5. Capítulo 5 | No Te Pido Flores



LEIA EM PDF AQUI


FADE IN:

01 EXT. RUA - NOITE.

SONOPLASTIA: Día De Suerte - Alejandra Guazmán.

Esmeralda e Lupita seguem correndo pela rua o mais rápido que podem, rindo descontroladamente, porém cautelosas, de instante em instante olhando para trás, cercando-se de que a rua estava realmente vazia.

ESMERALDA

Eu devo estar completamente maluca! Já pensou se alguém me reconhece aqui?

LUPITA

Relaxa, Esmeralda Dellarosa! Você está segura. Nenhum paparazzi maluco vai saltar de um beco pra bater uma foto sua aqui!

As duas se entreolham.

ESMERALDA

Obrigada! Você não sabe o quanto esses momentos livres são importantes para mim. São os únicos momentos nos quais eu me sinto eu mesma, que eu posso me enxergar com profundidade. Os únicos momentos nos quais... eu não sou um personagem.

LUPITA

Por que você não se permite viver a própria vida?

ESMERALDA

(desconversa)

Acho melhor voltarmos, senão aqueles dois vão se matar lá dentro!

Esmeralda faz que vai e chega a caminhar um pouco, mas se obriga a parar quando ouve a voz de Lupita.

LUPITA

Tudo bem se não quiser conversar sobre isso agora. Você veio aqui para sair do seu mundo e é isso que nós vamos fazer hoje.

ESMERALDA

(medo)

Eu não sei se agora é uma boa ideia. Está ficando tarde. Acho melhor voltarmos.

Triste, Esmeralda volta a andar, mas novamente é obrigada a parar. Desta vez, uma chuva súbita começa a cair. Esmeralda sente os pingos na mão e olha para cima, pouco entendendo da  situação.

LUPITA

(feliz)

Tá vendo só! Esse é um sinal para você ficar!

ESMERALDA

Não, esse é um sinal para voltarmos, ou a gente vai se molhar aqui!

LUPITA

Tá, e qual a diferença se nos molharmos aqui, ou no caminho de volta para Boate, heim?

Esmeralda tenta argumentar, mas tudo que consegue fazer é abrir a boca a procura de palavras. Logo depois ela sorri para Lupita, vencida. Lupita sorri de volta.

CAM AÉREA. Vemos de um plano de cima, Lupita e Esmeralda, um pouco distantes uma da outra, mas estáticas, frente a frente, enquanto a chuva toma conta da cena.

CORTA PARA:

02  INT. BOATE FUEGO - NOITE.

Lupe vira um copo atrás de outro, enquanto Martin observa tudo, em negação, de um banco do bar.

LUPE

(bêbado)

Escuta... você viu a minha amiga Lupita? Alguém viu a minha amiga Lupita?

Ele sai trupicando pelo meio das pessoas da boate, procurando por Lupita.

LUPE

Ai, que droga! E eu nem sei onde deixei minha cueca vermelha, caramba! Que ótima, sem amiga, sem restaurante, sem emprego... e agora sem a minha cueca vermelha.

Depois de sussurrar lamúrias, Lupe se dirige até a saída da boate.

Ao notar a chuva fora, Lupe para um pouco e faz uma cara de cansado. Pensa um pouco e quando ia colocar o primeiro pé na rua, sente um toque em seu braço. Ele olha diretamente para Martin, que segurava seu braço.

MARTIN

Vem comigo.

Lupe encara um pouco Martin, distante, e logo depois se desprende de suas mãos.

LUPE

Não.

E sai andando, desorientado no meio da chuva.

MARTIN

Filho da...

Martin sai correndo atrás dele.

MARTIN

Escuta, eu estou te oferecendo ajuda. Você percebeu isso?

LUPE

(sorrindo)

Haha. Ajuda? E você vai querer o quê em troca? Que eu venda, sei lá, minha calça, porque você vai comercializar um grande lote desse modelo?

MARTIN

Eu não sei se você percebeu, mas eu tenho uma construtora, não uma marca de roupas brega.

