACOLHEDORA E QUENTINHA.

GILBERTO: ELE ENLOUQUECEU COM UMA CAMA ACOLHEDORA E QUENTINHA? BOIOLA!

MILENA: GILBERTO!

GILBERTO: EU NÃO ATURO ESSE TIPO DE GENTE. NÃO FOI VOCÊ QUEM CARREGOU A MALA DELE. FUI EU.

MILENA: E ESTAVA CHEIA DE QUÊ?

GILBERTO: NÃO PESAVA NADA. EU ACHO QUE NÃO TEM NADA DENTRO. ELE DEVE SER UM DESSES TIPOS QUE CALOTEIAM UM HOTEL DEPOIS DO OUTRO.

MILENA: DUVIDO. EU GOSTO DELE. (PAUSA.) A SENHORITA CASSANDRA É MEIO ESQUISITA, NÃO ACHOU?

GILBERTO: É ASSUSTADORA. ISTO É, SE É QUE É MULHER. (RI.)

MILENA: NÃO PARECE JUSTO QUE TODOS OS NOSSOS HÓSPEDES SEJAM DESAGRADÁVEIS OU ESQUISITOS. BEM, PELO MENOS ACHO QUE O SENHOR MARCOS DUTRA É CERTINHO. E VOCÊ?

GILBERTO: VAI VER QUE ELE BEBE!

MILENA: VOCÊ ACHA QUE SIM?

GILBERTO: NÃO. ESTAVA SÓ DEPRIMIDO. BEM, PELO MENOS JÁ SABEMOS DO PIOR. JÁ CHEGARAM TODOS. (A CAMPAINHA TOCA.).

MILENA: ORA ESSA QUEM PODERÁ SER AGORA?

GILBERTO: (EM TOM DE BRINCADEIRA) PROVAVELMENTE O ASSASSINO DE BOTAFOGO.

MILENA: NÃO BRINQUE COM ISSO!

GILBERTO VAI ABRIR A PORTA.

É O SENHOR PLÁCIDO, QUE ENTRA MEIO ZONZO, CARREGANDO UMA MALETA. É ARGENTINO, MORENO E JÁ DE CERTA IDADE. POUSA SUA MALETA NO CHÃO.

PLÁCIDO: MIL PERDÕES. EU ESTOU... (OLHANDO AO REDOR) ONDE É QUE EU ESTOU?

GILBERTO: ESTE É O RESPLENDOR. HOTEL RESPLENDOR.

PLÁCIDO: MAS ISSO É UMA SORTE INCRÍVEL! MINHAS PRECES FORAM OUVIDAS. MEU CARRO FICOU ATOLADO NUM LAMAÇAL. NÃO SEI ONDE ESTOU. PENSEI COMIGO MESMO: VOU MORRER ENTALADO AQUI. ENTÃO, TOMO UMA PEQUENA MALETA E ME ARRASTO PELA CHUVA, QUANDO VEJO DE REPENTE, À MINHA FRENTE, ESTA CASA.  (OLHA EM VOLTA) O DESESPERO TRANSFORMA-SE EM ALEGRIA. PODEM ALUGAR-ME UM QUARTO, NÃO?

GILBERTO: MAS CLARO...

MILENA: INFELIZMENTE, SÓ TEMOS UM PEQUENO...

PLÁCIDO: NATURALMENTE. TÊM OUTROS HÓSPEDES.

MILENA: NÓS SÓ ABRIMOS O HOTEL HOJE, DE MODO QUE SOMOS... BEM, UM POUCO NOVOS NO ASSUNTO.

PLÁCIDO: (ENCANTADO COM MILENA.) ENCANTADORA!

GILBERTO: E SUA BAGAGEM?

PLÁCIDO: NÃO SE PREOCUPEM. TRANQUEI MUITO BEM O CARRO.

GILBERTO: MAS NÃO SERIA MELHOR TRAZÊ-LA PARA DENTRO?

PLÁCIDO: NÃO, NÃO. GARANTO-LHE QUE, NUMA NOITE COMO ESTA, NÃO HAVERÁ LADRÕES À SOLTA. E, QUANTO A MIM, MINHAS NECESSIDADES SÃO MUITO FRUGAIS. TENHO TUDO O QUE PRECISO, AQUI, NESTA MALETA. TUDO O QUE PRECISO.

MILENA: É MELHOR O SENHOR SE ESQUENTAR. VOU ARRUMAR O SEU QUARTO.

PLÁCIDO: QUER DIZER, ENTÃO, QUE TÊM VÁRIOS HÓSPEDES?

MILENA: TEMOS A SENHORA BEATRIZ CAMPOS, O SENHOR MARCOS DUTRA, A SENHORITA CASSANDRA VIEIRA E UM RAPAZ CHAMADO CRISTIANO SOARES. E, AGORA, O SENHOR.

PLÁCIDO: SIM! (EM TOM MISTERIOSO) O HÓSPEDE INESPERADO. O QUE NÃO CONVIDARAM. AQUELE QUE SIMPLESMENTE APARECEU — VINDO DA TEMPESTADE. PARECE MUITO DRAMÁTICO, NÃO ACHAM? QUEM SOU EU? OS SENHORES NÃO SABEM. DE ONDE VENHO? OS SENHORES NÃO SABEM. EU SEREI O HOMEM MISTERIOSO! MAS DEIXEM QUE LHES DIGA. EU COMPLETO O QUADRO. DE AGORA EM DIANTE NÃO HAVERÁ MAIS CHEGADAS. NEM PARTIDAS. AMANHÃ DE MANHÃ, TALVEZ MESMO ATÉ NESTE MOMENTO, FICAREMOS ISOLADOS DA CIVILIZAÇÃO. NEM AÇOUGUEIRO, NEM PADEIRO, NEM LEITEIRO, NEM CARTEIRO, NEM JORNAIS, NINGUÉM E NADA, A NÃO SERMOS NÓS MESMOS. É ADMIRÁVEL, ADMIRÁVEL. NADA PODERIA SER MELHOR PARA MIM. MEU NOME, POR FALAR NISSO, É PLÁCIDO. E OS SENHORES SÃO GILBERTO E MILENA REIS. (RI PRA CÂMERA NO SEU JEITO MISTERIOSO.) NÃO HÁ LUGAR MAIS PROPÍCIO E AGRADÁVEL. SIMPLESMENTE PERFEITO.

MILENA E GILBERTO SE ENTREOLHA, DESCONFIADOS. NESSE INSTANTE UM FORTE TROVÃO ASSUSTA ELES.

EFEITO: UM CORVO SOLTA UM GRANHIDO, SOBREVOA SOB A TELA, CONGELANDO A IMAGEM.

FIM DO PRIMEIRO CAPÍTULO.



A Tempestade

Temporada 1 | Episódio 1

 

Criado e Escrito por:

Nathan Freitas

 

Elenco:

Gilberto Reis

Milena Reis

Cristiano Soares

Beatriz Campos

Marcos Dutra

Cassandra vieira

Plácido Gutierrez

Cristóvão Alencar

 

Rajax © 2021



Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel