3. Guerra é Guerra | A Tormenta


CENA 1. INTERNA – APARTAMENTO DE EDUARDO E NATÁLIA – SALA – TARDE.

NA CONTINUIDADE...

Julia Pega A Carta, Com Raiva.

Julia: Quem Mandou Você Mexer Nas Minhas Coisas? Isso Não Significa Nada. (Rasga)

Clara: Eu Li. Era A Carta Que A Senhora Supostamente Tentou Enviar Para o Meu Pai. Não Foi?

Julia: Será Que Você Nunca Vai Cansar Dessa História?

Clara: Só No Dia Que Encontrar Meu Pai. (Sai.)

Eduardo Aparece Novamente.

Julia: Sua Filha Não Vai Sossegar Enquanto Não Conhecer Você. O Papaizinho Dela.

Eduardo lança um olhar de censura para Júlia.

Eduardo: Não Repita Isso mais Aqui. Eu sou capaz de ma-tar você!

Julia: Você Não É Tão Otário Assim. Sabe Que Se Me Ma-tar, Você Vai Parar Na Sarjeta. Ou Esqueceu Que É Casado Com Separação Total De Bens? Esqueceu Que Minha Irmã e Quem Te Sustenta? Que Abriu Aquele Escritório, Fez De Você Um Corretor De Sucesso? Esqueceu Que A Natalia Ar-rasta Um Bonde Por Você? Esqueceu Que Ela Tem Os Nervos A Flor Da Pele? Ah Cunhadinho, Se Eu Fosse Você Não Ou-sava Tanto!

Eduardo: Você É Muito Sórdida Mesmo. É Uma Doente. Deve-ria Estar Num Hospício.

Júlia: (Fingida) Eu Sempre Fui Apaixonada Por Você, Edu-ardo. Sempre Fiz De Tudo Para Conseguir Seu Amor. Mas Você Sempre Teve Olhos Para A Minha Irmã.

Eduardo: Não Foi Á Toa Que A Escolhi Para Ser Minha Mu-lher. Sabia Que Estava Fazendo A Coisa Certa. E É Ao La-do Dela Que Quero Envelhecer E Morrer. (Pausa) Me Diz Quem É O Pai Da Clara, Júlia? (Revela) É O Marido Da Ma-dame Rosalinda?

Júlia: (Leva Um Susto) O Quê? O que sabe sobre isso?

Eduardo: Eu Conheci Madame Rosalinda. Ela Me falou sobre você.

Júlia: Falou, O Quê?

Eduardo: Que Você É Uma pilantra, safada.

Júlia: Madame Rosalinda Nunca Gostou De Mim. Sempre Teve Um Pé Atrás Comigo. (Pausa) Descobriu Que O Marido A Traía... E Imaginou Que Eu Era A Amante.

Eduardo: E Não Era?

Júlia: Claro Que Não. Quer Dizer... O velho me seduziu. Abusou de mim.

Eduardo: (Ironico) Coitadinha de você. Uma virgenzinha tão indefesa! Quem ver, pensa que é tão vulnerável! (di-reto) Voce o matou, não foi?

Júlia: Eu Não O Matei. Armaram Pra cima de Mim.

Eduardo: E Por Que Fugiu Se Era Inocente?

Júlia: Implantaram Minhas Digitais No Frasco Do Veneno. Madame Arrumou Um Homem Pra Me Seduzir E Levar Pra Cama. O Idiota Me Deu Um Boa Noite Cinderela. Foi Fácil Ele Colocar As Provas Que Precisava Pra Me Incriminar. Eu Juro, Eduardo, Eu Não Matei Ele.

Eduardo: Suas Juras Não Convencem Ninguém. Muito Menos A Mim. A Clara É Filha Dele? Fala, Júlia!

Júlia; Não. A Clara É Sua Filha, Eduardo.

Eduardo: Como Pode Ter Essa Certeza?

Júlia: Lembra Da Noite Que A Natália Viajou Pra Angra? Você chegou em casa cansado, tinha tomado um porre, en-fim... o resto você pode deduzir.