Lupe aperta os olhos e mostra o dedo do meio para Martin, continuando sua andaça. Martin continua o seguindo, já completamente encharcado.

MARTIN

Você vai mesmo correr o risco de pegar uma pneomania, ou um resfriado? O meu carro é esse aqui da frente.

Martin aponta. Lupe olha.

LUPE

Olha só. Pintura nova.

MARTIN

Você claramente não está bem. Como pretende chegar em casa nesse estado com esse tempo?

LUPE

Por que diabos você se importa?

MARTIN

Vem logo!

Martin agarra o braço de Lupe, mas é respondido por um belo tapa na cara.

LUPE

Você tirou tudo de mim! Você tirou a única coisa que eu tinha que era o restaurante. Depois você conseguiu me fazer ser demitido do único emprego que arranjei para pagar minhas contas e agora... Escuta, ninguém nasceu rico como você, não, tá? É tão egoísta que...

Lupe, de repente, é interrompido por Martin, que agarra seu rosto e lhe beija.

SONOPLASTIA: Día de Suerte - Alejandra Guzmán.

Martin, com os olhos fechados, continua beijando Lupe, que num primeiro momento permaneceu com seus olhos abertos, mas fecha-os, deixando se levar.

Depois de um tempo no momento, Martin larga Lupe, se afastando dele. Os dois se entreolham. PAUSA NA SONOPLASTIA.

MARTIN

Você não calava a boca e só estava tentando te convencer a...

Lupe, extasiado, se joga nos braços de Martin. Desta vez, ele quem o beija.

CONTINUA A SONOPLASTIA.

Um beijo bem mais intenso, com bem mais exageros. Enquanto se beijam, os dois vão se aproximando cada vez mais do carro de Martin. Quando sentem que o atingiram, eles param.

LUPE

Você também não parava de falar...

MARTIN

(assustado)

Justo.

LUPE

Acho que vou aceitar sua carona.

Martin concorda e logo depois abre a porta do carro, entrando. Lupe entra logo depois, prontamente pondo o cinto de segurança. Os dois ficam calados, ainda em choque.

LUPE

Eu não sei o que aconteceu aqui... mas isso nunca mais vai acontecer.

MARTIN

Não! Claro que não... nunca mais.

03 INT. CASA DE LUPITA - NOITE. 

Risos. A porta da casa de Lupita é aberta. Entram Esmeralda e Lupita, ambas enxarcadas. Esmeralda passa à frente. Lupita fecha a porta, ainda muito alegre. 

 

            ESMERALDA  

As pessoas vão pensar que somos duas malucas!

 

              LUPITA 

Ah, deixem que pensem. Eu me diverti tanto hoje, sabe? Mas acho melhor a gente tomar um banho e se secar antes de pegar uma pneumonia. Você vai primeiro enquanto eu passo um café rapidinho pra gente.

 

             ESMERALDA

Não, eu tenho que voltar pra casa. Se a minha mãe acordar e não me ver de pé para a bendita coletiva eu tô ferrada... e... eu não estou nem aí. 

 

            LUPITA

Ótimo! Eu vou pegar uma toalha pra você.

 

            ESMERALDA 

Lupita!

 

             LUPITA 

Sim?

Esmeralda, de súbito, beija Lupita por um longo tempo, que fica sem reação depois que seus lábios se afastam. Esmeralda, ainda com o rosto bem próximo do de Lupita, trocando olhares entre respirações pesadas, sorri, solenemente.

 

            ESMERALDA

Eu vou... tomar um banho...

Esmeralda dá as costas para Lupita, ainda pensando no beijo. Lupita, por sua vez, sorri e sai de cena. 

04 int. Mansão bracamontes, quarto - noite. 

A porta do quarto se rompe. Adentram Martin e Lupe. Martin praticamente carrega Lupe, que arrastava o passo, bêbado. 

 

            MARTIN

Dá pra você facilitar?]

 

            LUPE

Eu lembro desse lugar. Foi aqui que eu te dei uma surra.

 

            MARTIN

Arrgh! Você está fedendo a bebida barata!

SONOPLASTIA: Corazón de Limon - David Rees.

 

         LUPE

Ai, me deixa!

 

         MARTIN 

Não vai dar. Eu não vou conseguir deixar você dormir em nenhum lançol caro da minha cama com essa catinga de carnaval de pobre. Eu vou te colocar no banho. Vem!

05 int. Mansão bracamontes, banheiro - noite. 

Martin e Lupe entram no banheiro. Martin enconsta Lupe na parede, aos resmungos, e retira sua blusa. 

 

         

 

MARTIN

Colabora, cucaracha! Tem um chuveiro bem gelado te esperando bem ali.

Martin leva Lupe até o chuveiro e o liga. 

 

         MARTIN

Isso, fica aí. 

Martin dá as costas para ir embora, mas é impedido por Lupe, que agarra sua mão e o puxa para debaixo do chuveiro.

 

          LUPE

Você não vai sair. Você vai tomar banho comigo. Hahaha!

 

         MARTIN

Ah, cê tá de brincadeira! 

Lupe começa a se sentar no chão do banheiro, se balançando debaixo da água. Martin revira os olhos e se ajoelha ao seu lado. 

         MARTIN

Levanta daí! Não pode, ouviu? Não pode!

Lupe, subitamente, encara Martin, que fica sem entender. 

 

        MARTIN

O que é que foi?

 

       LUPE

Você é bonito.

 

      MARTIN

Bonito?

Lupe sorri e agarra o rosto de Martin com as mãos, apertando ele e brincando um pouco. 

 

      LUPE

É

Lupe faz com que vai beijar Martin, mas o mesmo vira o rosto.

                MARTIN

Seria hilária passar na sua cara o que você ia aprontar agora. Hilário se você tivesse sóbrio. Vem, levanta, o banho acabou!

 

      LUPE

Não!

Lupe se agarra a Martin como se agarra um urso de pelúcia. 

 

      LUPE

Você é tão fofinho...

Lupe acaba dormindo ali mesmo. Martin suspira e se encosta na parede, aparentemente cansado. 

No mesmo instante ENTRA

SONOPLASTIA: Training Wheels - Melanie Martinez. 

 

DOLLY OUT. CAM se afasta lentamente dos dois, dando uma visão panorâmica da cena. Lupe ainda abraçado em Martin, a água do chuveiro desabando sobre os dois. 

CORTE RÁPIDO PARA:

06 int. Casa de lupita, sala - noite.

A MÚSICA CONTINUA. Esmeralda e Lupita encontram-se sentadas no sofá, frente à uma televisão, as duas parecem felizes comentando sobre algo qualquer enquanto tomam um café, enroladas num edredon. 

07 int. Mansão bracamontes, quarto - noite. 

A MÚSICA CONTINUA. Martin agora se encontra lendo um livro ao lado de Lupe, desmaiado de sono, consumindo toda a cama para si. Martin olha para ele por um momento, negativando com a cabeça. Logo depois volta com seu livro. 

08 INT. CASA DE LUPITA, SALA - NOITE. 

Agora Esmeralda e Lupita se encontram dançando bem despretenciosamente por toda a sala. Depois caem no sofá, fazendo cócegas uma na outra. 

09 INT. CASA DE LUPITA, QUARTO - NOITE. 

Esmeralda se encontra fazendo uma trança no cabelo de Lupita. A beija na bochecha. As duas se abraçam. 

10 INT. MANSÃO BRACAMONTES, QUARTO - NOITE.

Por fim, temos uma visão áerea de Martin e Lupe dormindo. Martin dorme com o livro sobre o peito e o braço de Lupe nele. 

FADE OUT.

FIM DO CAPÍTULO. 

 



No Te Pido Flores 

Temporada 1 | Capítulo 5

 

Criado e Escrito por:

Everton Brito

 

Produtora:

Everton Brito Produções

 

Elenco Principal:

Lupe – Ícaro Silva

Lupita – Aline Dias

Martin – Rômulo Estrela

Esmeralda – Pamela Tomé

 

Rajax © 2021


Nenhum comentário:

Postar um comentário

close

menu cel