Eduardo: (Avança Sobre Ela) Vagabunda! Como pode fazer isso? O que você ganha com isso? Porque tenta arruinar meu casamento com sua irmã, que tanto te ajudou? Ajuda-mos a criar a Clara. Te demos uma casa, comida. A Clara estuda no melhor colégio do Rio. Nunca faltou nada pra ela. Porque essa fixação em dizer que eu sou pai da Cla-ra, você sabe que eu não sou. (Pausa.) Eu podia muito bem dá cabo de você agora, sabia?

Júlia: Seria Capaz De Matar A Mãe De Sua Filha?

Eduardo:( Com Raiva) Eu Não Tenho Filha! Se Você Pronun-ciar Isso Mais Uma Vez, Eu Mato Você. E Outra Coisa: Vo-cê Vai Contar Essa História Da Madame Pra Natália.

Júlia: Eu Quero Esquecer Isso.

Eduardo: Você Não Tem Escolha. Sua Filha Tá Sofrendo Com Toda Essa Sua Mentirada. Eu Não Vou Passar O Resto Da Vida Escondendo Essa História Da Minha Mulher.

Júlia: Eu Tinha Meus Motivos Para Agir Como Agi.

Eduardo: Ninguém Em Sã Consciência Age Desta Forma Cruel E Monstruosa como você tá agindo. Ou Você Conta, Ou Vai Embora Desta Casa. Decida.

Eduardo Sai De Cena.

Júlia: Você Não Vai Colocar Meus Planos A Perder, Eduar-do. Não Vai Mesmo. É Guerra Que Você Quer, Então É Guer-ra Que Vai Ter.

CENA 2. EXTERNA – TAKES DO RIO DE JANEIRO – NOITE.

ANOITECE...

CENA 3. INTERNA – APARTAMENTO DE EDUARDO E NATÁLIA – NOITE.

Eduardo/Natália. Os dois entram em cena, em discussão.

Natália: Eu Quero Que Você Suma De Uma Vez Por Todas Da Minha Vida. (Senta Chorando).

Eduardo: Meu Amor... Me Escuta. Eu Juro...

Natália: Não Jure Nada, Seu Canalha. Pegue Suas Coisas E Vai Embora Daqui. Eu Já Falei.

Eduardo: Eu Não Tenho E Nunca Tive Nada Com Essa Mulher.

Natália: (Mete Uma Bofetada Em Eduardo) Cala Essa Boca, Seu Mentiroso. Como Você Foi Capaz Disso Comigo? Uma Fi-lha!

Eduardo: Eu Nunca Tive Nada Com Sua Irmã. Nunca Encostei O Dedo Nela.

Natália: Você Me Enganou Esse Tempo Todo. Você Abusou Da Minha Confiança. E Ainda Por Cima Teve Uma Filha Com A Minha Própria Irmã. Por Que? Por Que Eu Nunca Vou Poder Te Dar Um Filho? Por Que Eu Nunca Serei Sua Mulher De Fato?

Eduardo: Claro Que Não, Meu Amor. Você Sabe Da Vontade Que Tenho De Ter Um Filho Seu. Estamos Batalhando Pra Isso.

Natália: Eu Não Acredito Em Nenhuma Palavra Do Que Você Está Me Dizendo. Sai Daqui!

Natália Chorando. Eduardo Tenta Uma Aproximação.

Eduardo: Natália, Olha Pra Mim! (Pega No Braço Dela, Ca-rinhoso) A Júlia Não Vale Nada. Ela Não Presta.

Natália Mete Uma Bofetada Em Eduardo.

Natália: Nunca Mais Repita O Que Falou. Quem Não Presta Aqui É Você. Meu Deus, Como Fui Idiota!

Julia Aparece.

Julia: O Que Está Acontecendo Aqui?

Eduardo: (Avançado Nela) Sua Vagabunda. O Que Você Está Querendo Fazer? Acabar O Meu Casamento?

Natália: Larga Ela! Larga Ela, Ou Eu Acabo Com Você.

Julia: (Na Sua Frieza) Eu Não Sei De Nada Do Que Está Falando?

Natália: Julia... Me Fala A Verdade. A Clara É Filha Do Eduardo?

Julia Olha Pra Eduardo. Clima Tenso.

CENA 4. EXTERNA – PISCINA DO PRÉDIO – NOITE.

Clara E Pedro Conversando, Sentados, Tomando Refri.

Pedro: E Sua Mãe Te Falou Quem Era Seu Pai?

Clara: Que Nada. Você Sabe Como É Ela. Vive Inventando História Pra Ver Se Eu Esqueço. Sabe Qual Foi A Última?

Pedro: Qual?

Clara: Disse Que Meu Pai Era Gay. E Não Me Disse Antes Com Medo Da Minha Reação. Como Se Gay Fosse Uma Coisa Mais Horrível Do Mundo.

Pedro: E Você Acha Que Ela Pode Tá Mentindo?

Clara: Claro Que Tá, Pedro. É Óbvio.

Pedro: Você Já Parou Pra Pensar Por Que Sua Mãe Esconde De Você A Identidade De Seu Pai? Será Que Ele É Algum Traficante, Ou Quem Sabe Até Já Morreu?

Clara: Claro Que Não, Pedro. Que Idéia. Se Ele Tivesse Morrido Ela Teria Me Dito Sem Fazer Cerimônia. Eu Noto Que Ela Esconde O Real Motivo Por Que Não Quer Dizer.

Pedro: Eu Tive Pensando: E Se Você Não For Filha Dela? Tiver Sido Adotada? Será Que Não É Esse O Motivo Princi-pal?

Clara: (Desconfiada) Será? Será Que Eu Não Sou Filha De-la?

Pedro: É Possível. E Como De Fato Não Sabe Quem É Seu Verdadeiro Pai, Ela Vive De Inventar Histórias Na Espe-rança De Você Esquecer.

Clara: Eu Não Tinha Pensado Nisso. E Outra Coisa, Ela Não Tem Fotografia De Quando Estava Grávida.

Pedro: Mais Um Motivo.

Clara: Ah Meu Deus! Será Que Eu Sou Adotada?

CENA 5. INTERNA – APARTAMENTO DE EDUARDO E NATÁLIA – SALA – NOITE.

Julia movimenta a cadeira, saindo para o lado, Tentando Disfarçar.

Julia: Ah, É Isso. (P/Eduardo) Por Que Você Não Contou Pra Ela, Eduardo?

Eduardo: (Com Raiva) Contar O Quê?

Natália: Ele É O Pai Da Sua Filha? Vamos Julia, Fala!

Julia Olha Pra Natália, Balança A Cabeça Confirmando.

Eduardo: É Mentira! A Clara Não É Minha Filha.

Natália: (Arrasada) Você Me Traiu...

Eduardo: Não... Eu Não Te Traí. Acredita Em Mim, Meu Amor.

Natália: E Quando Foi Isso? Fala!

Julia: (Cínica) Quando Soube Que Você Não Podia Ter Fi-lhos.

Natalia Apavora-Se. Eduardo Desesperado Pega Julia Pela Braço Com Força. Viriato Aparece E Vai Separar A Briga. Eduardo Dá-Lhe Um Soco Que Ele Cai Ao Chão.

Viriato: Calma Aí, Cara! Pra Quê Essa Violência Toda?

Eduardo Empurra A Cadeira De Julia Que Ela Vai Cair no chão.

Eduardo: (Desesperado) Eu Vou Acabar Com Você!

Nesse Clima Forte E Tenso.

Corta Para...

FIM DO CAPÍTULO 3




A Vontade do Mal

Temporada 1 | Episódio 3

 

Criado e Escrito por:

Nathan Freitas

 

Elenco:

Eduardo (Alexandre Nero)

Natália (Giovanna Antonelli)

Júlia (Vitória Estrada)

Viriato (Rafael Cardoso)

Clara (Sophia Valverde)

 

Rajax © 2021



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

close

menu cel